Ir para o conteúdo

Terra Sem Males

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Pré-Fórum Social e Popular reúne mais de 150 militantes e ativistas

5 de Dezembro de 2017, 19:58 , por Terra Sem Males - | No one following this article yet.
Visualizado 46 vezes

Mais de 150 militantes e ativistas sociais das cidades de Foz do Iguaçu, Toledo, Cascavel, Santo Antônio do Sudoeste, Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina) participaram do Pré-Fórum Social e Popular da Tríplice Fronteira, etapa de Foz do Iguaçu. O encontro aconteceu sábado (02), no campus da Unioeste.

O objetivo é construir uma articulação permanente dos movimentos sociais, reunindo organizações e coletivos das Três Fronteiras que atuam no campo popular e democrático. O evento constitui etapa preparatória para o 4° Fórum Social e Popular da Tríplice Fronteira, previsto para acontecer ano que vem, na Argentina.

Participaram do pré-fórum representantes de dezenas de entidades e movimentos. Na abertura do encontro, o professor Dr. Luciano Wexell (Unila) contextualizou as condições da luta política nos países da América Latina. Integrantes da coordenação do fórum, Macarena Mott e Pablo Friggeri, apresentaram o histórico e os objetivos da mobilização.

Para Friggeri, a unidade entre os movimentos sociais e populares da região é fundamental para o enfrentamento das lutas. “Unir é a única forma que temos, a unidade é uma necessidade de todos nós”, disse. “Precisamos buscar caminhos juntos para enfrentar tudo o que está acontecendo na América Latina”, refletiu.

Atos políticos

Durante o Pré-Fórum Social e Popular, aconteceu o ato político contra a Lei da Mordaça, a favor do direito da escola debater gênero, política e cidadania, apresentado por (APP-Sindicato/Foz) e Elaine Bernardes (Sinprefi). Docentes da Unioeste/Foz, Ivanete Schumann e Sebastião Gonçalves fizeram exposição sobre o desmonte das universidades promovido pelo governador Beto Richa (PSDB).

Representando o Sinditest, Warner Lucas Alves denunciou os prejuízos que os trabalhadores dos setores público e privado terão se for aprovada a reforma da Previdência. A trajetória de luta e os enfrentamentos políticos do MST foram apresentados pelas lideranças do movimento na região, Dilce Britez e Nildemar da Silva.

Unir e lutar

Após discussões nos grupos, promovidas no período da tarde, os participantes do encontro apresentaram na plenária propostas de lutas comuns e temas para serem discutidos na Fórum Social e Popular. Também foi aprovado a construção de uma agenda unificada nas Três Fronteiras no Dia Internacional da Mulher. O próximo pré-fórum será em Ciudad del Este.

Cultura e arte

A abertura e o encerramento do encontro contaram com apresentações culturais. O músico Marcos Vinicius apresentou clássicos da MPB em voz e violão. O Maracatu Alvorada Nova encerrou o evento com baque vibrante. Na apresentação, estavam os alunos das oficinas artísticas que recentemente foram atacados por morador da Vila C, que lançou veneno contra o grupo em gesto de racismo, intolerância e violência.

No saguão da universidade, foram instaladas as exposições “À flor da pele”, de Aline Torres, Marcão Oliveira e Jonathan Washington, “Terra”, de Sebastião Salgado e “Brecht”, que pertencem ao acervo da Associação Guatá. A entidade cultural ainda organizou uma banca literária durante o evento.

Clique para ver as fotos do encontro

Fonte: Centro de Direitos Humanos e Memória Popular
Foto: Bianca Gabriele


Fonte: http://www.terrasemmales.com.br/pre-forum-social-e-popular-reune-mais-de-150-militantes-e-ativistas/