Ir para o conteúdo

Correio do Brasil

Voltar a CdB
Tela cheia Sugerir um artigo

Tentativa de assalto a bancos deixa mortos no Ceará

7 de Dezembro de 2018, 13:36 , por Correio do Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 21 vezes

De acordo com nota oficial da prefeitura, alguns suspeitos conseguiram fugir e estavam sendo perseguidas pela polícia nesta manhã, inclusive com a ajuda de helicópteros.

Por Redação, com Reuters – de Fortaleza

Uma tentativa de assalto a duas agências bancárias na cidade de Milagres, no Ceará, resultou em troca de tiros entre policias e suspeitos fortemente armados na madrugada desta sexta-feira, informou a prefeitura da cidade, em um incidente que deixou pelo menos 13 mortos, de acordo com o portal de notícias G1.

Tentativa de assalto a bancos deixa ao menos 13 mortos no Ceará

Em nota oficial, o governo de Milagres afirmou que “bandidos fortemente armados” tentaram assaltar agências bancárias na madrugada e foram frustrados por policiais. A prefeitura não citou número de vítimas.

De acordo com o G1, seis reféns foram mortos, incluindo duas crianças.

Procurada, a Polícia Militar do Ceará não tinha posicionamento de imediato.

De acordo com nota oficial da prefeitura, alguns suspeitos conseguiram fugir e estavam sendo perseguidas pela polícia nesta manhã, inclusive com a ajuda de helicópteros.

O governo municipal suspendeu os serviços nas repartições públicas locais “em concordância com as orientações” da PM.

– A recomendação é que todos permaneçam em suas casas até que a ordem seja restabelecida – disse o governo municipal.

Acidentes

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) anunciou na quinta-feira em Brasília, o início da Operação Integrada Rodovida 2018/2019. Pelo oitavo ano consecutivo, forças federais, estaduais e municipais vão atuar conjuntamente a fim de tentar evitar acidentes de trânsito. Na prática, o policiamento nas estradas federais começará no próximo dia 14.

– Todos que viajarem por rodovias federais vão observar aumento no policiamento rodoviário – disse o diretor-geral da PRF, Renato Dias, em coletiva. Além do habitual reforço do efetivo federal durante o período de férias, policiais rodoviários federais de folga que se voluntariem a trabalhar podem ser escalados conforme a necessidade.

O planejamento vai priorizar o reforço da fiscalização nos pontos críticos das rodovias. A operação será dividida em dois períodos, abrangendo as festas de Natal e Ano Novo, férias escolares e Carnaval – feriados marcados pelo aumento no fluxo de veículos e de passageiros. O primeiro período irá de 14 de dezembro a 31 de janeiro. Já a segunda etapa ocorrerá entre 22 de fevereiro até 9 de março de 2019.

Ao longo do período, a PRF e os demais órgãos públicos vão intensificar a fiscalização para coibir, principalmente, ultrapassagens irregulares; excesso de velocidade; consumo de álcool; atropelamentos de pedestres e o trânsito irregular de motocicletas. Simultaneamente, os ministérios da Justiça, das Cidades, dos Transportes e da Saúde promoverão companhas publicitárias de conscientização em todo o Brasil.

De acordo com Dias, além de garantir segurança e conforto aos usuários das rodovias federais, a iniciativa visa a cumprir o compromisso que o Estado brasileiro assumiu com a Organização das Nações Unidas (ONU), se comprometendo a reduzir em 50% o número de mortos e feridos em acidentes de trânsito.

– O Brasil é signatário da Década Mundial de Segurança Viária 2011/2020 e tem que fazer um esforço operacional para reduzir e cumprir a meta de reduzir em 50% a letalidade. Somente nas rodovias federais, desde 2011, já conseguimos reduzir em 30% o número de mortos e em 32% a quantidade de acidentes graves – afirmou Dias.

Segundo o Ministério da Saúde, o percentual de redução de óbitos por acidentes, quando considerada a malha viária nacional, é de apenas 12,8%. A diretora do Departamento de Doenças e Agravos Não Transmissível e Promoção da Saúde, do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, informou que cerca de 35 mil pessoas morreram ou ficaram gravemente debilitados em função de acidentes de trânsito registrados em 2014.

– Isso impacta as famílias, a sociedade e os investimentos públicos. Ao reduzir o número de acidentes graves e a mortalidade, estamos conseguindo não só salvar vidas e evitar que muita gente fique com uma deficiência para o resto da vida, mas também economizando milhões que podem ser investidos em outras áreas prioritárias.

Segundo Fátima, o Sistema Único de Saúde (SUS) gasta cerca de R$ 500 milhões ao ano só com a hospitalização de pessoas acidentadas no trânsito. “Economizando com os tratamentos, podemos investir mais em prevenção e no tratamento de doenças para as quais o orçamento também é limitado.”

A PRF calcula que os cofres públicos economizaram bilhões com a redução no número de acidentes sem vítimas. Enquanto em 2012 os sinistros acarretaram um custo total de R$ 12,9 bi para os cofres públicos (mesma quantia gasta em 2013), em 2017, foram gastos R$ 8,9 bilhões.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, durante a cerimônia de lançamento da Operação Integrada Rodovida, destacou que as medidas que vem sendo adotadas desde 2011 ajudaram a salvar 6.435 vidas nos dois últimos anos – resultado obtido a partir do cálculo feito pela PRF caso a quantidade de acidentes tivesse mantido o crescimento verificado há sete anos.

– Embora os números ainda nos preocupe, estou certo de que a PRF e os órgãos que compartilham deste trabalho acelerarão nesta tendência de queda para que, ao fim de 2020, quando se encerra a Década do Trânsito Seguro, possamos dizer que reduzimos os acidentes – disse Jungmann.


Fonte: https://www.correiodobrasil.com.br/tentativa-assalto-bancos-mortos-ceara/

Rede Correio do Brasil

Mais Notícias