Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

Tela cheia
 Feed RSS

Blog do Skora

21 de Setembro de 2015, 20:36 , por luiz skora - | No one following this article yet.
Licenciado sob Copyleft

Só um bloguezinho despretencioso


O fim de mais um ciclo histórico no Brasil

12 de Julho de 2017, 19:03, por luiz skora - 0sem comentários ainda

Digerindo...

Lula condenado1

Hoje a lava jato cumpriu o objetivo para o qual foi criada, condenar Lula.

Amanhã, moro não aparecerá mais nas manchetes e a força tarefa já foi desmantelada.

É isto o estancar da sangria premeditado por Jucá.

Vida segue em um país destruído por corruptos com a falsa premissa de 'combater a corrupção', mas que, de fato, sempre teve o objetivo de proteger os corruptos de sempre e colocar as coisas em seus devidos lugares. Ou seja: pré 2002 na política e pré 1947 não relações trabalhistas.

De junho de 2013 pra cá, culminando apoteoticamente ontem e hoje, o Brasil retrocedeu 100 anos em 4.

Reverter este caos não é missão para as próximas eleições nem para a próxima década. Não é nosso trabalho, nós, que do alto de nossa arrogância, nos julgamos progressistas, erramos demais, somos os principais responsáveis por nossa derrocada.

Nosso trabalho agora é de reorganização total.

Deixar o pragmatismo para quem é de pragmatismo, deixar a política partidária para quem é de política partidária.

Nós, os arrogantes senhores da verdade progressista, temos que descer do salto, descer do caminhão de som, descer do púlpito, descer da arrogância egocêntrica da contabilização de views e curtidas nas redes digitais e voltar a disputar espaço e voz no chão de fábrica, nas periferias, nas igrejas, nos escritórios, nas escolas e universidades.

Para isso, é preciso primeiro, antes de mais nada, formar lideranças.
Passamos os últimos vinte anos formando militância, uma militância que tem seus méritos, é aguerrida é combativa, mas lutou uma disputa desigual, sem armas nem ferramentas para enfrentar as armas, ferramentas e militância dos artífices do golpe.

É preciso pensar a longo prazo e não apenas focar nas próximas eleições.

Mas quantos entre nós estarão dispostos a dedicar uma parte de suas energias e economias, numa labuta de formação que só terá resultado de fato, daqui vinte ou trinta anos?

é pra pensar, pra mobilizar, recriar núcleos e redesenhar estratégias baseadas nos erros que cometemos e nos objetivos que precisamos reconquistar.



Digerindo as tretas da semana

20 de Maio de 2017, 14:56, por luiz skora - 0sem comentários ainda


Temer e aecio 1
 
Ano passado, logo depois do afastamento definitivo de Dilma, todos os analistas minimamente sérios e isentos vaticinavam que o objetivo golpista não era e nem nunca foi, manter Temer na chefia do executivo, previam que, ainda no 1º semestre de 2017, o congresso elegeria indiretamente um novo presidente, provavelmente um tucano, para dar continuidade ao golpe e a sanha entreguista com corte de direitos do povão para o enriquecimento rápido e inconsequente dos barões do golpe.

Pois bem.
Mais um dos golpes dentro do golpe, foi dado justamente por Temer, que pôs em prática a agenda golpista nas pautas do congresso, na equipe econômica enquanto, nos bastidores, tentava se segurar no cargo pelo maior tempo possível.

A estratégia funcionou. Até semana passada a única ameaça real ao mandato de Temer era o julgamento da chapa Dilma/Temer no TSE, por abuso de poder econômico e caixa 2 (se não me engano). Mesmo assim, As manobras de Temer conseguiam adiar este julgamento e, mais até, já estavam convencendo que era possível separar o julgamento entre Dilma e Temer, enquadrando Dilma por crime eleitoral, caçando-lhe os direitos políticos e livrando a cara de Temer para que cumprisse o mandato até 2018 ou além.

Porém, os verdadeiros barões do golpe não querem Temer presidente. Eles sabem que com a baixa popularidade do presidente, os movimentos populares vão pressionar por eleições diretas. Eles sabem que o impeachment foi ilegal, esta ilegalidade prejudica seus negócios no exterior, reduz o valor do entreguismo do patrimônio brasileiro para o capital estrangeiro e, de novo, dá munição para os movimentos populares conquistarem corações e mentes do povão em geral, no desejo de eleições diretas em 2018, de preferência, ainda em 2017.

Os barões do golpe, necessitam desesperadamente dar um ar de legalidade ao golpe de 2016, se não, o golpe ruirá pelo poder dos movimentos populares e das ruas – A manifestação em Curitiba, no último 10 de maio, em defesa do ex-presidente Lula, foi muito maior do que os golpistas poderiam esperar. A última coisa que os golpistas querem é ver Lula disputando uma eleição com chances de ganhar e as últimas pesquisas indicam que Lula ganharia disparado, apesar de todos os ataques que vem recebendo da imprensa corporativa e dos moleques da República Agrícola.

Ora, o Grupo Globo é um dos, se não, o principal dos barões do golpe, a divulgação em primeira mão pelo Jornal O Globo e a ampla cobertura da operação Patmos pela Globo News e jornais da TV Globo, tem como objetivo apenas os interesses da Globo, ou seja: A eleição indireta pelo congresso de um chefe do executivo totalmente alinhado aos interesses da Globo e dos golpistas.

E onde Aécio Neves entra nessa?

Aécio já era carta fora do baralho, as investigações não comandadas pelos moleques de Curitiba, iriam enquadrá-lo cedo ou tarde. Já havia cumprido seu papel protagonista no golpe quando ainda em 2014, logo após perder as eleições, anunciou que iria fazer o possível e o impossível para impedir Dilma de governar, travando todas as pautas da presidência no congresso. O que de fato fez e contribuiu significativamente para o desenrolar e desfecho do impeachment em 2016. Em março de 2016, Romero Jucá já adiantava (em grampo da operação lava jato) que Aécio seria o primeiro a ser comido. Foi.

Por fim.
O objetivo da vez dos barões do golpe, são as eleições indiretas para a chefia do executivo e eles não vão parar de bater em Temer até que consigam sua renúncia ou seu impedimento.
Temer, se tivesse um mínimo de espírito nacionalista, ou mesmo, algum fiapo de vergonha na cara para minimizar ao menos um pouco a leitura de seu governo nos livros de história do futuro, convocaria eleições diretas para escolha de seu substituto.

Infelizmente, acho muito difícil que tal ideia passe por sua cabeça, sua megalomania o faz acreditar que ele é a pessoa certa para conduzir o Brasil do golpe e acredita mesmo que ainda irá convencer os barões do golpe de que ele é o homem para conduzir e garantir os interesses dos golpistas.

A nós, resta esperar por eleições indiretas e torcer para que este furdunço todo não nos impeça de voltar para a democracia em 2018. Até lá, do jeito que vão as coisas, talvez seja este nosso único direito como cidadãos.
 
Luiz Skora



EUREKA!

7 de Março de 2017, 21:17, por luiz skora - 0sem comentários ainda

 

Estava eu, a caminho de mais uma de minhas consultas regulamentares ao oftalmologista, encafifado com uma pergunta que há tempos me tira o sossego:

Por que será que os neo-conservadores, os representantes, eleitores e simpatizantes das bancadas do boi, da bíblia e da bala, os carolas de fachada e os eleitores do Greca, são irredutivelmente contrários a qualquer legislação que pretenda legalizar o aborto em casos específicos ao mesmo tempo em que clamam por legislações e justiceiros que institucionalizem a pena de morte e descriminalizem os justiciamentos e linchamentos públicos?

Pois então, finalmente encontrei a resposta.

Esse pessoal está com o intelecto estacionado no século XVII, são pró-escravocratas, pró-imperialistas/colonialistas, para eles, gente diferente, gente miserável, gente pobre, gente preta, gente que vive nas periferias, não é gente. É mão de obra barata, é mercadoria, é meio de produção.

Assim:
Uma mulher, pobre, ou preta ou da periferia, quando engravida sem querer engravidar, quando é vítima de estupro ou qualquer outro motivo que decorra em uma gravidez indesejada, não é uma vítima que necessita do suporte do poder público. Pelo contrário, é só uma usina de produção de mão de obra barata. Ela engravida, ela pari, ela sustenta e educa sua prole para que, no futuro, essa prole venha a tornar-se mão de obra barata ou gratuita e sem qualificação para exercer as funções mais degradantes, mas que alguém tem que fazer para que o sistema continue funcionado e dando lucro.

Se liberarem o aborto, esse fluxo de mão de obra barata e desqualificada irá diminuir consideravelmente e os trabalhadores em funções degradantes não irão se submeter sem que em contrapartida, recebam uma remuneração condizente com suas funções.

Por outro lado, se uma mulher com condições financeiras medianas, fica grávida sem querer, independente do motivo, ela não precisa de quase nada, apenas de uma graninha para pagar a clinica de aborto segura e clandestina que estará tudo resolvido. Ela não precisará se preocupar em sustentar e educar a prole indesejada, tão pouco sua família terá mais um nome para incluir na partilha de bens ou herança, tudo se resolve por debaixo dos panos, de maneira ilegal, porém segura, a um custo compatível com o mercado e o poder aquisitivo de quem pode pagar.

Agora, se o fruto da gravidez indesejada da mulher pobre, ou preta ou da periferia, ao tomar consciência da realidade a que está inserido, decide não se submeter à condições degradantes e de subemprego para obter seu sustento e opta por uma via alternativa para sua sobrevivência e/ou ascensão social, este indivíduo indesejado (ou não) desde a sua concepção, torna-se uma ameaça ao sistema estabelecido e deve ser exterminado, seja por via do encarceramento perpétuo, seja pela pena de morte, ou seja pelos justiciamentos ou linchamentos públicos. Assim, tudo continuará pra sempre como está e nenhum neguinho da perifa vai roubar o iphone 7 do filinho de papai, cidadão de bem, que 'ralou' e 'muito' pra comprar suas bugigangas.

Ou seja, trocando em miúdos, todo este textão poderia se resumir assim:

Quem abomina aborto e defende a pena de morte, em última análise, não considera pessoas como pessoas. Considera pessoas, em especial as diferentes ou de classes sociais inferiores como objetos ou como meios de produção para obtenção de lucros.

É tão evidente. como demorei tanto para chegar a esta conclusão?



Consequências do Golpe

1 de Fevereiro de 2017, 20:20, por luiz skora - 1Um comentário

 

Centrorio

Hoje o pau comeu no centrão do Rio de Janeiro.

PM com sangue nos olhos desceu a borracha nos funcionários públicos do estado.
Nosso correspondente para assuntos etílicos e alegorias carnavalescas relatou no Telegram que a quantidade de gás utilizada pela PM foi tão absurdamente elevada que contaminou até seu suntuoso apartamento situado no vigésimo andar de um prédio no centro, tornando impossível a sua permanência no local. Nosso correspondente buscou refúgio num botequinhofulero de frente para o mar em Ipanema. Passa bem e no caminho, nos enviou esta foto que retrata o cenário de guerra.

Tudo isso porque:

Para se livrar do perrengue no orçamento do estado, o governo do PMDB carioca abaixou as cuecas para o governo do PMDB federal.

O Governo Federal de Temer, só vai avalizar as dívidas do governo carioca - Traduzindo: só vai transferir o pepino para a próxima gestão - se o governo carioca privatizar sem dó nem piedade a companhia de águas e saneamento do estado.

Ou seja:
Graças a incompetência do PMDB nacional e carioca (ou fluminense, nunca sei qual é qual), milhares de servidores públicos vão para o olho da rua e toda população do estado ficará a mercê de um pool de empresas sedentas de lucro, para o fornecimento de água tratada e esgoto.

O golpe em curso, queridos, não foi para destruir o PT ou muito menos para se combater a corrupção.
O Golpe foi e é golpe, para destruir e vender o que sobrar do Brasil.

 



O que há por trás da piada - A proibição da punheta no Brasil

7 de Janeiro de 2017, 14:20, por luiz skora - 0sem comentários ainda
Vamos usar os neurônios só um pouquinho?
 
Se o deputado, cantor e pastor, Marcelo Aguiar (DEM-SP) estivesse mesmo preocupado com a punhetinha da gurizada ou com a pornografia ele teria proposto leis específicas para tanto, não esta bobagem de proibir pornografia na internet.
 
Como?
 
Ora, poderia propor uma lei educacional, regulamentando e padronizando a educação sexual segundo a idade da gurizada.
Se bem feito, a gurizada aprenderia que sexo é uma brincadeira gostosa, mas é coisa séria e assim, invés de bater punheta, a gurizada iria trepar na boa em comum acordo, sem coação de nenhuma espécie e principalmente, de maneira segura e sem o risco de adolescentes engravidarem "sem querer".
 
Se o problema fosse mesmo a pornografia, por que não propôs uma legislação regulamentando a profissão, a produção e a distribuição de materiais pornográficos?
 
Ora, com tudo regulamentado, o abuso de mulheres na indústria pornográfica seria coibido, os artistas do sexo seriam protegidos por leis trabalhistas específicas e com a regulamentação da produção e distribuição do material pornográfico, ficaria mais difícil que menores, sem maturidade suficiente para assistir este tipo de conteúdo, tivessem fácil acesso a este tipo de material.
 
Mas não, o deputado, cantor e pastor Marcelo Aguiar (DEM-SP) tá cagando e andando para a pornografia ou a saúde sexual da gurizada e dos brasileiros. O lance do cara é fazer populismo barato e aparecer através de polêmicas - modus operandi comum de 100 entre 100 políticos ruins no Brasil - Obrigar que as empresas telefônicas bloqueiem o acesso de seus assinantes a sites pornográficos, não vai impedir ninguém de tocar sua punheta ou siririca, nem vai impedir que os materiais pornográficos circulem por outros meios. A gurizada já tocava muita punheta antes da internet ou do XVídeos e continuarão tocando, mesmo depois que a internet acabar.
 
Na verdade, o que Marcelo Aguiar está propondo é censura pura e simples, está jogando o Marco Regulatório da Internet no Brasil, no lixo.
 
Neste primeiro movimento, ele proíbe sites de putaria, depois, com a porteira escancarada, proibirão-se sites com críticas ao poder dominante, blogs pessoais e até postagens em redes sociais digitais que não estejam de acordo com aquilo que pensam as pessoas como o senhor deputado, cantor e pastor Marcelo Aguiar (DEM-SP)
 
Pronto, nos tornaremos uma Coréia do Norte, sem nenhuma liberdade de expressão ou opinião, graças a punhetinha inocente de um adolescente na frente do computador.
 
E daí, vamos fazer o quê?