Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

América Móvil firma acordo para adquirir 100% da Nextel Brasil

18 de Março de 2019, 12:18 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 340 vezes

Como parte do acordo, a NII venderá sua fatia de 70 %  na Nextel Brasil e a AI Brazil os 30 %  remanescentes, tornando a América Móvil a única detentora da operação.

Por Redação, com Reuters – da Cidade do México

A mexicana América Móvil, que no Brasil opera sob a marca Claro, informou que celebrou contrato com a NII Holdings e a AI Brazil Holdings para adquirir a totalidade da Nextel Brasil por US$ 905 milhões, em base livre de caixa e dívida, segundo fato relevante divulgado pela Claro nesta segunda-feira.

América Móvil, que no Brasil opera sob a marca Claro

Como parte do acordo, a NII venderá sua fatia de 70 %  na Nextel Brasil e a AI Brazil os 30 %  remanescentes, tornando a América Móvil a única detentora da operação.

– Com essa operação, a Claro, subsidiária brasileira da AMX, consolidará sua posição como uma das principais prestadoras de serviços de telecomunicações no Brasil, fortalecendo sua capacidade de rede móvel, portfólio de espectro, base de assinantes, cobertura e qualidade, particularmente nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, os principais mercados do Brasil – disse a operadora.

O valor total da transação está sujeito a ajustes, incluindo reembolso em relação aos investimentos em ativos fixos e capital de giro de 1º de março até o fechamento da operação, e também a aprovações regulatórias, informou a NII Holdings em nota à imprensa divulgada separadamente.

Conforme o comunicado, o acordo dá à NII “oportunidade de monetizar os ativos operacionais remanescentes” e leva em conta o cenário competitivo no Brasil. Ainda segundo o documento, a NII receberá 70 % dos recursos líquidos finais, após dedução de US$ 2 milhões, relativos ao retorno de ações preferenciais devidas à AI Brazil.

A América Móvil, por sua vez, depositará US$ 30 milhões da parcela de recursos líquidos devida à NII em conta garantia com duração de 18 meses, para assegurar as obrigações de indenização previstas no contrato.

O contrato ainda inclui certos direitos de rescisão que podem ser exercidos por cada uma das contrapartes. Em caso de rescisão, a multa a ser paga pela NII à América Móvil será de US$ 25 milhões.

Lyft

A Lyft espera captar até US$ 2 bilhões com a listagem de ações em Nova York, informou nesta segunda-feira a companhia, iniciando uma série de apresentações a investidores num momento em que o rival Uber também prepara a estreia no mercado acionário.

Os dois IPOs representariam um divisor de águas para os unicórnios de tecnologia do Vale do Silício, que durante anos esnobaram o mercado de ações em favor de levantar capital de forma privada, com os investidores felizes em apoiar suas grandes valorizações.

No entanto, a recuperação do mercado nos últimos anos, juntamente com o desejo de investidores iniciantes de saírem, está levando muitas empresas de tecnologia, incluindo Airbnb, Slack e Stripe, a planejar uma listagem de ações.

A Lyft, sediada em San Francisco, disse em um comunicado na segunda-feira que pretende oferecer R$ 30,77 milhões precificadas entre US$ 62 e US$ 68 por papel, colocando-se na frente do Uber, que planeja seu IPO para abril. No ponto mais alto da faixa indicativa, a Lyft teria um valor de mercado de US$ 19,64 bilhões, incluindo lote suplementar.

À agência inglesa de notícias Reuters relatou os detalhes no domingo, citando pessoas familiarizadas com o assunto.

O Uber espera uma valorização de até US$ 120 bilhões, de acordo com fontes, embora alguns analistas a tenham estimado em torno de US$ 100 bilhões com base em dados financeiros selecionados divulgados.

Tanto o Uber quanto a Lyft estão perdendo dinheiro, mas o Uber, que se promove como uma empresa global de logística e transporte, é muito maior e mais diversificado do que a Lyft, cujo foco central continua sendo as caronas.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/america-movil-firma-acordo-adquirir-nextel-brasil/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias