Ir para o conteúdo

TIE-Brasil

Voltar a TIE-Brasil
Tela cheia Sugerir um artigo

Conflitos sociais na ordem do dia no Paraguai

12 de Setembro de 2012, 21:00 , por Desconhecido - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 494 vezes

Assunção, 13 set (Prensa Latina) Os conflitos sociais estão na ordem do dia no Paraguai e ultrapassaram o âmbito dos centros de trabalho com a multiplicação de protestos de rua e outras medidas de força assumidas pelos sindicatos.

 Assunção se converterá hoje em palco de uma grande marcha organizada por 10 entidades sindicais do setor docente que exigem o cumprimento de direitos e benefícios acordados, mas que não foram cumpridos por parte do governo.

Em uma plenária nacional realizada ontem, os educadores propuseram como demandas imprescindíveis resolver a situação de 16 mil membros do setor que nem sequer ganham o salário mínimo estabelecido e o pagamento de gratificações que contam em contrato mas não são honradas.

Trata-se de um setor afetado por não-cumprimentos e atrasos nos pagamentos de mais de 30 mil trabalhadores, os quais, segundo propõem as organizações sindicais, nem sequer exigem aumentos salariais.

O protesto dos docentes no centro desta capital é realizado ao mesmo tempo no qual se encontram paralisadas as aulas por três dias nas escolas públicas e anunciam que, se não há alguma solução a suas propostas, iniciarão uma greve geral indefinida a partir do próximo dia 27 de setembro.

Paralelamente, as demissões em massa também levaram às ruas empregados e funcionários públicos afetados no Ministério de Ação Social, e uma representação deles se mantém acampada muito próximo do organismo exigindo reintegração de todos a seus postos de trabalho.

Outro grupo de trabalhadores foi demitido da empresa dedicada à atenção de obras de saneamento na cidade e exige, mediante atos e mobilizações, o fim das violações a seus direitos trabalhistas.

Esses dois últimos casos foram o motivo do protesto da Confederação Latino-americana de Trabalhadores Estatais, que anunciou que irá à Organização Internacional do Trabalho para exigir que essas demissões em massa por parte das autoridades paraguaias sejam freadas.

Fonte: http://www.prensalatina.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=544221&Itemid=1


Fonte: JMC

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar