Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Bolsonaro poderá ser indiciado por homicídio qualificado

17 de Outubro de 2021, 18:22 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 24 vezes

A publicação adiantada do relatório final da CPI do Senado, pelo jornal O Estado de São Paulo, provocou uma reação de alguns senadores, contrários à indiciação do presidente Bolsonaro por homicídio qualificado. Por isso, o presidente da Comissão, senador Omar Aziz, decidiu adiar a publicação final do relatório para permitir mais debates. Segue o resumo do relatório como foi publicado no Estadão neste domingo. Com 1.052 páginas, o relatório final da CPI da Covid, vazado na edição dominical de O Estado de S. Paulo e passível de alterações, conclui que Jair Bolsonaro e seus cúmplices agiram intencionalmente para maximizar a contaminação de brasileiros com o coronavírus, na esperança de que se produzisse a suposta imunidade de rebanho:

Por Celso Lungaretti
Nem as orações dos evangélicos impedirão a punição de Jair Bolsonaro por seus crimes

O governo federal criou uma situação de risco não permitido, reprovável por qualquer cálculo de custo-benefício, expôs vidas a perigo concreto e não tomou medidas eficazes para minimizar o resultado, podendo fazê-lo. Aos olhos do Direito, legitima-se a imputação do dolo (intenção de causar dano, por ação ou omissão)“.

Coerentemente, é imputado ao Bozo (a quem são feitas nada menos do que 409 menções ao longo do texto) e a seu comparsa Eduardo Pazuello, ex-ministro pau-mandado da Saúde, o crime de homicídio qualificado.

Ao principal responsável pela terrível tragédia sanitária, acrescenta o relatório, também pode atribuir-se o crime de atrocidade.

E foi quantificado o número de vidas que poderiam ter sido salvas se o combate ao coronavírus fosse travado com rigor científico, ao invés de curandeirismo, charlatanismo e maracutaias: 120 mil.
O blog mantém, contudo, sua posição de que, por força da subnotificação na fonte e das manipulações na totalização, o total dos óbitos esteja ao redor de 1 milhão e o das vítimas causadas pela insanidade presidencial, entre 300 mil e 400 mil.
É a estimativa de instituições científicas do exterior, possuidoras da credibilidade que falta a tudo que esteja sob a influência do presidente mais mentiroso e crapuloso da história brasileira.
Se houvesse um ranking dos piores genocidas da História, que posição o palhaço sinistro ocuparia, comparativamente a congêneres como Mao, Gengis Khan, Stalin, Hitler, Tamerlão, Leopoldo II, Pol Pot, Vlad Dracul, etc.? Como já foi desmascarado e reduzido à impotência, certamente não tem mais chance de alcançar tal pelotão de elite. Mas, indiscutivelmente, ele é o maior matador de brasileiros de todos os tempos.
Finalmente, são minuciosamente dissecados no relatório os crimes e negociatas referentes a:

— gabinete paralelo;

— imunidade de rebanho;

— tratamento precoce;
— oposição a medidas farmacológicas;
— atraso na compra de vacinas;
— morticínio e caos no Amazonas;
— vacina Covaxin;
— hospitais federais do RJ;
— caso VTCLog;
— desvio para outras finalidades de verbas destinadas à pandemia;
— genocídio de indígenas e quilombolas;
— disseminação de fake news em larguíssima escala;
— Prevent Senior e planos de saúde.
Quanto ao último item, o dos conluiados com o Governo Bolsonaro para repetir no Brasil as experiências utilizando cobaias humanas que tiveram lugar em Auschwitz e outros campos de concentração e/ou extermínio hitleristas, é sugerido o indiciamento de uma médica por homicídio, de dois sócios da empresa por vários crimes, inclusive contra a humanidade, e de mais 8 pessoas.
Por incitação ao crimee por levarem a população a adotar comportamentos inadequados, a CPI recomenda o indiciamento por dos seguintes réprobos de humanidade:

— Jair Bolsonaro;

— Eduardo Bolsonaro;
— Carlos Bolsonaro;
— Flávio Bolsonaro;
— deputada Bia Kicis;
— deputada Carla Zambelli;
— deputado Carlos Jordy;
— blogueiro Allan dos Santos;
— empresário Luciano Hang;
— empresário Otávio Fakhoury;
— pastor Silas Malafaia;
— assessor Felipe Martins;
— assessor Tércio Arnaud.
Diferentemente, o crime imputado ao deputado Ricardo Barros é o de formação de quadrilha; e ao presidente do Conselho Federal de Medicina, Mauro Luiz de Biroto Ribeiro, o de epidemia culposa com resultado morte.
(por  Celso Lungaretti, jornalista, editor do blog Náufrago da Utopia)
Direto da Redaçao é um fórum de debates publicado no Correio do Brasil pelo jornalista Rui Martins.

Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/bolsonaro-podera-ser-indiciado-por-homicidio-qualificado/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias