Ir para o conteúdo

Blogoo!

Voltar a Colunistas@Blogoosfero
Tela cheia Sugerir um artigo

Notas rápidas internacionais 06/06/18

6 de Junho de 2018, 10:15 , por Ana Prestes - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 82 vezes
Licenciado sob CC (by-nc-sa)

Argentina israel boycott 0 - Após o cancelamento do amistoso entre as seleções de futebol da Argentina e de Israel, marcado para o próximo dia 9 de junho, a Palestina agradeceu e Israel protestou. Os jogadores argentinos chegaram a ser questionados por palestinos se gostariam de ter em seu país uma celebração da ocupação das Malvinas pelo Reino Unido. Ministro das relações exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, se pronunciou após o cancelamento dizendo que os argentinos haviam cedido aos que “pregam o ódio contra Israel”. 

- María Fernanda Espinosa, chanceler do Equador, foi eleita nova presidenta da Assembleia Geral da ONU no dia de ontem (5). Ela disputou com a hondurenha Mary Elizabeth Flores. Espinosa teve apoio de 128 países e Flores de 62. A disputa evidenciou uma disputa presente na América Latina, apoiando Espinosa estavam Venezuela, Bolívia e Nicarágua. Apoiando Flores estavam Brasil, Colômbia e Argentina. Mandato é de um ano e ela terá a incumbência de comandar todos os debates que ocorrem na Assembleia de países membros da ONU que ocorrem em sua sede em Nova Iorque. Em sua primeira mensagem após a eleição, María Fernanda disse que honrará todas as mulheres do mundo no exercício do cargo. 

- Terminou ontem em Washington a Assembleia Geral da OEA que aprovou uma resolução apresentada por EUA, Argentina, Brasil, Canadá, Chile, México e Peru que pede aplicação dos mecanismos da Carta Democrática Interamericana sobre a Venezuela. A resolução teve 19 votos e não os 24 votos anunciados previamente pelos americanos. São 35 os membros da organização. Foi aprovada também uma resolução sobre a Nicarágua, com o tom de que o governo de Ortega “cesse as repressões”.

- Itamaraty promoveu ontem, 5 de junho, um seminário Mercosul – Aliança do Pacífico: reforçando os vetores da integração. O seminário teve a intenção de mostrar a complementaridade entre os dois blocos e é uma clara demonstração dos rumos que tem sido dado ao Itamaraty no último período. Foram abandonados os projetos de integração regional como Unasul e Celac e reforçado o viés comercial via Mercosul e tentativa de aproximação da Aliança do Pacífico.

- Brasil participou ontem (5), na África do Sul, do Fórum IBAS (Fórum de Diálogo Índia-Brasil-África do Sul).

- Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, estará no Brasil nos dias 26 e 27 de junho. Ele estará com o presidente Temer em Brasília e visitará o que o governo tem chamado de “campo de refugiados” de venezuelanos em Manaus. Um dos pontos do encontro também será a retomada de negociações sobre o acordo de uso da base de Alcântara, no Maranhão, para lançamento de satélites.

- Colombianos vão às urnas em novo plebiscito. Desta vez para votar sobre sete medidas. Uma delas é a da redução dos salários dos parlamentares e altos funcionários. Votarão também sobre aumento de penas para corruptos e limitação de tempo de mandato parlamentar. Em uma semana o país saberá a data da consulta.

- Já são quase 200 pessoas dadas como desaparecidas após erupção de vulcão na Guatemala. Setenta e cinco pessoas morreram. Aproximadamente 3 mil pessoas tiveram que abandonar suas casas.

- Dados divulgados pelo Governo Federal mostram que o Brasil registrou em 2018 um aumento na quantidade de reconhecidos sob a condição de refugiados. De acordo com a PF, que recebe as solicitações, 19.429 pessoas pediram refúgio entre janeiro e abril deste ano, sendo 14.449 venezuelanos. Provenientes de 97 nacionalidades pediram refúgio. Os números do primeiro quadrimestre são 161% maiores do que os do ano passado.

- Governo de Conte, na Itália, recebeu voto de confiança do Senado e espera receber o mesmo voto na Câmara dos Deputados hoje, 6 de junho. Sua primeira viagem internacional representando a Itália também será hoje, ele se desloca para o Canadá para a cúpula do G7.

- Já se sabe o nome do hotel onde Kim e Trump se encontrarão no próximo dia 12 de junho, em Cingapura. Trata-se do Hotel Capella, na ilha de Sentosa, local turístico. Pela ocasião, a Cingapura lançou uma medalha comemorativa com a inscrição e “Paz Mundial” em letras bem grandes de um lado e a data do encontro junto a um aperto de mãos do outro.

- O México reagiu à ofensiva tarifaria norte-americana e impôs tarifas de 25% sobre produtos siderúrgicos vindo dos EUA.

- No Uruguai professores se mobilizaram ontem (5) em frente ao prédio da Presidência da República para defender 6+1% do PIB para a Educação Pública. Ocorreu também mobilização no dia de ontem em Montevidéu contra uma lei que permite a setores privados a apropriação de bacias e represas de rios para regar plantações.

- A Turquia terá eleições no próximo 24 de junho e as mais recentes pesquisas mostram Erdogan, atual presidente, liderando as pesquisas, mas não com maioria suficiente para vencer no primeiro turno. Nas pesquisas para o parlamento o partido AK, de Erdogan, tem 42,2%, seu rival CHP tem 39,5%, o pró-curdo HDP tem 10% e o nacionalista MHP tem 7,1%.

- Último país do mundo que ainda proibia expedição de carteiras de motorista para mulheres, a Arábia Saudita começou a expedi-las na última segunda (4). As mulheres poderão dirigir a partir de 24 de junho.

- Chanceler francês, Jean-Yves Le Drian, disse que o Irã segue cumprindo o acordo nuclear de 2015. O anúncio veio depois de o Irã ter informado que aumentará a produção dos insumos para o enriquecimento de uranio no país.

- Após vários protestos contra um programa de austeridade e o aumento do preço da gasolina, o primeiro-ministro da Jordânia renunciou ao seu cargo e o rei Abdullah convocou um economista para formar governo. Trata-se de Omar al Razzaz, que terá a incumbência de estabelecer diálogo com os partidos, sindicatos e sociedade civil para realizar um pacto econômico nacional.

- Um barco de imigrantes naufragou no litoral da Tunísia, segundo anunciou a agencia de imigração da ONU. O barco estava lotado com 180 imigrantes, sendo 80 de vários países da África. Os dados ainda não são precisos, mas cerca de 60 pessoas morreram.

- Foi retomada no México, pela Comissão Nacional de Direitos Humanos, a investigação sobre os 43 estudantes desaparecidos em Ayotzinapa. A investigação foi autorizada por um Tribunal do país que estabeleceu que fossem realizadas apurações independentes das já feitas pelas autoridades do país.

- No dia de ontem (5) na Nicarágua grupos opositores colocaram fogo no edifício da prefeitura do município de Granada. Havia durante o dia várias trincheiras no município e circula um vídeo de um jovem assassinado pelas costas durante os conflitos na cidade.

- Jogadores finalistas da liga NBA de basquete norte-americano recusaram convite de Donald Trump para serem homenageados na Casa Branca.


por Ana Prestes

 


Tags deste artigo: Jogadores NBA granada desaparecidos ayotzinapa Acordo nuclear 2015 irã frança mulheres Arábia Saudita Erdogan eleições turquia uruguai uruguay professores méxico Donald Trump Kim Jong-un Ilha de Sentosa Hotel Capella Cingapura Governo de Conte itália guatemala eua Aliança do Pacífico mercosul itamaraty honduras nova iorque colômbia Bolívia Nicarágua brasil venezuela presidencia Assembleia Geral das Nações Unidas onu África do Sul IBAS palestina israel Amistoso argentina

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar