Ir para o conteúdo

Fundação Perseu Abramo


Tela cheia Sugerir um artigo

Elvino Bohn Gass

25 de Fevereiro de 2014, 11:31 , por Blogoosfero - | No one following this article yet.

NOVO VÍDEO-AULA DE BOHN GASS DERRUBA A TESE GOLPISTA DAS “PEDALADAS FISCAIS”

16 de Outubro de 2015, 18:25, por News

Já está virando onda. O deputado federal Elvino Bohn Gass (PT/RS) fez mais um vídeo-aula sobre a conjuntura política brasileira e, de novo, a gravação bombou na internet. Em pouco mais de 24 horas na rede, a gravação já havia sido vista por mais de 1 milhão de pessoas e o número de compartilhamentos já ultrapassara os 6 mil.

Desta vez, Bohn Gass explicou didaticamente que as chamadas “pedaladas fiscais” não passam de um encontro de contas entre governo e bancos públicos, que isso não é uma operação de crédito, que no ano de 2014 a Caixa Federal pagou R$ 141 milhões de juros ao governo e que Dilma não cometeu nenhum crime nem roubou um centavo. “Então, tentar usar isso para justificar um impeachment, é puro golpismo”, conclui o parlamentar. Além disso, Bohn Gass informa que o mesmo procedimento foi adotado em outras gestões (Itamar e FHC, por exemplo) sem que, no entanto, o Tribunal de Contas da União tenha sugerido a rejeição das contas desses governos.

Este é o quarto vídeo-aula de Bohn Gass em 2015. Os outros, sobre os malefícios da terceirização, riscos da redução da maioridade penal e o funcionamento do esquema golpista da oposição à Dilma, alcançaram, juntos, cerca de 20 milhões de pessoas. Com o de agora, este número já chega próximo dos 22 milhões de visualizações.

Assista aqui o vídeo-aula onde Bohn Gass desmonta a farsa das pedaladas. Ah, e compartilhe, curta, comente.

 



Artigo - Contra o golpismo, ajustar o ajuste - por Elvino Bohn Gass

16 de Outubro de 2015, 17:50, por News

A eleição de Dilma para o quarto mandato consecutivo do PT foi demais para uma oposição que nunca soube fazer política longe do centro de decisão e que, historicamente, manteve-se no poder à custa de baixos investimentos sociais e muito dinheiro distribuído a apaniguados. Em 2002, Lula rompeu este ciclo vencendo a eleição e adotando políticas públicas revolucionárias na agricultura familiar e na educação, ações ousadas no campo social e uma política externa altiva. Desde então, o Brasil projetou-se no mundo como uma Nação que, enfim, respeita seu povo. O presidente-operário superou as expectativas. Com ele, o país cresceu e distribuiu de renda.

CRISE & CORRUPÇÃO - Veio 2008 e a mais grave crise econômica mundial desde 1929. Já sob o comando de Dilma, o Brasil resistiu bravamente. Manteve inflação, emprego, investimentos e reservas em níveis extraordinariamente satisfatórios. E em plena crise, realizou a façanha de sair do mapa da fome. Mas não somos uma ilha e a crise, afinal, nos atingiu. Às dificuldades econômicas juntaram-se os escândalos de corrupção que hoje vêm à tona porque há um governo que não mais engaveta malfeitos, ao contrário, prima pela apuração transparente.

Enquanto isso na oposição, demotucanos&cia derrotados nas urnas, seguiam à cata de discurso e coerência. Foi então que enxergaram na combinação crise-corrupção uma chance. Algo como “e se culpássemos o PT por tudo o que está acontecendo?”. Havia chances de a mentira prosperar, afinal, desta vez contavam não apenas com a eterna conivência midiática, mas, também, com uma população vulnerabilizada pela dificuldade econômica e indignada com a roubalheira. Foi assim que a oposição à Dilma passou a adotar um comportamento tão cínico que nega evidências: de que há muita gente sua metida na ladroagem e de que a crise é mundial, não apenas brasileira. Chegaram ao ponto de tentar justificar um impeachment com base em “pedaladas fiscais”, meros encontros de contas entre  governo e bancos públicos, corriqueiros em outras gestões (de FHC, inclusive), mas nunca antes apontados com a gravidade de agora.

 

AS OBSERVAÇÕES DE LULA - Mesmo atacada por todos os lados, Dilma seguiu firme no combate à crise. Neste cenário é que se inserem as medidas de ajuste que, agora, merecem observações do ex-presidente Lula. Quem, mais do que ele, tem direito e dever de fazê-las?

Lula pondera, por exemplo, que os cortes de gastos públicos não podem colocar em risco programas sociais. E justifica: isto seria razão aos derrotados da eleição que diziam ser o Estado brasileiro grande demais nas mãos do PT. Para Lula, a cada sinal de austeridade ao mercado, deve corresponder um recado ainda mais alto e claro aos trabalhadores de que seus direitos serão respeitados e os programas sociais mantidos. Não é uma equação simples quando se tem, de um lado, compromisso com o combate à inflação e ao desemprego; e, de outro, os representantes do deus-mercado, a oposição e a mídia a fazer pressão contrária.

Mas o alerta de Lula é que não se deve ceder à narrativa da crise feita pela oposição, porque ela é tão errática quanto os movimentos golpistas. E que, por isso mesmo, em lugar de elevar juros, por exemplo, deve-se pensar em taxar grandes fortunas e ganhos de capital, não de salário. Mas, note-se: Lula opina, não boicota ("Você sabe que cobramos, mas que somos amigos”, disse ele à Dilma). O que sugere é simplesmente um ajuste do ajuste, não o seu fim. Quem disser o contrário, desconhece a história de debates no PT. Ou pretende, simplesmente, enfraquecer o governo. Isso Lula não quer e não faz. Porque isso é parte do golpe.

Deputado Federal do RS, Secretário Nacional Agrário do PT



Congresso Em Foco: Bohn Gass entre os três melhores deputados federais do RS

15 de Outubro de 2015, 21:19, por News

 Elvino Bohn Gass (PT) foi apontado por um dos mais tradicionais veículos de informação da política brasileira, o site Congresso Em Foco, como um dos melhores deputados federais do Rio Grande do Sul no ano de 2015. Bohn Gass ficou em terceiro lugar (Onyx Lorenzoni e Maria do Rosário ficaram com o 1º e o 2º lugares) entre os 31 parlamentares federais gaúchos. O petista alcançou, ainda, a 41ª posição entre todos os 513 deputados da Câmara Federal. O paulista Jean Wyllys/PSOL foi o 1º colocado geral.

 “O importante é que alcançamos estas posições por meio da mobilização espontânea das pessoas, já que a votação é direta no site. Eu, que ainda me considero um novato aqui na Câmara porque estou apenas no início do meu segundo mandato, avalio este reconhecimento como um estímulo para seguir trabalhando pela qualidade de vidas das pessoas. Acho significativo ser o 3º entre os 31 gaúchos e o 41º entre os 513 do Brasil inteiro”, disse Bohn Gass.

            Segundo os organizadores, o Prêmio Congresso Em Foco visa “reconhecer o trabalho dos deputados federais que se destacam no cumprimento de suas obrigações ao longo do ano. A ideia é valorizar os bons exemplos, de modo a incentivar os parlamentares federais a desempenharem o papel que deles se espera, e, ao mesmo tempo, sinalizar ao eleitorado que melhorar a qualidade da nossa representação política é possível.”

            SEM QUALQUER SUSPEITA – Um dos critérios de qualidade estabelecidos pelo Congresso Em Foco é que só podem ser votados parlamentares que não sejam acusados de práticas ilícitas em inquéritos ou ações penais em andamento no Supremo Tribunal Federal. Assim, mesmo que um eleitor quisesse votar em alguém que é suspeito ou responde algum tipo de processo, não conseguiria, já que o próprio site elimina os deputados que estiverem nesta condição. “A Lei da Ficha Limpa impede a candidatura de quem já está condenado. No caso do Congresso Em Foco, o rigor é ainda maior, ou seja, só podem ser votados aqueles sobre quem não recai nenhuma suspeição”, explica o Analista e Consultor de Redes Sociais, Lucio Uberdan.

            OUTROS GAÚCHOS – Entre os 100 melhores colocados no concurso, aparecem, ainda, outros quatro deputados gaúchos: Carlos Gomes/PRB (64º), Henrique Fontana/PT (67º), João Derly/Rede (73º) e Dionilso Marcon/PT (92º). No Senado, o petista Paulo Paim foi o melhor colocado entre os gaúchos, ocupando a 10ª posição. Os demais gaúchos surgem na 13ª (Ana Amélia/PP) e 31ª (Lasier Martins/PDT) posições.



DILMA NÃO ROUBOU NEM UM CENTAVO E NÃO COMETEU CRIME ALGUM

9 de Outubro de 2015, 17:33, por News

- perguntas e respostas para entender a análise que o TCU fez sobre  as contas de 2014 do Governo Federal e suas consequências -

- DILMA ROUBOU?

Ninguém, nem mesmo Aécio ou qualquer outro adversário político ousa duvidar da honestidade da presidenta. E porque isso acontece? Por que Dilma é uma mulher decente e de valores tão sólidos que, mesmo sob a tortura dos militares, jamais se afastou de seus ideais democráticos e de liberdade. É por saber disso que até mesmo os que pretendem impedi-la de governar, jamais ousaram sequer sugerir que ela tenha roubado.

- PORQUE O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU) RECOMENDOU A REJEIÇÃO DAS CONTAS DE 2014 DO GOVERNO?

Por que o governou usou R$ 7 bilhões da Caixa Federal no Bolsa Família e R$ 1,4 bilhão do FGTS no Minha Casa, Minha Vida.

- ENTÃO, O QUE O GOVERNO FEZ FOI GARANTIR QUE PESSOAS MAIS POBRES CONTINUASSEM TENDO RENDA MÍNIMA E MORADIA?

Sim, isso mesmo, e o dinheiro da Caixa foi inteiramente pago, inclusive com juros. E, no caso do FGTS, a lei permite o uso, desde que o governo faça o ressarcimento. E o governo fez o ressarcimento. Mais: em 2014, o mesmo TCU julgou as contas da Secretaria de Habitação do Ministério das Cidades (que opera o Minha Casa, Minha Vida) e aprovou sem ressalvas.

- É A ISSO O QUE CHAMAM DE “PEDALADAS’?

Isso. É como acontece quando a gente “pedala” uma dívida que só podemos pagar uns dias depois do vencimento.

- O FERNANDO HENRIQUE TAMBÉM PEDALOU, O TCU SUGERIU A REJEIÇÃO DAS CONTAS DELE?

Pois é, ai está um fato muito estranho. O governo tucano fez a mesma coisa, aliás, foi o Fernando Henrique quem inaugurou a prática das “pedaladas” e, no entanto, o TCU não recomendou a rejeição das contas dele.

QUER DIZER QUE ESTE JULGAMENTO FOI DIFERENTE DE TODOS OS OUTROS?

Estranhamente, sim. Desta vez,

 

- E O QUE HOUVE COM O SEGURO-DESEMPREGO?

A acusação é de que o governo, sabendo que precisaria de R$ 9,2 bilhões a mais do que dispunha para pagar o seguro, não cortou os gastos para suprir esta despesa.

- DE NOVO, ENTÃO, NÃO HOUVE ROUBO?

Não, não houve. O governo apenas garantiu a renda dos desempregados. Além disso, o próprio governo já havia previsto mudanças nas regras e por isso não poderia prever déficit. Isso, porém, não foi levado em conta.

- FALA-SE EM USO DO BNDES NO PROGRAMA DE SUSTENTAÇÃO DO INVESTIMENTO (PSI). O GOVERNO FEZ ISSO?

O que o governo fez foi criar um programa em que, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), os empresários pudessem fazer empréstimos para garantir que a indústria nacional tivesse condições de comprar e produzir máquinas e equipamentos.

- O QUE HÁ DE ERRADO NISSO?

A tese do TCU é de que o governo atrasou o repasse da verba ao BNDES para cobrir os subsídios do programa. Mas o que o TCU não considerou é que a regulamentação do PSI permite o pagamento desses subsídios em até 24 meses após os empréstimos.

- O QUE MAIS?

O TCU incluiu outras duas questões muito discutíveis: que o governo deveria ter cortado despesas ao perceber que arrecadaria menos do que o previsto em 2014 e que editou decretos elevando despesas sem que tenha recebido autorização do Congresso para isso. O TCU chegou ao ponto de dizer que o governo deveria ter feito o contingenciamento e duas semanas depois, desfeito. Mero formalismo.

- MAS ESTADOS E MUNICÍPIOS TAMBÉM GASTAM MAIS DO QUE ESTÁ PREVISTO, NÃO?

Sim, esta é uma prática absolutamente corriqueira e, de fato, deve-se fazer de tudo para que não ocorra. Mas o que se deve saber neste caso é que o governo já havia enviado ao Congresso a previsão de redução da arrecadação e, portanto, não haveria diferença apontada pelo TCU. Além do mais, o Congresso aprovou aumento do limite de gastos, só que no final do ano.

- ESTAS SÃO QUESTÕES APENAS CONTÁBEIS?

De certo modo, sim. Infelizmente, os orçamentos são desequilibrados. Na maioria das vezes porque as despesas aumentam sem que se possa tê-las previsto. É comum em qualquer administração. Neste sentido, a Lei de Responsabilidade Fiscal é positiva porque pretende aproximar a realidade entre receita e despesa, mas, infelizmente, isso é muito mais um objetivo a ser alcançado do que propriamente a realidade dos municípios, dos estados e do país. Por esta mesma razão, dezenas de governadores e centenas de prefeitos deveriam ter suas contas rejeitadas. Neste ponto, o TCU deveria fazer um apontamento, mas jamais pedir a rejeição, porque é evidente que está sendo mais realista do que o rei.

- O QUE ACONTECE AGORA?

O que se tem é um parecer contrário do TCU às contas de 2014. Não há rejeição, porque o TCU é apenas um órgão auxiliar do governo e quem decide sobre a aprovação ou não das contas é o Congresso Nacional. Então, o parecer do TCU ainda precisa ser votado pela Câmara e pelo Senado.

- ISSO PODE LEVAR AO IMPEACHMENT?

Os golpistas vão tentar fazer disso o seu cavalo de batalha, mas a verdade é que não há qualquer acusação formal contra Dilma. O que foi apontado não é nenhum crime e, portanto, usar isso para tentar impedi-la de governar seria forçar muito a barra porque, afinal, a análise das contas aponta apenas atrasos em pagamentos e questões fiscais, mas nenhum centavo desviado para fins ilícitos.

- QUER DIZER QUE DILMA NÃO COMETEU NENHUM CRIME, NÃO ROUBOU?

Claro que não! Esta foi apenas uma análise das contas e não há, neste trabalho técnico, nada contra Dilma. Ela não cometeu crime algum e não desviou um centavo do dinheiro público.

 



AOS GOLPISTAS SÓ RESTA TORCER POR JULGAMENTOS DE EXCEÇÃO

7 de Outubro de 2015, 18:14, por News

Bohn Gass analisa a conjuntura política do dia 7 de outubro de 2015:

A direita golpista, derrotada política e eleitoralmente, com partidos aos frangalhos, sem programa e sem capacidade de oferecer uma visão de futuro para o Brasil, tenta, agora, fazer o combate ideológico ao PT a partir do TCU e do TSE. Num, o julgamento foi viciado pelo próprio relator. Noutro, a proposição não guarda qualquer sentido.

Sobre o TCU, vejamos, por exemplo, uma conversa ocorrida no Rio Grande do Sul, durante a Expointer, - feira agropecuária que aconteceu entre o final de agosto e o início de setembro - entre o senador Lasier Martins (PDT/RS) e o ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes. Peço que prestem atenção no período, porque ele é importante: a Expointer já encerrou há mais de um mês.

O senador Lasier é quem narra a conversa:

– Sentamos lado a lado na Expointer e perguntei (para Nardes): "No que vai dar esse negócio?”

Ele, respondeu:

- "O Tribunal de Contas vai rejeitar as contas da presidente”

Os jornais e rádios do RS reproduziram o diálogo que, portanto, é publico. Mas o que esta conversa revela? Não, não é um ministro do Tribunal de Contas da União adiantando o seu voto. É pior. Muito pior! É um ministro do Tribunal de Contas adiantando... O RESULTADO DE UM JULGAMENTO!!!

Assim, a análise que o TCU deve fazer hoje sobre o pedido de afastamento do ministro Nardes, não deve levar em conta apenas o fato de ele ter viciado o processo por ter adiantado o próprio voto antes da hora, mas por ter ferido de morte este julgamento ao anunciar seu resultado pelo menos um mês antes de ele acontecer. A mim não resta qualquer dúvida de que o ministro Nardes maculou de vez a análise das contas.

Mas qual é a tese? Ah, são as chamadas pedaladas fiscais, as mesmas utilizadas, por exemplo, por Fernando Henrique Cardoso... Para os golpistas, porém, basta fingir que isso não aconteceu e seguir na sua desesperada tentativa de impedir que Dilma siga governando. Para isso, agora, jogam todas as fichas em duas coisas: este julgamento absolutamente viciado e a abertura de investigação, pelo TSE, das contas da presidenta. Eles apostam, de novo, em julgamentos de exceção.

Sobre isso, aliás, quero dizer que estamos muito tranquilos. Não só porque estas contas já foram aprovadas pelo próprio TSE e por unanimidade. Mas porque para se chegar ao que querem os golpistas, que é penalizar Dilma, o TSE teria que concluir o impossível: que as doações oficiais e declaradas da campanha foram ilegais porque partiram de empresas suspeitas.

Bem, o TSE melhor do que qualquer outra instituição sabe que estas mesmas empresas doaram para o PSDB de Aécio, para o PSB, para o DEM e para quase todos os partidos. E se as doações ao PT não foram legais, porque seriam as recebidas por Aécio e um enorme número de parlamentares?

Eu confio plenamente que o Tribunal Eleitoral não se prestará a este tipo de postura discricionária. Principalmente porque não tenho nenhuma razão para sequer supor que o TSE fará o jogo dos golpistas.



“Com redução de ministérios, cargos e gastos, Dilma avança no combate à crise” diz Bohn Gass

2 de Outubro de 2015, 18:40, por News

- Em mais uma corajosa iniciativa para combater os trágicos efeitos da crise financeira mundial sobre o Brasil atual, a Presidenta Dilma anunciou nesta sexta-feira (2), em Brasília, o fim de oito ministérios, cortes de 10% no próprio  salário e no dos ministros, redução de 30% nos gastos de custeio e, ainda, a extinção de 3 mil cargos comissionados (CCs).

            O deputado Elvino Bohn Gass (PT) considera positivos os anúncios e avalia que mais importante do que a perda de espaço do PT no primeiro escalão, “é a demonstração que o governo dá ao país de que não medirá esforços para retomar o crescimento”. Bohn Gass diz, ainda, que apesar de ter críticas à política econômica baseada unicamente no ajuste, continuará apoiando o governo.  “Mesmo que, neste momento, tenhamos olhares distintos sob a forma de conduzir a economia, não tenho nenhuma dúvida da dignidade e da honradez de Dilma e de sua imensa vontade de acertar.”

            O parlamentar considera que a Presidenta demonstrou humildade ao reduzir o número de ministérios, ousadia na meta de redução do custeio, sensatez no corte do próprio salário e no dos ministros e confiança na própria capacidade de gestão ao diminuir os cargos de confiança. “Se o momento é de dificuldade, as providências precisam ser enérgicas. Ninguém melhor do que Dilma para saber onde e do quê o governo deve abrir mão nesta hora.”

            DISCURSO DO GOLPISMO - Em resposta às críticas de que Dilma estaria tomando decisões tardias e adotando o receituário da oposição, Bohn Gass lembra que “no poder, os demotucanos nunca enfrentaram uma crise com a atual e, mesmo assim, quebraram o país duas vezes e entregaram o governo com inflação, juros e desemprego muito mais altos. Que receita poderiam oferecer? A de como afundar, de vez, o país? Ou, quem sabe, de como não combater a corrupção ao invés de enfrentá-la como Dilma está fazendo?” O deputado refuta, ainda, as acusações demotucanas de que o PT teria aparelhado o governo. “Apenas 13% dos CCs são filiados a partidos, e menos da metade destes, ao PT. Esta é só mais uma mostra de que a oposição se utiliza da crise para sustentar o golpismo. “Eles não querem, nunca quiseram, um Brasil melhor, querem é o poder de volta. Mas quando governaram, não fizeram nem um terço do que nós fizemos. Mesmo agora, em plena crise, continuamos aceitando o desafio de comparar os números dos nossos governos e dos deles. Mas isso eles não topam porque não sobraria uma vírgula do discurso golpista atual”, finaliza Bohn Gass.

 

O NOVO MINISTÉRIO:

Aviação Civil: Eliseu Padilha

Agricultura: Kátia Abreu

Casa Civil: Jaques Wagner

Cidades: Gilberto Kassab

Ciência & Tecnologia: Celso Pansera

Comunicação Social: Edinho Silva

Comunicações: André Figueiredo

Cultura: Juca Ferreira

Defesa: Aldo Rebelo

Desenvolvimento Agrário: Patrus Ananias

Desenvolvimento, Indústria e Comércio: Armando Monteiro

Desenvolvimento Social e Combate à Fome: Tereza Campello

Educação: Aloizio Mercadante

Esporte: George Hilton

Fazenda: Joaquim Levy

Integração Nacional: Gilberto Occhi

Justiça: José Eduardo Cardozo

Meio Ambiente: Izabella Teixeira

Minas e Energia: Eduardo Braga

Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos: Nilma Lino

Planejamento: Nelson Barboza

Portos: Helder Barbalho

Previdência e Trabalho: Miguel Rossetto

Relações Exteriores: Mauro Vieira

Saúde: Marcelo Castro

Secretaria de Governo: Ricardo Berzoini

Transportes: Antonio Carlos Rodrigues

Turismo: Henrique Eduardo Alves


Órgãos com status de ministérios:

Advocacia-Geral da União: Luís Inácio Adams

Banco Central: Alexandre Tombini

Controladoria-Geral da União: Valdir Simão

 



Bohn Gass denuncia: "Sartori, como Yeda, está desestruturando a Emater"

1 de Outubro de 2015, 17:03, por News

Manifestação de Bohn Gass no Plenário da Câmara dos Deputados em 1º de outubro de 2015.

Senhoras deputadas, senhores deputados,

no Rio Grande do Sul, a última do governo Sartori é que ele está desmantelando a Emater com a demissão de dezenas de funcionários.

Precarizar a Emater é repetir o gravíssimo erro do governo Yeda.

É empobrecer diretamente os muitos municípios gaúchos que têm sua economia baseada na agricultura familiar.

Conclamo, então, prefeituras, entidades e a sociedade em geral a reagirem contra este verdadeiro crime que o Governo Sartori está cometendo e que caminham num sentido muito perigoso de extinção da Emater.

Custou muito caro ao governo Tarso reestruturar a empresa. Foi preciso remanejar recursos de outras áreas para fazer com que a Emater voltasse a desenvolver a pleno o trabalho absolutamente fundamental de assistência técnica no campo.

Falo diretamente à direção da empresa e ao próprio governador para dizer que não é demitindo gente que presta serviço essencial como os extensionistas, que o problema do Estado se resolve.

Isto, aliás, só piora a situação porque enfraquece um dos dínamos de nossa economia, a agricultura familiar.

Por enquanto, temos notícias de umas 70 demissões. Mas não vamos aceitar passivamente que este processo continue.

Porque se o Estado é a nossa casa, a Emater é a horta dessa nossa casa.

E não faz sentido que um chefe de família que queira manter a saúde de seus filhos, destrua o espaço de onde saem os alimentos que os sustentam.

Pois é precisamente isso que Sartori está fazendo.

Depois de massacrar o funcionalismo, de botar as garras privatistas pra fora e de transformar as áreas metropolitanas em zonas de guerra, Sartori agora ataca no campo.

Pois o campo vai responder com valentia e unificar suas forças. Como fizeram os servidores.

Em defesa da extensão rural. Em defesa da Emater. Em defesa do futuro do Rio Grande.

Muito obrigado.



Brasil tem feito a sua parte e Dilma tem autoridade para assumir compromissos diante da crise climática

30 de Setembro de 2015, 20:25, por News

Manifestação de Bohn Gass no Plenário da Câmara dos Deputados em 29 de setembro de 2015:

 

Senhoras e senhores,

foi muito assertiva a presidenta Dilma na ONU quando disse que a receita para o futuro inclui crescimento, inclusão, conservação e proteção. Das pessoas e do planeta.

Independente de quem esteja no poder, se o partido A ou B, temos um compromisso como Nação, um compromisso de cuidarmos de nosso planeta, da nossa casa.

Neste sentido, o Brasil vai indo bem.

Hoje, nossa matriz energética já é uma das mais limpas do mundo.

Aqui, já se multiplicam experiências com fontes renováveis.

Já se produz e se estimula o uso de biocombustíveis.

Já se amplia fortemente a energia eólica.

Aqui, se combate com força o desmatamento a ponto de termos conseguido reduzir em 82% este crime ambiental na floresta amazônica.

Sim, aqui também já se produz um esforço concreto e com ótimos resultados na redução da emissão de gases.

Por isso, os compromissos assumido pelo Brasil

- de reduzir 43% na emissão de gases até 2030

- de acabar de vez com o desmatamento ilegal

- de restaurar cerca de 30 milhões de hectares de áreas degradadas ou desmatadas

- e de garantir que 45% de nossa matriz energética seja baseada em fontes renováveis

não são mais ambiciosos do que realizáveis.

Sim, com muito esforço, temos feito a nossa parte. Mas precisamos fazer ainda mais.

Neste sentido, muito humildemente meu mandato tenta fazer a sua parte com a iniciativa que apresentamos a esta Casa e que chamamos de Projeto das Cidades Sustentáveis.

É uma pequena colaboração que visa interferir nos Planos Diretores da Cidades para que estes estimulem o uso de fontes renováveis de energia e de reutilização de água.

Fazemos isso, senhores e senhoras, porque temos consciência de que garantir o futuro da vida, não é tarefa exclusiva de governos.

E, aliás, se ficar restrito aos poderes e não envolver toda a sociedade, este será um esforço vão.

Venho aqui, então, apelar para que todos as cores partidárias desse parlamento colaborem com os esforços ambientais e compromissos assumidos pelo nosso governo.

Porque o que está em jogo, neste caso, é muito superior ao poder de A ou B sobre uma Nação,

não é nem mesmo a permanência deste ou daquele ser humano, daquela espécie animal ou vegetal, mas de toda a vida que existe hoje sobre a Terra.

Muito obrigado.



Sonegar, manipular e criminalizar são os verbos dos golpistas

30 de Setembro de 2015, 20:20, por News

Manifestação de Bohn Gass em 30 de setembro de 2015 na Câmara dos Deputados:

Senhoras e senhores,

primeiro, o deputado Molon deixa o PT, mas afirma que vai seguir ajudando o governo a atravessar a crise e que é contra o impeachment.

Discordo da opção de Molon, mas sei é um homem público qualificado que jamais aderiria ao golpismo.

No entanto, nos jornais brasileiros, a fala de Molon é sonegada, porque o enfoque escolhido é unicamente a redução de cadeiras do partido. Força-se a barra e a tese golpista de enfraquecimento de Dilma.

Depois, a Fundação Perseu Abramo lança documento com críticas à política econômica. Os autores deixam claro que estão ao lado do governo e que o defenderão até o fim”.

Inclusive, ao afirmar que o ajuste não é a única saída e que não se deve ceder à chantagem do curto-prazismo do mercado, a Perseu Abramo oferece um caminho para que se defenda o governo, não o contrário.

Mas, de novo, qual é o enfoque na mídia? Crise interna, enfraquecimento do governo, ou seja, a ladainha que só serve aos golpistas, como se não fosse saudável a um partido e a um governo, conviver com debates que tentam aprofundar suas alternativas.

Por fim, divulga-se que Lula atuou em favor de uma empresa brasileira para que ela realizasse obras no exterior. Ele fez isso sem gastar um centavo de dinheiro público e, aliás, o fez num evento aberto, sem esconder nada de ninguém, até porque não há nada de errado aí.

A versão da mídia, porém, é de que Lula teria cometido um crime.

Nada pode ser mais abjeto. Contudo, quando constatamos que o golpismo se alimenta de sonegação, manipulação e criminalização, podemos estar tranquilos: Dilma, o governo, a democracia e o Brasil são maiores do que tudo isso.

Os golpistas não passarão!

Muito obrigado.



Petrobras descobre mais um mega-campo de petróleo no pré-sal

30 de Setembro de 2015, 20:16, por News

A Petrobras confirmou esta semana a descoberta de petróleo leve e de boa qualidade nos reservatórios do pré-sal no terceiro poço na área de Carcará, localizado em águas ultraprofundas da Bacia de Santos. “Esse poço comprovou a descoberta de petróleo de boa qualidade, em reservatórios carbonáticos com excelentes características, situados logo abaixo da camada de sal”, disse a Petrobras em comunicado.

Esse terceiro poço confirma o potencial da área, que pode ser um novo mega campo de petróleo, semelhante ao Campo de Lula, o maior em exploração do pré-sal brasileiro, situado cerca de 50 km a leste.

Esta descoberta é a prova de que a Petrobras é mais forte do que os eventuais malfeitos daqueles que dela se aproveitaram para enriquecer. Estes, sejam quem forem, devem ser punidos, não a empresa que continua mostrando sua enorme competência, trabalhando forte e fazendo descobertas importantes”, diz o deputado Elvino Bohn Gass (PT/RS).

A área está no bloco exploratório BM-S-8, concessão operada pela estatal em parceria com a portuguesa Petrogal e as brasileiras Barra Energia e Queiroz Galvão.

De acordo com o presidente da Barra Energia, João Carlos de Luca, "os resultados significativos obtidos neste poço confirmam as melhores expectativas que temos para esta descoberta Carcará". "É uma das mais significativas da província do pré-sal até agora", afirmou, em nota oficial.

 

 

 



Rede Perseu Abramo