Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Bancários do Rio conquistam feriado na quarta-feira de cinzas

6 de Dezembro de 2018, 13:49 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 38 vezes

Veto do governador Pezão foi derrubado pela Assembleia Legislativa. Faturas com vencimento na data serão adiadas para o primeiro dia útil subsequente, sem prejuízo para os consumidores.

Por Redação, com RBA – do Rio de Janeiro

 A partir de 2019, a quarta-feira de cinzas será feriado bancário no Rio de Janeiro. A Assembleia Legislativa do Rio derrubou na quarta veto do governador Luiz Fernando Pezão (MDB) ao projeto de lei (PL) 3.433/17, do deputado estadual André Ceciliano (PT) que instituía mais um dia livre de trabalho no carnaval.

Bancários da Cidade Maravilhosa terão mais um dia para descansar ou curtir a folia no Carnaval 2019

A proposta foi aprovada pelos deputados em setembro de 2018, e vetada por Pezão no mês seguinte. Agora, com a derrubada do veto e a promulgação da medida, as agências bancárias não abrirão mais após o meio-dia, como ocorre no restante do país, no último dia da folia.

Segundo os trabalhadores, a folga na quarta-feira de cinzas em nada prejudicará os usuários de serviços bancários. As faturas de cobrança com vencimento na data do novo feriado serão postergadas até o primeiro dia útil subsequente, sem qualquer cobrança adicional ao consumidor.

A presidenta do Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro, Adriana Nalesso, classificou a decisão como uma vitória da categoria “que trabalha tanto o ano inteiro para garantir os lucros do setor que mais ganha dinheiro nesse país”. “Nada mais justo que um dia de descanso numa data em que a cidade costuma ficar vazia. As pessoas que voltam da agitação do carnaval ou de uma viagem, poderão, já a partir do ano que vem poderão curtir a família e recuperar as energias para enfrentar a luta do dia a dia”.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/bancarios-rio-conquistam-feriado-quarta-feira-cinzas/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias