Ir para o conteúdo

Cúpula dos Povos

Voltar a Notícias da ONU
Tela cheia Sugerir um artigo

Na Áustria, adolescente sírio tem a oportunidade de sonhar mais uma vez

18 de Janeiro de 2018, 13:17 , por ONU Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 7 vezes
Amr está entre as 12 crianças e adolescentes refugiados que vivem na Europa e que fazem parte de um projeto chamado ‘Diário de Sonhos’. Foto: ACNUR/Humans of Amsterdam.

Amr está entre as 12 crianças e adolescentes refugiados que vivem na Europa e que fazem parte de um projeto chamado ‘Diário de Sonhos’. Foto: ACNUR/Humans of Amsterdam.

Ainda que Amr, um jovem sírio de 16 anos, possa sonhar grande mais uma vez agora que encontrou segurança na Áustria; contudo, ele nunca esquecerá a realidade da vida na Síria, seu país natal que está atualmente destruído pela guerra.

“Lembro das bombas”, ele diz. “O som das bombas. Os foguetes. As armas. Era realmente terrível, muito barulhento.”

Amr está entre 12 crianças e jovens refugiados que vivem na Europa e que fazem parte de um projeto que deixa suas imaginações fluírem.

Chamado de Diário de Sonhos (“Dream Diaries” em inglês), o projeto possibilita que crianças e jovens demonstrem seus sonhos e esperanças a partir da segurança de seus novos lares na Áustria, Bélgica, Alemanha, Países Baixos e Suíça – longe de conflitos em sua terra natal, como Síria, Afeganistão e outros locais.

A série foi produzida pela fotógrafa do Humans of Amsterdam, Debra Barraud, seu colega Benjamin Heertje, a designer gráfica Annegien Shilling e o cineasta Kris Pouw em parceria com o ACNUR, a Agência da ONU para Refugiados.

Neste ensaio, Amr, que foi forçado a deixar a Síria e encontrou proteção em Viena em outubro de 2015 junto de seus pais e de seus dois irmãos, compartilha seu sonho de se tornar jornalista. Em um dos retratos, Amr aparece em uma televisão com um microfone, onde conta as últimas notícias.

“Creio que o mundo estaria melhor sem a guerra”, ele diz para a equipe. “Para mim, é interessante escutar coisas sobre a Síria. Vi muitas histórias da Síria na internet e é difícil saber se são verdadeiras. As pessoas devem escutar a verdade, e os jornalistas têm o poder para fazer isso acontecer. Por isso quero ser jornalista.”

Como para milhões de outras pessoas, a viagem que Amr fez até chegar à Europa foi repleta de perigos. Em 2016, mais de 50 por cento dos refugiados eram crianças. As crianças desacompanhadas e separadas, principalmente do Afeganistão e da Síria, apresentaram cerca de 75 mil solicitações de refúgio em 70 países durante esse ano.

Amr sonha com um mundo livre de guerras. Além disso, ele quer ser jornalista. Foto: ACNUR/ Fetching_Tigerrs/ petoei/ andrea crisante/ andrewvect/ kasha_malasha/ Shutterstock.com.

Amr sonha com um mundo livre de guerras. Além disso, ele quer ser jornalista. Foto: ACNUR/ Fetching_Tigerrs/ petoei/ andrea crisante/ andrewvect/ kasha_malasha/ Shutterstock.com.

Aproximadamente um terço das pessoas que buscavam refúgio na Alemanha em 2015 e 2016 eram crianças e jovens.

“O que mais me lembro da viagem era do bote de borracha”, diz Amr. “Demorou cinco horas. O motor desligou várias vezes. Estávamos muito assustados. Era meia-noite. Todos estavam na internet com nossos telefones. Fomos da Turquia para a Grécia. Lembro particularmente da caminhada que fizemos. Lembro da lama, do frio e da constante chuva. Quase não comi. Finalmente, quando chegamos na Áustria, estava muito feliz que não precisava caminhar mais.”

“No meu primeiro dia aqui, me senti um pouco nervoso. Os meus colegas fizeram muitas perguntas sobre a Síria e a guerra. Não me importava em explicar para eles como era minha vida na Síria. Contei sobre Alepo, sobre a guerra e também sobre o falafel, porque o falafel na Síria é realmente muito bom. Já tenho muitos amigos aqui, mas ainda sinto saudade dos meus amigos de lá.”

Os quatro criadores de Diários de Sonhos viajaram mais de 7 mil quilômetros pela Europa durante 16 dias para coletar sonhos de crianças e jovens como Amr.

“Quando crianças são forçadas a deixar seus lares, deixam tudo para trás, exceto seus sonhos e esperanças”, diz Debra Barraud, cujo projeto fotográfico ‘Humans of Amsterdam’ já tem mais de 400 mil seguidores no Facebook. “Com o projeto, vimos a força destas crianças e como o apoio adequado pode conseguir qualquer coisa.”

Na Áustria, Amr finalmente tem a oportunidade de seguir seus sonhos.

“Minha vida era boa, mas a guerra acabou com tudo”, ele diz. “Sonho em ser fluente em alemão, em terminar a escola e ser um jornalista renomado.”

Para seguir a série fotográfica Diários de Sonhos, acesse Humans of Amsterdam, Fetching_Tigerss e as redes sociais do ACNUR (Twitter e Facebook).

Citações retiradas de histórias completas de @humansofamsterdam.

''Now that I live here, everything is different. I can become friends with both boys and girls, I can play soccer and I can wear whatever I want to wear. I love the traditional Afghan dress that I am wearing now. However, back home people would tell me to change my shoes because they are boys shoes. Here people don’t care if I wear these sneakers under a dress. My biggest dream in life is to set up a school for girls in Afghanistan so they can learn how to read and write. I want all the girls in Afghanistan to know that they can do anything boys can do.'' Madina, 16 years old, from Afghanistan (Brussels, Belgium) _____ Photo and story by @debrabarraud _____ Humans of Amsterdam/UNHCR

Uma publicação compartilhada por Humans of Amsterdam (@humansofamsterdam) em 16 de Jan, 2018 às 9:25 PST


Fonte: https://nacoesunidas.org/na-austria-adolescente-sirio-tem-a-oportunidade-de-sonhar-mais-uma-vez/

Rio+20 ao vivo!