Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Mães lactantes enlutadas podem doar leite, diz Anvisa

24 de Setembro de 2021, 10:19 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 35 vezes

As mães nessa situação que desejarem doar leite materno precisam somente conferir os requisitos definidos pela legislação. Não podem doar leite materno, por exemplo, mulheres que fazem uso de drogas ilícitas e remédios considerados não compatíveis com a amamentação.

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou nota lembrando que mães lactantes enlutadas pela perda do filho ou filha ainda assim podem doar leite. Apesar da situação trágica, essas mães podem contribuir caso desejem com esse tipo de doação.

As lactantes devem procrurar o banco de leite para fazer a doação

As mães nessa situação que desejarem doar leite materno precisam somente conferir os requisitos definidos pela legislação. Não podem doar leite materno, por exemplo, mulheres que fazem uso de drogas ilícitas e remédios considerados não compatíveis com a amamentação.

Também são vedadas pessoas que fumam mais de 10 cigarros por dia, que fazem consumo de álcool ou que não tenham exames compatíveis com essa prática.

Elas devem buscar um banco de leite materno em sua cidade e consultar um médico para avaliar a possibilidade. São esses os profissionais credenciados para decidir sobre as doações nos bancos de leite materno.

Aleitamento materno

Segundo o Ministério da Saúde, o aleitamento materno pode reduzir em até 13% as taxas de mortalidade infantil nos primeiros cinco anos da criança. Entre 1986 e 2020, essa alternativa como fonte principal de alimentação no primeiro ano de vida passou de 30% para 53,1%.

De acordo com dados da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), 40% das crianças têm aleitamento materno no mundo. Na América Latina, menos da metade das crianças mamam na primeira hora de vida.

Risco de gestantes contraírem covid-19

Estudo liderado por pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe (UFS) mapeou os 50 municípios brasileiros em que há maior risco de gestantes e puérperas serem infectadas com a covid-19. A pesquisa foi publicada na revista The Lancet Regional Health – Americas.

Entre os 50 municípios identificados com alto risco para gestantes e puérperas, a Paraíba tem o maior número de cidades nessa condição (13). Em seguida, estão os Estados do Ceará (7), Amazonas (7), São Paulo (7), Rio Grande do Sul (6), Minas Gerais (4), Paraná (3), Mato Grosso (2) e Santa Catarina (1).

De acordo com o estudo, os diagnósticos e mortes maternas por covid-19 ocorreram de forma heterogênea nas regiões brasileiras e se concentraram em municípios do interior do país, explicitando a relação do avanço da contaminação com as condições de vida da população.

– Observamos que aqueles municípios com menos recursos de infraestrutura em saúde e maiores desigualdades socioeconômicas tiveram as maiores taxas de incidência e de mortalidade materna pela covid-19. São aqueles municípios com deficiências na sua estrutura e cobertura de saúde – destacou o epidemiologista e professor do programa de pós-graduação em Ciências da Saúde da UFS, Victor Santana Santos, que liderou o trabalho.

O mapeamento dos casos e óbitos provocados pela doença na população obstétrica no Brasil considerou um período de 16 meses, de março de 2020 a junho de 2021. Foram usados dados do Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe do Ministério da Saúde (SIVEP). No período, o país registrou 13.858 casos e 1.396 mortes por covid-19 de mulheres grávidas e em pós-parto.

O estudo também mapeou 15 cidades brasileiras em que há risco elevado de morte materna por covid-19. Quatro destes municípios estão localizados em Minas Gerais. Os outros pertencem aos estados de São Paulo (3), Goiás (2), Mato Grosso do Sul (1), Amazonas (1), Roraima (1), Pernambuco (1), Bahia (1) e Rio Grande do Sul (1).

– A identificação dessas áreas geográficas poderia ser utilizada para direcionar ações efetivas de testagem de massa, isolamento de casos para mitigar a propagação da doença, bem como a destinação de recursos em saúde necessários para prevenir mortes maternas. Os dados também reforçam que elas constituem um grupo prioritário para receber vacinas contra covid-19 – acrescentou Santos.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/maes-lactantes-enlutadas-podem-doar-leite-diz-anvisa/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias