Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Nova pesquisa mostra Lula na dianteira e queda de Bolsonaro

26 de Novembro de 2021, 16:46 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 24 vezes

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por sua vez, caiu 3 pontos percentuais em relação ao último levantamento e soma agora 25% das intenções de voto para 2022. Em terceiro lugar, quem aparece desta vez é Sergio Moro (Podemos), com 11%.

Por Redação – de São Paulo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera todas as intenções de votos para 2022, segundo a pesquisa do Instituto Ipespe divulgada nesta sexta-feira. De acordo com o levantamento, o petista manteve os 42% nos dois cenários apresentados e vence qualquer candidato no 2º turno.

LulaLula tem se consolidado como possível vencedor das próximas eleições

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por sua vez, caiu 3 pontos percentuais em relação ao último levantamento e soma agora 25% das intenções de voto para 2022. Em terceiro lugar, quem aparece desta vez é Sergio Moro (Podemos), com 11%. Ciro Gomes (PDT), que até então vinha sendo o melhor colocado na terceira via, recuou 2 pontos percentuais, contabilizando 9% no atual levantamento.

João Doria (PSDB), Eduardo Leite (PSDB), Luiz Henrique Mandetta (União Brasil), Rodrigo Pacheco (PSD) e Felipe d’Avila (Novo) não passam de 2%.

Disputa

Pesquisa IpespeFonte: Ipespe

No segundo turno, Lula é quem também se sai melhor. Contra o atual presidente, o petista abre 20 pontos percentuais de vantagem: 52% contra 32% do ex-capitão. Na disputa com Moro, Lula tem 51% e o ex-juiz 34%. Já contra Ciro, o ex-presidente fica com 50% e o pedetista apenas 27.

A maior vantagem do ex-presidente é contra os candidatos do PSDB. Em um eventual segundo turno contra os tucanos, Lula mantém patamares acima de 50%, Doria amarga 22% e Leite apenas 20%. Nos dois casos, os tucanos ficam abaixo de brancos e nulos, que teriam 27% e 29%.

Na pesquisa estimulada, aquela que não apresenta os nomes de candidatos e considerada como o melhor retrato do momento, Lula também aparece na frente. Segundo o Ipespe, o petista tem 32%, enquanto Bolsonaro fica com apenas 22%. Ciro Gomes e Moro empatam com 3% das intenções de voto. Os resultados neste caso demonstraram pouco variação em comparação ao levantamento anterior.

Propostas

Entre as motivações apontadas pelos entrevistados para escolher um dos candidatos, as propostas apresentadas até o momento são os que mais se destacam. Ao todo, 39% dos eleitores indicaram que as propostas motivaram a escolha. 35% também apontaram ver no candidato escolhido a melhor opção de nome apresentado e só 20% disseram que irão votar em alguém para evitar que outro candidato vença a eleição.

Pela ausência de ações e de propostas, a desaprovação a Jair Bolsonaro é ainda maior no Sudeste e Nordeste do que em outras regiões do país, aponta a pesquisa Exame/Ideia, divulgada também nesta manhã. De acordo com o estudo, 66% dos eleitores nordestinos desaprovam a atual gestão do chefe do Executivo Federal.

No levantamento anterior, realizado em janeiro, este índice era de 40%. No Sudeste, a reprovação alcança 54%, ante 35% da pesquisa anterior.  As duas regiões concentram cerca de 150 milhões de habitantes, quase 70% da população do país, são consideradas essenciais no jogo eleitoral de 2022, que tem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à frente de todas as pesquisas sobre o pleito presidencial de 2022.

Para tentar reverter os baixos índices de popularidade, Bolsonaro vem intensificando as viagens às duas regiões. Nos últimos três meses, Bolsonaro realizou ao menos sete viagens oficiais para o Nordeste e outras sete para o Sudeste. As regiões Norte, Sul e Centro-Oeste foram visitadas três vezes cada uma no mesmo período.

A pesquisa ouviu 1.277 pessoas por telefone entre os dias 18 e 22 de novembro. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/nova-pesquisa-mostra-lula-dianteira-queda-bolsonaro/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias