Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

 Voltar a Blog do Skora
Tela cheia

O que há por trás da piada - A proibição da punheta no Brasil

7 de Janeiro de 2017, 14:20 , por luiz skora - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 116 vezes
Vamos usar os neurônios só um pouquinho?
 
Se o deputado, cantor e pastor, Marcelo Aguiar (DEM-SP) estivesse mesmo preocupado com a punhetinha da gurizada ou com a pornografia ele teria proposto leis específicas para tanto, não esta bobagem de proibir pornografia na internet.
 
Como?
 
Ora, poderia propor uma lei educacional, regulamentando e padronizando a educação sexual segundo a idade da gurizada.
Se bem feito, a gurizada aprenderia que sexo é uma brincadeira gostosa, mas é coisa séria e assim, invés de bater punheta, a gurizada iria trepar na boa em comum acordo, sem coação de nenhuma espécie e principalmente, de maneira segura e sem o risco de adolescentes engravidarem "sem querer".
 
Se o problema fosse mesmo a pornografia, por que não propôs uma legislação regulamentando a profissão, a produção e a distribuição de materiais pornográficos?
 
Ora, com tudo regulamentado, o abuso de mulheres na indústria pornográfica seria coibido, os artistas do sexo seriam protegidos por leis trabalhistas específicas e com a regulamentação da produção e distribuição do material pornográfico, ficaria mais difícil que menores, sem maturidade suficiente para assistir este tipo de conteúdo, tivessem fácil acesso a este tipo de material.
 
Mas não, o deputado, cantor e pastor Marcelo Aguiar (DEM-SP) tá cagando e andando para a pornografia ou a saúde sexual da gurizada e dos brasileiros. O lance do cara é fazer populismo barato e aparecer através de polêmicas - modus operandi comum de 100 entre 100 políticos ruins no Brasil - Obrigar que as empresas telefônicas bloqueiem o acesso de seus assinantes a sites pornográficos, não vai impedir ninguém de tocar sua punheta ou siririca, nem vai impedir que os materiais pornográficos circulem por outros meios. A gurizada já tocava muita punheta antes da internet ou do XVídeos e continuarão tocando, mesmo depois que a internet acabar.
 
Na verdade, o que Marcelo Aguiar está propondo é censura pura e simples, está jogando o Marco Regulatório da Internet no Brasil, no lixo.
 
Neste primeiro movimento, ele proíbe sites de putaria, depois, com a porteira escancarada, proibirão-se sites com críticas ao poder dominante, blogs pessoais e até postagens em redes sociais digitais que não estejam de acordo com aquilo que pensam as pessoas como o senhor deputado, cantor e pastor Marcelo Aguiar (DEM-SP)
 
Pronto, nos tornaremos uma Coréia do Norte, sem nenhuma liberdade de expressão ou opinião, graças a punhetinha inocente de um adolescente na frente do computador.
 
E daí, vamos fazer o quê?

 


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.