Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Perspectiva de crescimento mundial eleva preços mundiais do petróleo

7 de Abril de 2021, 16:22 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 13 vezes

“O otimismo sobre as perspectivas econômicas globais impulsionou o sentimento no mercado de petróleo”, disseram analistas do banco ANZ, em relatório divulgado nesta quarta-feira.

Por Redação, com agências internacionais – de Bruxelas

Os preços do petróleo subiam nesta quarta-feira, em meio a perspectivas de forte crescimento econômico global, embora tenham chegado a operar no território negativo à medida que negociações para reviver um acordo nuclear com o Irã abrem a possibilidade de alívio em sanções às exportações de petróleo do país. O petróleo Brent subia US$ 0,48, ou 0,77%, a US$ 63,22 por barril, às 7h59 (horário de Brasília). Já o petróleo dos Estados Unidos avançava US$ 0,38, ou 0,64%, a US$ 59,71 por barril.

A recomposição dos estoques norte-americanos fez os preços do petróleo recuarA cotação do petróleo sobe, diante das notícias sobre o controle mundial da pandemia

“O otimismo sobre as perspectivas econômicas globais impulsionou o sentimento no mercado de petróleo”, disseram analistas do banco ANZ, em relatório divulgado nesta quarta-feira.

Mercado

O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse na terça-feira que gastos públicos sem precedentes no combate à covid-19 ajudarão o crescimento global a atingir 6% neste ano, uma taxa de expansão não vista desde os anos 1970. Mas um possível aumento nos estoques de combustíveis nos EUA e as conversas com o Irã pesavam sobre as cotações.

Nos EUA, os estoques de petróleo recuaram em 2,6 milhões de barris na semana encerrada em 2 de abril, enquanto os de gasolina subiram em 4,6 milhões de barris, disseram três fontes de mercado, citando o Instituto Americano de Petróleo (API, na sigla em inglês).


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/perspectiva-crescimento-mundial-eleva-precos-mundiais-petroleo/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias