Ir para o conteúdo

Claudio Andre O

INFORMAÇÃO O TEMPO TODO

Voltar a Blog do Claudio André O Poeta
Tela cheia

O RIO IPANEMA VISTO DE UMA MANEIRA DIFERENTE PELO BLOGUEIRO CLÁUDIO ANDRÉ (PARTE 01)

13 de Fevereiro de 2018, 15:09 , por CLÁUDIO ANDRÉ O POETA - | No one following this article yet.
Visualizado 26 vezes

Esse é o leito do Rio Ipanema a poucos metros da foz com o Rio São Francisco. Nesse local o rio tem tem uma largura de aproximadamente 20 metros.
Fazer uma trilha pelo leito do Rio Ipanema é desafiante, porém, a beleza natural no seu entorno, supera todo o esforço para encarar o "areial" que toma de conta de todo o espaço do rio.
Imagine você estar debaixo de um sol escaldante, acima dos 35 graus centígrados e pisando uma areia fofa e solta... De vez em quando o céu fica nublado, como mostra imagem acima.
Na trilha que fiz por mais de uma hora de caminhada vamos entendendo o quanto é importante cuidar do meio ambiente sem provocar desmatamento.
O desmatamento é visto de perto. Infelizmente a mata ciliar ao redor do Rio Ipanema tem deixado muitos danos. Mata ciliar é a formação vegetal localizada nas margens dos córregos, lagos, represas e nascentes. Também é conhecida como mata de galeria, mata de várzea, vegetação ou floresta ripária.
Pelo menos no leito do rio por onde passei o que a gente viu foram várias e muitas caatingueiras, que suporta altas temperaturas e sua raízes são profundas.
A Serra do Teiú é uma das belas paisagens na beira do Rio Ipanema, há poucos metros do Povoado de Barra do Ipanema, município de Belo Monte, Alagoas.
Nessas serras é fácil de localizar entre pedras, materiais usados em mineração. 
Nessa imagem que fiz percebam que um parte da serra está no sol, outra, na sombra, justamente provocado pela corrente de nuvens passageiras. Para embelezar a foto ainda, o mandacaru ficou num ângulo sensacional.
Entre serras e picos, está o leito do Rio Ipanema, que atravessa parte dos estados de Pernambuco e Alagoas. Vejam que no seu entorno as árvores serve de locais para reprodução aves de vários tipos, deixando a flora ainda mais cheia de vida.
O jegue, o jumento, ainda é um animal símbolo do sertão que sobrevive às necessidades que a região sofre. No reino animal há o seu lado de protecionismo. Veja a proteção da mãe com seu filhote. Mesmo na sombra, não desgruda do jumentinho. Coisas de mãe...

A força da água e do vento, faz com que as pedras que estão no curso do rio, fiquem lisas e brilhantes, como tivesse sido um trabalho da mão humana. Na próxima postagem, mostraremos que o tour realizado por essa região do Rio Ipanema não foi em vão. Valeu todo esforço e suor que foi expelido pelos poros do corpo. É o Poeta Viagens e Aventuras em mais uma viagem.

Fonte: http://claudioandreopoeta.blogspot.com/2018/02/o-rio-ipanema-visto-de-uma-maneira.html