Ir para o conteúdo

Luiz Muller Blog

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Sob coordenação do Governo Federal, 27 bombas de escoamento estão chegando ao RS

17 de Maio de 2024, 23:09 , por Luíz Müller Blog - | No one following this article yet.
Visualizado 65 vezes

São 18 bombas enviadas pela Sabesp, outras oito do Ceará e uma de Alagoas, que servirão para retirar as águas que ainda inundam Porto Alegre e outras cidades da região metropolitana

Além das bombas, governo Lula anunciou parcela extra do FPM para cidades do Rio Grande do Sul atingidas pelas chuvas

Em reunião com prefeitos das regiões atingidas pelas enchentes, o ministro extraordinário para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo Pimenta, anunciou nesta sexta-feira (17) a chegada de 27 bombas de escoamento de água. Elas serão utilizadas para esvaziar as áreas alagadas na região metropolitana de Porto Alegre. A Sabesp enviou 18 bombas. Outras oito estão vindo do Ceará e uma de Alagoas — as mesmas usadas na transposição do Rio São Francisco.

“Hoje já chegaram as primeiras bombas. Estão prontas para começar a trabalhar, para que elas possam expulsar milhões de metros de água”, disse Pimenta. As Forças Armadas estão atuando no transporte dos equipamentos.

Na sequência, a previsão é concluir as obras para fechar os diques da região metropolitana. Só então será possível avaliar a real dimensão dos estragos, disse o ministro. “As águas romperam os diques ou passaram por cima. Isso faz com que, mesmo o rio baixando, as águas não saem. O dique acabou virando uma contenção que impede que as águas possam ir embora. Isso faz com milhares de famílias estejam com as casas em baixo d’água”. 

O ministro afirmou que atualmente são cerca de 80 mil pessoas em abrigos na região metropolitana. Além disso, estima-se que possam chegar a 500 mil pessoas que estão em casas de familiares ou amigos. O bombeamento é urgente, segundo ele, pois há risco de aumentar ainda mais o nível da água, principalmente na zona sul da capital gaúcha.

Reforço do FPM e ajuda às empresas

Durante a reunião, o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, anunciou que o governo irá pagar uma parcela extra do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para as cidades gaúchas atingidas pelas enchentes. “Os municípios declarados em situação de calamidade receberão valor duplo do Fundo de Participação dos Municípios, que vai significar R$ 192 milhões a mais”, afirmou Padilha.

Da mesma maneira, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que sua pasta mantém uma equipe dedicada ao Rio Grande do Sul neste momento, e que só será desmobilizada quando todas as medidas necessárias para a reconstrução do estado tiverem sido devidamente anunciadas e executadas.

Ele destacou que as prefeituras devem receber a parcela extra do FPM ainda neste mês. E que o seu ministério trabalha ainda em novas ações. “A equipe da Fazenda continua trabalhando em novas demandas, sobretudo, para que as grandes empresas permaneçam no Rio Grande do Sul e voltem a produzir o mais rapidamente possível”, adiantou o ministro.

Auxílio Reconstrução e habitação

O ministro das Cidades, Jader Barbalho Filho, solicitou aos prefeitos que acelerem os cadastros das famílias que perderam suas casas. Ao mesmo tempo, que também definam os terrenos para a construção de novas moradias. Nesse sentido, o governo pretende realizar a compra assistida de imóveis que já existem, e também negocia com as construtoras adquirir os imóveis em construção. Outra iniciativa será a compra de imóveis que forem a leilão pela Caixa Econômica Federal.

Do mesmo modo, o ministro Waldez Góes anunciou nova reunião para a próxima segunda-feira (20) com os prefeitos. Dessa vez, o objetivo será agilizar o cadastramento das famílias que vão receber o Auxílio Reconstrução. Elas receberão R$ 5.100, via Pix, para a compra dos móveis e eletrodomésticos que perderam nas enchentes. A defesa civil de cada município será responsável por delimitar as áreas atingidas, estabelecendo assim as famílias que terão direito ao auxílio.

Lula: “Peço a Deus que não chova mais essa semana”

Em breve pronunciamento na abertura da reunião, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou o compromisso do seu governo em realizar todos os esforços para reerguer o Rio Grande do Sul. “Os prefeitos não têm que ter nenhuma preocupação de dizer para o governo federal que estão precisando, o que está faltando, o que estragou, o que precisa ser consertado ou não. E o governo federal também tem que ter a mesma firmeza de dizer para o prefeito o que nós vamos e podemos fazer”.

Além disso, disse que está pedindo a Deus para que não chova mais na região essa semana, e que as águas possam evaporar o mais rápido possível, permitindo assim acelerar o esforço de reconstrução. “Aquela cidade que não tiver espumamento a gente vai tentar ajudar com as bombas para que possa devolver água pro Rio”. Ele ainda disse que quer voltar ao estado para agradecer a solidariedade do povo gaúcho.


Fonte: https://luizmuller.com/2024/05/17/sob-coordenacao-do-governo-federal-27-bombas-de-escoamento-estao-chegando-ao-rs/

Novidades