Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Presidente do NDB vê novo momento para globalização

17 de Setembro de 2021, 16:05 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 19 vezes

Segundo o executivo do banco formado pelo BRICS – grupo que reúne África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia –, Marcos Troyjo, já há elementos e projeções econômicas que mostram a tendência de uma nova globalização, que reúne os países mais desenvolvidos do mundo, ao lado daqueles ainda em desenvolvimento.

Por Redação – de Brasília

Presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), o economista Marcos Troyjo, em audiência no Senado, afirmou que o momento atual representa “um novo capítulo da globalização” que favorecerá significativamente países emergentes, em especial o Brasil, por meio do agronegócio e dos financiamentos em infraestrutura.

Marcos TroyjoPresidente do banco formado pelo BRICS, o economista Marcos Troyjo acredita em um novo momento econômico

Segundo o executivo do banco formado pelo BRICS – grupo que reúne África do Sul, Brasil, China, Índia e Rússia –, já há elementos e projeções econômicas que mostram essa tendência. Falando via online, de Xangai (China) à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, Troyjo começou o discurso dizendo que a atual geração é “testemunha secular” de uma “mudança nas placas tectônicas da economia global”, o que criará “janelas de oportunidades inéditas” para o Brasil e para países que têm as características dos nossos vizinhos na América do Sul.

Sete maiores

— Tenho certeza de que, quando os historiadores do futuro olharem esse momento que vivemos agora, vão achar que os anos de 2020 e 2021 realmente representaram divisão de águas e início de uma nova era; de um novo capítulo da globalização. Digo isso porque, se somarmos o PIB medido pelo poder de paridade de compra do chamado G7, que são as sete economias mais maduras (EUA, Japão, Alemanha, Franca, Reino Unido, Itália e Canadá), esse total combinado dá algo como US$ 42 trilhões — calcula.

Ainda segundo Troyjo, “se somarmos o que chamo de E7, que é o PIB das sete maiores economias emergentes do mundo (China, Índia, Rússia, Brasil, Indonésia, México e Turquia), veremos uma soma de US$ 53 trilhões de PIB combinado”.

— Ou seja, hoje os sete maiores emergentes têm PIB maior, em termos de paridade de compra, do que o G7 — resumiu.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/presidente-ndb-novo-momento-globalizacao/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias