Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Donald Trump diz que teria preferido tom mais ‘suave’ como presidente

6 de Novembro de 2018, 11:09 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 25 vezes

Trump fez uma série de aparições na mídia e em eventos de campanha nos Estados de Ohio, Indiana e Missouri um dia antes das eleições que determinarão se seu Partido Republicano manterá controle do Congresso.

Por Redação, com Reuters – de Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na segunda-feira que gostaria de ter adotado um tom mais suave durante seus dois primeiros anos na Casa Branca, apesar de continuar a criticar democratas e provocar temores sobre imigração no último dia de campanha antes das eleições parlamentares desta terça-feira.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Questionado em entrevista à operadora de TV Sinclair Broadcasting se se arrependia de algo durante seus dois primeiros anos no poder, Trump respondeu: “Eu diria o tom”.

– Eu gostaria de ter um tom muito mais suave – acrescentou. “Eu sinto que até certo ponto eu não tenho escolha, mas talvez eu tenha e talvez eu pudesse ter sido mais suave desse ponto de vista”.

Trump fez uma série de aparições na mídia e em eventos de campanha nos Estados de Ohio, Indiana e Missouri um dia antes das eleições que determinarão se seu Partido Republicano manterá controle do Congresso.

Campanha de Trump

A rede NBC, a Fox News e o Facebook retiraram de circulação uma peça publicitária de campanha que liga a caravana de migrantes centro-americanas a um assassino de um policial.

A peça é aprovada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e foi considerada “racista” pela CNN, afirmaram as empresas de comunicação e mídia nesta segunda-feira.

Os anúncios de televisão que seriam veiculados em horário nobre foram pagos pela campanha “Donald J. Trump for President” foram veiculados durante a transmissão semanal de futebol norte-americano na noite de domingo, o chamado Sunday Night Football.

A peça variava entre cenas do julgamento de Luis Bracamontes, um imigrante mexicano irregular condenado pelo assassinato de dois policiais na Califórnia em 2014, e imagens da caravana de migrantes, que tem se movimentado lentamente pelo México em direção aos Estados Unidos.

O anúncio foi transmitido nos intervalos das populares transmissões esportivas para incentivar os eleitores a escolherem candidatos do partido Republicano de Trump nas eleições parlamentares desta terça-feira, que podem determinar se os republicanos irão ou não manter a maioria no Congresso do país.

– Depois de revisões reconhecemos a natureza insensível da peça e decidimos interromper sua transmissão em nossa rede assim que possível – disse um porta-voz da NBC Universal, que é de propriedade da Comcast Corp, em um comunicado nesta segunda-feira.

O anúncio foi rejeitado anteriormente pela CNN, que o chamou de “racista”.

– A CNN deixou absolutamente claro em sua cobertura editorial que esta peça era racista. Quando apresentada com uma oportunidade para receber pela veiculação deste anúncio, nós recusamos. Esses são os fatos – publicou a conta oficial da emissora no Twitter no sábado.

A Fox News emitiu um comunicado sobre a retirada da peça pouco depois da NBC, de acordo com uma informação da CNN.

– Depois de revisão, a Fox News retirou o anúncio ontem e ele não será veiculado no canal Fox News ou na Fox Business Network – disse Marianne Gambelli, presidente de vendas de propagandas, em um comunicado.

O Facebook aderiu ao gesto e disse que não permitiria mais a promoção paga do anúncio pois ele violava as políticas da plataforma em relação a conteúdo sensacionalista.

Entretanto, o Facebook não impediu seus usuários de compartilharem o vídeo. A empresa disse que levava a publicidade em sua plataforma a um padrão mais elevado.

– Este anúncio viola a política de propaganda do Facebook contra conteúdos sensacionalistas, então iremos rejeitá-lo – disse um porta-voz do Facebook em comunicado. “Embora seja permitido que ele seja postado no Facebook, o vídeo não pode receber patrocínio para distribuição”.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/donald-trump-preferido-tom-presidente/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias