Ir para o conteúdo
ou

Thin logo

 Voltar a Blog do Thiago Moro
Tela cheia

Movimentos sociais denunciam agressão ao direito de religião em PG

6 de Julho de 2015, 13:02 , por Thiago Moro - | No one following this article yet.
Visualizado 688 vezes

 

Depredação em templo religioso da cidade ameaça liberdade de expressão
 
Câmeras de Ponta Grossa flagraram, na quinta-feira (02 de julho/2015), duas pessoas destruindo objetos de valor religioso da mesquita Imam Ali, localizada no centro da cidade. O ato registrado representa uma lamentável agressão ao direito de crença religiosa.

Ninguém tem o direito de agredir ou desrespeitar crenças religiosas, por serem opções de caráter humano e individual. Este é um princípio de manifestação humana e constitucional que assegura a qualquer brasileiro a liberdade de culto. Por isso, os representantes das entidades e movimentos sociais, abaixo-assinados, vem a público denunciar este gesto de agressão e desrespeito religioso, solicitando imediata apuração policial e judicial para responsabilizar os autores de tais atos.

Os membros das entidades co-autoras deste documento pedem que os poderes legislativo e judiciário façam um apelo e manifestação pública para que tais gestos de intolerância, e ataque ao direito de liberdade de expressão religiosa, sejam devidamente responsabilizados, assegurando condições ao exercício de livre culto e opção religiosa. "A população pontagrossense não pode ficar refém de agressões e julgamentos representados através de atos de depredação de monumentos em função da escolha de crença", alertam os membros das organizações que assinam este documento.

Os representantes das entidades, ainda, destacam a necessidade de líderes religiosos de diferentes orientações terem a capacidade de vir ao público cobrar respeito e solidariedade em defesa do ecumenismo por entender que os cidadãos locais vivem tempos de ameaça ao exercício da liberdade religiosa, constitucionalmente assegurada no país, que é laico.

A denúncia será enviada aos representantes de diversos grupos e organizações religiosas existentes no município, bem como aos integrantes dos poderes legislativo e judiciário. "Não podemos silenciar diante de qualquer gesto autoritário, seja de agressão religiosa, política ou cultural", conclui o documento.
 
Campos Gerais do Paraná, 6 de Julho de 2015.

Organizações co-autoras da denúncia ao desrespeito religioso em PG:

- Associação dos Blogueiros e Ativistas Digitais do Paraná (ParanáBlogs)
- Agência de Jornalismo UEPG
- Associação em prol da Maternidade Ativa e Segura (AMAS)
- Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta Pela Paz (CEBRAPAZ PR)
- Centro Folkcom de Pesquisas/UEPG
- Central Única dos Trabalhadores (CUT Campos Gerais)
- Comitê Pontagrossense de Solidariedade ao Povo Palestino
- Fórum das Águas dos Campos Gerais
- Grupo Universitário de Pesquisas Espeleológicas (GUPE)
- Instituto Cidade Viva
- Instituto URBI
- Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SINDIJOR/PR)
- Sindicato dos Docentes da UEPG (SINDUEPG/ANDES-SN)
- Sindicato dos Metalúrgicos de PG e Região
- Sindicato Trab. Rep. de Veículos e Acessórios de PG


Tags deste artigo: liberdade religiosa ponta grossa paraná blogs cebrapaz