Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Alívio na tensão causada por guerra comercial eleva bolsa e dólar recua

16 de Agosto de 2018, 15:25 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 40 vezes

Uma delegação chinesa liderada pelo vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, se reunirá com representantes dos EUA liderados pelo subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, David Malpass, informou o Ministério do Comércio chinês, nesta manhã.

 

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

 

O dólar recuava nesta quinta-feira e abaixo de R$ 3,90 diante de algum alívio no exterior após a China ter anunciado que vai realizar nova rodada de negociações comerciais com os Estados Unidos, suavizando as preocupações sobre a guerra comercial entre os dois países. Às 11h56, o dólar recuava 0,59%, a R$ 3,8778 na venda, depois de subir 0,87% na última sessão e ir ao patamar de R$ 3,90. O dólar futuro tinha queda de cerca de 0,75%.

EUA e China vão promover uma rodada de negociações no âmbito da guerra comercial, em cursoEUA e China vão promover uma rodada de negociações no âmbito da guerra comercial, em curso

“A leitura de investidores é por enquanto positiva, dado que pode representar, em potencial, a derrubada das tarifas entre as maiores economias globais em troca de acordos que agradem aos EUA”, trouxe a corretora H.Commcor em relatório.

Uma delegação chinesa liderada pelo vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, se reunirá com representantes dos EUA liderados pelo subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, David Malpass, informou o Ministério do Comércio chinês nesta manhã.

Temores globais

Embora o engajamento tenha sido visto por analistas e empresários externos como positivo, eles alertaram que as negociações provavelmente não levariam a um avanço, já que ocorrerão entre funcionários de segundo escalão.

Ainda assim, a notícia serviu para aliviar os temores globais e levava a uma busca pelo risco, com o dólar em queda ante uma cesta de moedas e também divisas de países emergentes.
Internamente, os investidores seguiam monitorando o noticiário eleitoral.

O mercado leu de maneira positiva o fato de já haver contestações à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde abril no âmbito da Lava Jato, formalizada na véspera junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A própria procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que ela seja barrada.

Bolsa sobe

Lula é visto pelos mercados como um candidato à Presidência menos comprometido com o ajuste fiscal. O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 4,8 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, rolando US$ 2,88 bilhões do total de US$ 5,255 bilhões de dólares que vence em setembro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

A bolsa paulista, por sua vez, mostrava ganhos na manhã desta quinta-feira, após o fim da temporada de resultados e sem novidades relevantes no cenário eleitoral, embalada pelo viés mais positivo no cenário global, em meio à aproximação de Estados Unidos e China para discutir a disputa comercial entre ambos.

Na véspera, o principal índice de ações da B3 caiu 1,94%, a 77.077,99 pontos, pressionado pelo viés externo negativo, em sessão com bateria de resultados, pesquisa sobre intenções de votos e vencimentos de opções sobre o Ibovespa e do índice futuro.

Turquia

“O anúncio de uma reunião no final deste mês entre representantes dos governos dos EUA e China trouxe um sentimento positivo para os agentes do mercado em relação a guerra comercial entre os dois países”, afirmou a equipe da corretora Mirae em nota distribuída a clientes.

Uma delegação chinesa liderada pelo vice-ministro do Comércio, Wang Shouwen, se reunirá com representantes dos EUA liderados pelo subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, David Malpass.

Os receios em relação à situação da Turquia que minaram o humor nos mercados nos últimos pregões permanece, mas, nas visão da Mirae, os mercados de risco comemoram nesta sessão uma possível trégua entre EUA e China.

Em Wall Street, o S&P 500 subia 0,7%.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/alivio-tensao-causada-guerra-comercial-eleva-bolsa-dolar-recua/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias