Ir para o conteúdo

News

Voltar a Internacional
Tela cheia Sugerir um artigo

Notas rápidas internacionais 10/05/18

10 de Maio de 2018, 9:45 , por Ana Prestes - | No one following this article yet.
Visualizado 50 vezes
Licenciado sob CC (by-nc-sa)

por Ana Prestes
por Ana Prestes

- Temer twittou. Foi ontem (9) ao fim da tarde e em apoio ao Presidente Macri, da Argentina. Dizendo que este tem uma política econômica de responsabilidade, com a promoção de reformas para o crescimento sustentado e desenvolvimento da Argentina. Completou que o Brasil confia na Argentina.

- Cerca de 20 foguetes provenientes da Síria (há quem diga 40) atingiram os postos do Exército de Israel nas colinas de Golan nesta quarta (9). O ataque está sendo atribuído pelos israelenses a forças Quds do Irã, embora fontes digam que os iranianos não possuam estas armas específicas. O ataque vem logo após os sírios terem acusado Israel de atacar uma base militar ao sul de Damasco que já foi usada por iranianos.

- Como resposta aos ataques a bases nas Colinas de Golã, Israel revidou atacando a Síria e deixando mais de 20 mortos.

- Apesar de somente os EUA terem deixado o acordo com o Irã, a maioria das empresas que terão que cancelar seus negócios com o Irã é europeia. Sob risco de sofrerem sanções americanas. As exportações da União Europeia para o Irã ano passado foram de R$ 12,8 bilhões, 30% a mais do que o ano anterior. Das empresas americanas, a Boeing é a que tinha maiores contratos de exportação para o Irã.

- Iatolá Ali Khamenei, do Irã, pediu nesta quarta (9), "garantias reais" dos países europeus para continuar no acordo nuclear de 2015. Em pronunciamento ele se dirigiu a defensores do acordo no Irã, como o presidente Hassan Rohani, para dizer que “se não houver uma garantia definitiva” não poderão seguir no acordo.

- Já o ministro de Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir disse que seu país vai desenvolver sua s próprias armas nucleares, caso o Irã também o faça.

- Geng Shuang, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China: que “todas as partes atuem de forma responsável para retornar o mais rápido possível ao respeito a um acordo que contribui para preservar a paz no Oriente Médio”.

- Vladimir Putin, por sua vez, teve conversas com o premiê israelense Netanyahu, depois de ambos depositarem flores no túmulo do soldado desconhecido ontem (9) em Moscou durante comemorações do Dia da Vitória dos soviéticos sobre os nazistas. Putin tenta compatibilizar boas relações com israelenses e iranianos.

- Coreia do Norte libertou três norte-americanos que estavam detidos no país e que voaram de volta aos EUA no mesmo voo do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, que esteve ontem (9) na Coreia do Norte. Foram recepcionados nos EUA por Trump.

- Líder camponês, Luis Marroquín, foi assassinado ontem na Guatemala. Organização a que pertencia (CODECA) acusa o presidente Jimmy Morales de incitar crimes contra camponeses.

- O desfile da vitória na Guerra Patriótica de ontem (9) em Moscou serviu para expor ao mundo os novos armamentos das Forças Armadas russas.

- Itália em suspense até amanhã (11) quando pode sair um acordo entre os partidos Liga e M5E para formar coalizão governante. Se sair o acordo, será a junção de dois grupos eurocéticos. Tradicionalmente a Itália sempre foi entusiasta da integração europeia.

- O primeiro empréstimo do FMI para a Argentina foi em 1957 (governo militar). Desde então, o Fundo acompanhou todas as crises econômicas dos portenhos. A única exceção foram os Kirchner que lidaram com a crise de baixa das exportações (2009) contraindo endividamentos internos. Macri se elegeu criticando o modelo kirchnerista e hoje é criticado até mesmo por seus eleitores, segundo relatos, por trazer de volta o pesadelo de 2001.

- A recente alta do dólar não foi só na Argentina, fez cair também o peso mexicano, colombiano e chileno. O real brasileiro foi a 3,611 (maior nível desde maio de 2016, período do impeachment).

- Enquanto isso, nos EUA, os juros chegarão a 2% pela primeira vez desde 2008.

- O preço do petróleo também segue subindo, tendo chegado ontem (9) a US$ 77,21 (Brent) e a US$ 71,14 (WTI). Saída dos EUA do acordo com Irã teve impacto na alta. Petróleo iraniano deve ser prejudicado e a oferta mundial será reduzida.

- Nova diretora da CIA, Gina Haspel, disse ontem no Senado americano que não permitirá a retomada de programas de tortura de prisioneiros. Há reação a indicação dela, mas Trump sustenta.

- No próximo dia 12 de maio os iraquianos elegerão 329 deputados. Há uma cota a ser cumprida de 83 cadeiras para mulheres. 87 partidos estão inscritos para as eleições.

- Mais de 50 mil hondurenhos terão que deixar os EUA em 18 meses, depois que Trump os retirou de um programa de Status de Proteção Temporal (TPS) que receberam em 1999 após o furacão Mitch.

- Na Espanha, a Justiça barrou nesta quarta (9) a reeleição do líder independentista Carles Puigdemont como presidente regional da Catalunha. O Parlamento catalão tem até 22 de maio para escolher um presidente, caso contrário serão convocadas novas eleições. Os principais líderes estão foragidos ou presos.

- Hoje, 10 de maio, completam-se 50 anos da Noite das Barricadas do maio de 68 em Paris. A Noite das Barricadas foi o ponto de viragem do movimento estudantil para um movimento de massa que faria em seguida uma grande greve geral na França. A greve levou a avanços trabalhistas, reformas no ensino, criação de universidades, que ecoaram pelo mundo.


Fonte: colunistas

Notícias

News

Minha rede

Faça uma doação