Ir para o conteúdo

TIE-Brasil

Voltar a TIE-Brasil
Tela cheia Sugerir um artigo

Carta aberta a Hélio Bicudo, pedindo devolução de voto

15 de Outubro de 2012, 21:00 , por Bertoni - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 512 vezes

Por José Carlos Vaz, em seu blog

Carta aberta a Hélio Bicudo, pedindo devolução de voto

Sr. Hélio Bicudo,

O sr. não se lembra de mim, mas isso não me impede de fazer-lhe um pedido. Peço que devolva o voto que lhe dei, para deputado federal, em 1990.

Sei que faz muito tempo, o mandato terminou em 1994, mas, ainda assim, sinto-me com direito a pedir meu voto de volta.

Um voto é demonstração de respeito e confiança. Naquele ano, eu era um jovem que, junto a um grupo de amigos, envolveu-se ativamente em sua eleição. Não apenas votei no senhor; ajudei a convencer muita gente a fazer o mesmo, fazendo uma intensa campanha.

Votei no senhor, e apoiei sua candidatura entusiasticamente, por conta de sua trajetória na luta pelos Direitos Humanos, por sua honestidade, pela defesa da democracia e pelo exemplo de respeito aos mais pobres. A maneira corajosa como enfrentou, como promotor, a repressão da ditadura militar, valeu-lhe uma ampla admiração. De certa forma, o senhor representava um modelo para nós.

E é por isso que hoje venho pedir-lhe que devolva meu voto. Porque, infelizmente, não é mais possível ter os mesmos sentimentos de respeito, depois da deprimente experiência de vê-lo hoje no horário eleitoral pedindo votos para José Serra.

Quero assegurar-lhe que não peço meu voto de volta por uma questão partidária. O senhor tem todo o direito de ter deixado o PT, e deve ter certa razão em algumas das críticas que faz ao partido. Nem lhe peço o voto de volta porque o senhor não apóia meu candidato na eleição municipal. É seu direito, também, apoiar quem quiser. Peço meu voto de volta porque o senhor traiu os valores que construíram as bases de uma biografia honorável que me motivaram, na ocasião, a votar e fazer campanha para o senhor.

Sr. Hélio Bicudo, ao apoiar José Serra,  o senhor empresta seu prestígio a um homem que, quando governador, não economizou repressão sobre os movimentos sociais e os trabalhadores. Responsável direto por cenas deprimentes de violência, José Serra como governador reprimiu com ferocidade manifestações como as dos professores da rede pública e dos estudantes e trabalhadores da USP. Um governante que faz isso está longe de ser um defensor dos Direitos Humanos…

O senhor dá seu aval a um candidato que faz do preconceito, da intolerância e da homofobia discurso de campanha. Aliado à escória político-religiosa homofóbica, José Serra já havia prometido, se eleito presidente, vetar o PLC 122, que criminaliza as condutas homofóbicas. Agora, nesta eleição, ataca hipocritamente seu adversário por ter produzido um material para prevenção da discriminação por orientação sexual nas escolas, similar ao que o mesmo Serra havia promovido quando governador…

Com seu apoio a José Serra, o senhor diz ao povo de São Paulo que aceita com naturalidade episódios como a farsa da bolinha de papel, na eleição de 2010, as demissões de jornalistas que ousam falar qualquer coisa que desagrade o seu candidato, as manipulaçòes grosseiras, as mentiras deslavadas, o pouco caso de disputar uma eleição sem programa de governo até poucos dias antes da votação do segundo turno e outras tantas coisas que por aí circulam. Nada disso fortalece a democracia, mas o senhor prefere apoiar quem, com sua ambição desmedida, a solapa cotidianamente.

O apoio que dá a José Serra empresta sua respeitada imagem a um homem sobre o qual se apresentaram pesadíssimas acusações, fartamente documentadas no livro A Privataria Tucana. Em um país com imprensa minimamente decente e alguma justiça, depois dessas acusações José Serra estaria às voltas com tentativas de explicar-se, e com a carreira política encerrada. E o senhor empresta sua imagem de honestidade a esse homem!

Ao apoiar José Serra, está apoiando um candidato que deu início, quando prefeito, às políticas higienistas na cidade de São Paulo, baseadas na expulsão e nos maus-tratos aos moradores de rua e aos pobres do centro da cidade. Ao invés de atenção do poder público, a rotina dos mais pobres dentre os pobres passou a ser fugir da repressão policial, dos jatos de água, do roubo e destruição de seus pertences. Dando suporte a José Serra, o senhor está, também, desprezando a tragédia de milhares de pessoas do Jardim Romano que, em 2010, ficaram abandonadas à própria sorte, com suas casas inundadas durante meses por águas contaminadas com esgotos, por culpa do governo estadual sob comando de José Serra. Aonde foi parar sua preocupação com os mais pobres, dotados de Direitos Humanos e de dignidade humana?

Por tudo isso, peço meu voto de volta, mesmo que 22 anos depois. Porque tenho vergonha de ter votado, algum dia, em alguém que joga no lixo sua respeitabilidade para apoiar um candidato que é um profundo inimigo da democracia e dos Direitos Humanos.

Cordialmente,

José Carlos Vaz


0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar