Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Schelotto diz que Pavón está liberado para defender o Boca Juniors

7 de Dezembro de 2018, 13:58 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 18 vezes

O técnico manteve aberta durante a entrevista coletiva a dúvida no setor ofensivo, sobre atuar com apenas um atacante centralizado e dois abertos, ou uma dupla na área, como aconteceu no primeiro jogo, na ausência de Pavón.

Por Redação, com EFE – de Madri

O técnico Guillhermo Barros Schelotto, do Boca Juniors, confirmou nesta sexta-feira que o atacante Cristian Pavón está recuperado de lesão muscular e poderá atuar no clássico contra o River Plate, daqui dois dias, pela volta da final da Taça Libertadores, que acontecerá no estádio Santiago Bernabéu, em Madri.

O técnico Guillhermo Barros Schelotto, do Boca Juniors,

– Pavón está bem, na segunda-feira treinou sem problemas, na terça-feira treinou normal, sem dor, portanto, está em perfeitas condições para estar disponível para o treinador – disse o comandante ‘xeneize’, em entrevista coletiva.

Schelotto manteve mistério sobre o retorno do atacante ao time titular no jogo deste domingo. Mesmo sem confirmá-lo em campo no apito inicial, o comandante do Boca Juniors aproveitou para elogiar o atacante no encontro com jornalistas, realizado no centro de treinamento da seleção espanhola.

– É um jogador de nível internacional. Cresceu muito nos últimos dois ou três anos e explodiu. Um atacante com faro de gol – afirmou.

O técnico manteve aberta durante a entrevista coletiva a dúvida no setor ofensivo, sobre atuar com apenas um atacante centralizado e dois abertos, ou uma dupla na área, como aconteceu no primeiro jogo, na ausência de Pavón.

– Vou definir antes do jogo, mas, tenho claro, sobre como fazer, se jogar com dois ou três atacante – respondeu Schelotto, diante de insistentes questões sobre a formação.

O treinador do Boca aproveitou para falar de tudo que cercou a segunda partida da decisão, a partir do ataque ao ônibus que levava a delegação do time para o estádio Monumental de Núñez, no último dia 24 de novembro.

– O que aconteceu há 15 dias acontece muito no futebol sul-americano e argentino, e é lamentável. É o momento de mudar. Não poder jogar um River e Boca na Argentina é lamentável. É a hora de tomar medidas e começar a ser exemplo – garantiu.

Rivaldo critica final da Libertadores em Madri

O ex-jogador brasileiro Rivaldo criticou nesta sexta-feira a medida da Conmebol de tirar o segundo jogo da Taça Libertadores, entre River Plate e Boca Juniors, da Argentina e levar para a Espanha, e a escolha do croata Luka Modric, do Real Madrid, como vencedor da Bola de Ouro, da revista France Football.

– É sem sentido. A decisão de jogar em Madri é ruim para a Argentina e para a segurança do país. Muitas pessoas começarão a pensar que a Argentina não está em condições de abrigar eventos de prestígio. Deveriam enfrentar o problema e não fugir para outro continente – disse o antigo jogador de Corinthians, Palmeiras, Cruzeiro e São Paulo.

Sobre o prêmio de melhor jogador do mundo, Rivaldo avaliou a vitória de Modric como sem sentido, e apontou que o vencedor do prêmio deveria ter sido o atacante português Cristiano Ronaldo, da Juventus.

– A ausência de Ronaldo está motivada por um sentimento de injustiça. As suas expectativas não se cumpriram depois de uma temporada de tanto êxito – disse o brasileiro.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/schelotto-pavon-liberado-defender-boca-juniors/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias