Ir para o conteúdo

Everton de Andrade

Voltar a Blog Ponto de Vista
Tela cheia

Atualização das linhas da mendicância em Curitiba

19 de Dezembro de 2018, 14:38 , por Everton de Andrade - | No one following this article yet.
Visualizado 50 vezes
Licenciado sob CC (by)

Enquanto Chapeuzinho Vermelho declara viver uma lua de mel com queijo ao lado de Ratazana, o ligeirinho Inter 2 entra na relação de itinerários preferidos pelos mendicantes em Curitiba.

Nos últimos dias, inclusive, um senhor deficiente visual e auditivo, com aparelhos nos dois ouvidos, se debatia num ônibus da mencionada linha, para pedir doações no trajeto entre os bairros Tarumã e Capão da Imbuia.

Por outro lado, se a família Bozo cumprir a promessa de desregulamentar ainda mais as relações trabalhistas, e se o salário mínimo for extinto, muita gente poderá ser obrigada a trabalhar doze horas por dia, de domingo a domingo, e, complementarmente, passar mais três horas por dia solicitando doações nos ônibus da cidade, para sustentar a família.

Além disso, se o Paulo Forca levar a termo o propósito de gerar superávit primário o quanto antes, extinto o salário mínimo e tomando-se por base a disponibilidade de caixa do governo federal, qual será o valor mínimo depositado aos aposentados do INSS, talvez cinquenta reais por mês?

Ou seja, caso aconteça a radicalização do liberalismo nas relações trabalhistas e previdenciárias a partir de 2019, talvez existirão mais mendigos do que usuários convencionais nos ônibus da capital paranaense.