Ir para o conteúdo

Cúpula dos Povos

Voltar a Notícias da ONU
Tela cheia Sugerir um artigo

Com ONU Meio Ambiente, seminário reivindica debate transdisciplinar sobre recursos hídricos

12 de Janeiro de 2018, 15:13 , por ONU Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 8 vezes
Seminário Águas pela Paz aborda conservação de recursos hídricos sob perspectiva transdisciplinar. Foto: Águas pela Paz

Seminário Águas pela Paz aborda conservação de recursos hídricos sob perspectiva transdisciplinar. Foto: Águas pela Paz

A água é central para a vida no planeta e é precondição para a existência humana. Apesar de elemento-chave no desenvolvimento sustentável, problemas como a poluição, a escassez e a má gestão do recurso sinalizam uma escalada das crises socioambientais, com graves consequências globais. No intuito de criar um espaço para debater a temática, o II Seminário Internacional Água e Transdisciplinaridade reuniu especialistas em Brasília nesta semana.

Amanhã (13), evento promove consulta pública online para a elaboração de carta com encaminhamentos para o Fórum Mundial da Água.

A etapa presencial do evento — que tem como mote o tema Águas pela Paz — se encerra nesta sexta-feira (12). Desde ontem, público e debatedores reúnem-se no Museu Nacional da República, na capital federal, para ampliar o diálogo e despertar novas abordagens e percepções para o uso e a conservação da água.

A iniciativa, que conta com a participação de cientistas nacionais e internacionais, líderes espirituais, políticos, representantes da iniciativa privada, acadêmicos, artistas e sociedade civil, é um dos eventos preparatórios para o 8º Fórum Mundial da Água, que será realizado pela primeira vez no Hemisfério Sul, em março de 2018, também em Brasília.

Os painéis temáticos abordaram assuntos como o saber das tradições na relação com a água; os avanços e as contribuições das inovações tecnológicas e técnicas para a sustentabilidade da água; o papel das organizações internacionais na cooperação e na promoção de uma cultura da paz; a medição de conflitos na gestão da água e do território; e o papel da educação e da cultura nesse contexto. Para reforçar o aspecto transdisciplinar, o Águas pela Paz também contou com programação musical, práticas corporais e oficinas.

No âmbito das ações da ONU Meio Ambiente do Brasil, que apoia o evento, o tema está refletido no contexto da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em projetos de conservação de ecossistemas marinhos e de água doce e, entre outros, na campanha #MaresLimpos, que busca sensibilizar consumidores, autoridades e empresas para a redução do plástico que pode chegar ao mar.

A água permeia todos os ODS de forma direta ou indireta, uma vez que sustenta todas as formas de vida, seja vegetal ou animal, no planeta. Soluções para as questões relacionadas à água estão intrinsecamente associadas às soluções dos principais desafios da atualidade, como a conservação da biodiversidade, o combate às mudanças do clima e a redução da pobreza. Tais soluções envolvem a conservação e restauração de ecossistemas fundamentais no ciclo da água, bem como a democratização de seu acesso e do saneamento, tendo por consequência a redução das doenças e também das migrações associadas a secas e outros desastres naturais, tornado essa discussão indispensável para o alcance da Agenda 2030.

Como participar da consulta púlica online

Um dos principais encaminhamentos do Seminário será o documento “Carta Águas pela Paz”, que juntará as contribuições feitas ao longo dos debates e também as contribuições de uma consulta pública online a ser realizada no dia 13 (no site do evento). O documento será publicado e encaminhado ao 8º Fórum Mundial da Água e ao Fórum Alternativo Mundial da Água (FAMA 2018).

Acesse e saiba como contribuir: http://aguaspelapaz.eco.br/.


Fórum Mundial da Água

Em março de 2018, o Hemisfério Sul receberá, pela primeira vez, o encontro mundial, na capital federal, Brasília-DF, com expectativa de reunir cerca de 40 mil representantes de 170 países. O evento ocorre a cada três anos e já passou por Daegu, na Coreia do Sul (2015); Marselha, na França (2012); Istambul, na Turquia (2009); Cidade do México, no México (2006); Kyoto, no Japão (2003); Haia, na Holanda (2000); e Marrakesh, no Marrocos (1997).

Sobre a ONU Meio Ambiente

A ONU Meio Ambiente é a principal voz global em temas ambientais. Ela promove liderança e encoraja parcerias para cuidar do meio ambiente, inspirando, informando e capacitando nações e pessoas a melhorarem a sua qualidade de vida sem comprometer a das futuras gerações. A ONU Meio Ambiente trabalha com governos, com o setor privado, com a sociedade civil e com outras instituições das Nações Unidas e organizações internacionais pelo mundo.

Descubra mais em http://unep.org/americalatinacaribe/br.


Fonte: https://nacoesunidas.org/com-onu-meio-ambiente-seminario-reivindica-debate-transdisciplinar-sobre-recursos-hidricos/

Rio+20 ao vivo!