Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Manifestantes protestam contra extrema direita em Washington

13 de Agosto de 2018, 10:26 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 21 vezes

No aniversário de violenta marcha de supremacistas brancos em Charlottesville, manifestantes saem às ruas da capital aos gritos de “Voltem para casa, nazistas”, em oposição a pequeno grupo de extremistas de direita

Por Redação, com DW – de Washington

Milhares de pessoas se reuniram em Washington no domingo em oposição a uma manifestação de supremacistas brancos, marcando o aniversário de um ano de uma marcha de extrema direita em Charlottesville, na Virgínia, que resultou em violência e na morte de uma mulher.

Manifestantes contra o racismo exibiram cartazes com mensagens pedindo o fim da supremacia branca

Os organizadores da marcha de extrema direita de domingo esperavam reunir de 100 a 400 pessoas, segundo o pedido de autorização para realizar o evento enviado ao município, mas apenas cerca de 20 supremacistas brancos compareceram.

Para evitar confrontos, a polícia de Washington reservou um espaço cercado próximo à Casa Branca ao grupo de extrema direita. Por trás das barreiras, o grupo foi vaiado com gritos de “Voltem para casa, nazistas” e “Vergonha, vergonha, vergonha” por manifestantes que exibiam cartazes com mensagens como “Sem ódio, sem medo” ou “Defendamo-nos da supremacia branca”.

A manifestação de extrema direita teve início às 16h locais e terminou cerca de uma hora e meia depois, quando começou a chover forte.

Em 12 de agosto de 2017, centenas de supremacistas brancos, incluindo neonazistas, skinheads e membros do Ku Klux Klan, se reuniram em Charlottesville na marcha “Unite the Right”, para protestar contra a decisão da cidade de remover uma estátua do general confederado Robert E. Lee de um parque.

A manifestação do ano passado, organizada por Jason Kessler, que também liderou a marcha deste domingo em Washington, resultou na morte por atropelamento de Heather Heyer, de 32 anos. O carro que atropelou Heyer era conduzido por um extremista de direita que investiu contra um grupo de manifestantes contra o racismo.

Uma manifestação contra o racismo e a supremacia branca também foi realizada por ativistas e estudantes em Charlottesville neste fim de semana. A mãe de Heyer visitou o local do ataque e afirmou que os Estados Unidos ainda precisam fazer muito para curar as feridas oriundas do racismo.

Os eventos

Os eventos foram, em geral, pacíficos, embora com momentos tensos, e fizeram parte de um programa de discursos, vigílias e marchas pelo aniversário da marcha de Charlottesville, um dos maiores encontros de supremacistas brancos e outros grupos de extrema direita em uma década no país. Uma pessoa foi presa em Washington, e quatro outras em Charlottesville.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que causou revolta no ano passado ao culpar ambos os lados pela violência, não estava em Washington neste ano, mas em seu clube de golfe em Nova Jersey.

Trump se manifestou no Twitter sobre o ocorrido há um ano, afirmando que condena todos os tipos de racismo e violência. “Os tumultos em Charlottesville há um ano resultaram em morte e divisão sem sentido. Precisamos nos unir como nação”, escreveu.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/manifestantes-protestam-extrema-direita-washington/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias