Ir para o conteúdo

#BlogueDoSouza

Tela cheia
15748214 575900959268090 1641143142 o

BlogueDoSouza

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.
Licenciado sob CC (by)

Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos.


Petrobrás: Pedro Parente entrega tudo sem pudor

20 de Abril de 2018, 8:40, por #BlogueDoSouza


O modelo de privatização das refinarias da Petrobras, que já vinha sendo ventilado pela imprensa, foi anunciado nesta quinta-feira (19) pela diretoria antes mesmo de ser aprovado pelo Conselho de Administração

A gestão Pedro Parente confirmou o que já vinha sendo alertado pela FUP e seus sindicatos desde o início do golpe: a Petrobrás caminha a passos largos para ser uma mera empresa de escritório, com a desintegração e a privatização de todos os segmentos da companhia. O modelo de privatização das refinarias, que já vinha sendo ventilado pela imprensa, foi anunciado nesta quinta-feira (19) pela diretoria antes mesmo de ser aprovado pelo Conselho de Administração.

Cerca de 3.700 trabalhadores serão afetados de imediato com a venda de 60% de quatro refinarias - Repar (PR), Abreu e Lima (PE), RLAM (BA) e Refap (RS), em um pacote fechado, que inclui ainda 24 dutos e 12 terminais.

Já são mais de 30 ativos privatizados desde 2016. E agora a Petrobrás entregará ao mercado o controle sobre o refino de petróleo e o transporte de derivados - atividades essenciais - que comprometem o abastecimento do país. É a conta do golpe sendo paga, às custas da soberania e do desenvolvimento.

Desde a chegada de Pedro Parente na empresa, as refinarias estão sendo preparadas para a venda. Primeiro, de modo incentivado, demitiram os empregados, depois cortaram investimento em segurança e manutenção, para então baixar as cargas das refinarias reduzindo seu valor agregado.

A Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, é a primeira e mais importante planta do sistema, inaugurada em 1950, e está operando com sua carga reduzida em 43%. No Rio Grande do Sul, a Refap (Refinaria Alberto Pasqualini), inaugurada há 41 anos, já está com sua carga reduzida em 42%.

Ponte para o passado

Em março de 2017, foi lançado pelo governo Temer um documento chamado “Combustível Brasil – Setor de Combustíveis e Derivados de Petróleo” e contava com a colaboração destes mesmos atores em sua formulação. Nele fica claro a estratégia apontada pela Petrobrás para o segmento de refino, transporte, armazenamento e comercialização de derivado: "a promoção de uma nova política de preços e a maximização de margens na cadeia de valor; a não garantia integral do abastecimento do mercado brasileiro; e o desenvolvimento de parcerias no downstream, possibilitando a introdução de outros atores no refino e na logística”.

Esta é a política implementada pelo governo golpista de Temer em seu projeto “Ponte para o Futuro”, e a estratégia central da gestão Pedro Parente na Petrobrásé atrair investidores privados para aumentar a concorrência neste setor dentro do país; Assim como a iniciativa de reduzir a capacidade de produção das refinarias, estimulando a importação de derivados por agentes privados (nacionais e internacionais). Perdendo mercado para estas empresas.

Segundo relatório publicado mensalmente pelo Ministério de Minas e Energia, as 4 refinarias que serão vendidas representaram 33% da produção, abrindo mão do controle de 40% da sua capacidade de refino no país. Além disso, está cria competidores para si mesma, em um mercado muito rentável onde tinha total controle.

Quando um país abre mão de grandes empresas em setores estratégicos significa delegar nossa trajetória de desenvolvimento a interesses que não são necessariamente os da sociedade brasileira. As empresas estatais, têm função essencial no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária e abdicar delas é abdicar do próprio desenvolvimento econômico e social de um país.

Aceleração das desigualdades regionais

Os investimentos da Petrobrás foram fundamentais para o crescimento econômico e para o processo de industrialização vivido por estes Estados nos últimos anos, principalmente os nordestinos. Sem a garantia de novos investimentos pode-se provocar desarticulação da indústria, impactando negativamente (aumento do desemprego e redução da geração de renda) à sociedade local e retorno a uma situação de concentração no sudeste brasileiro. - CUT

Leia também:

Contra relator, comissão de privatização da Eletrobras ouvirá a sociedade

 

notice

A comissão especial da Câmara que aprecia o Projeto de Lei (PL) 9.463/18, de privatização da Eletrobras, aprovou ontem (18), após reunião ordinária, a continuidade de audiências públicas, com data a ser marcada nos próximos dias, com especialistas sobre o tema, em sua maior parte, representantes da sociedade civil. O grupo está conseguindo modificar o plano de trabalho estabelecido inicialmente pelo relator, deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) – que excluía a realização de audiências durante a tramitação do PL para tentar acelerar a matéria.

Os primeiros requerimentos aprovados tiveram como autores a deputada Luciana Santos (PCdoB-PE) e o deputado Patrus Ananias (PT-MG) e são resultado de acordo firmado entre o colegiado. Dentre alguns dos convidados que já participaram de debates na comissão na última terça-feira (3) e ontem estão o ex-diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) Nelson Hubner e o economista do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) Gustavo Teixeira. - CUT

Lula recebe carta de apoio do Sindicato dos Metalúrgicos da América do Norte


Francisco Proner/ Farpa Fotocoletivo: <p>lula</p> No documento, sindicato que representa 850 mil trabalhadores dos Estados Unidos e do Canadá reafirma a parceria de 40 anos com Lula; "Solidariedade para sempre!", diz o texto - 247
#BlogueDoSouza - Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos.



“Mais uma nulidade no processo foi gerada hoje", diz Zanin sobre rejeição dos embargos

19 de Abril de 2018, 7:14, por #BlogueDoSouza


Jornal GGN - O advogado Cristiano Zanin enviou nota à imprensa nesta quarta (18) afirmando que "mais uma nulidade no processo foi gerada hoje", quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou, sem sequer analisar o mérito, os embargos dos embargos contra a sentença do caso triplex.

No recurso, a defesa de Lula mostrou vários malabarismos que foram feitos para levar o petista à prisão. Mas os desembargadores sequer se debruçaram sobre as obscuridades e omissões apresentadas na peça. Simplesmente argumentaram que embargos de embargos são recursos "protelatórios" que raramente são aceitos pela Justiça.

Embargos dos embargos expõem os malabarismos para condenar Lula

Leia a nota completa abaixo:
“Mais uma nulidade no processo foi gerada hoje (18/04) pelo fato de o Tribunal Regional Federal da 4ª. Região (TRF4) não ter conhecido (não ter analisado o mérito) dos embargos de declaração apresentados no prazo legal pela defesa do ex-presidente Lula. Em 38 páginas demonstramos que ainda havia aspectos relevantes sem apreciação pelo TRF4.

No início da sessão de julgamento a defesa questionou, sem êxito, o fato de os embargos estarem sendo julgados sem a presença do Desembargador relator. Ainda que o julgamento em tal circunstância seja permitido pelo Regimento Interno do TRF4, conforme exposto na questão de ordem formulada, seria recomendável a presença do Relator, uma vez que o recurso tinha como foco o voto por ele proferido no julgamento anterior, que fora acompanhado pelos demais Desembargadores da 8ª. Turma.
Nenhum recurso em processo criminal que busque a apreciação de provas de inocência pode ser considerado protelatório.

O julgamento dos embargos de declaração na data de hoje também demonstrou que a determinação de cumprimento antecipado de pena imposta a Lula ocorreu antes do exaurimento da segunda instância. O TRF4 apenas esgotará sua jurisdição após realizar o exame de admissibilidade dos recursos dirigidos às instâncias superiores, que serão interpostos no prazo legal.

Esses recursos terão por objetivo, dentre outras coisas, o reconhecimento da inocência de Lula, uma vez que a condenação a ele imposta, mesmo levando em consideração os fatos analisados pelo TRF4, colide com a lei e com a Constituição Federal.

Também estão sendo tomadas todas as medidas cabíveis para que seja revertida a pena antecipada que Lula está sendo obrigado a cumprir em manifesta afronta ao artigo 5º, inciso LVII, da Constituição Federal”.

CRISTIANO ZANIN MARTINS
Advogado do ex-presidente Lula

Leia também:

Veto ao Prêmio Nobel é vexame internacional da Lava Jato

Ricardo Stuckert: <p>esquivel boff amorim</p> "Empenhada em silenciar Lula de qualquer maneira, o veto da Lava Jato ao encontro de Adolfo Pérez Esquivel tem uma finalidade política óbvia", escreve Paulo Moreira Leite, articulista do 247. "Impedir que a autoridade universal de um Prêmio Nobel da Paz contribua para denunciar a imensa injustiça que está sendo cometida no país". Lembrando que Esquivel "não é um visitante qualquer, pois se trata de um interlocutor regular do Papa Francisco", PML destaca que a decisão desrespeitou as Regras de Mandela, que fazem homenagem ao herói africano da luta contra o apartheid, "num contexto típico de quem deseja fazer o mundo andar para trás" - 247

STF pode abrir ‘brecha’ para autoridades com foro

Jane de Araújo/Agência Senado: <p>abertura do Ano Judiciário de 2018. presidente do Supremo Tribunal Federal (STF)  Cármen Lúcia. Participam: presidente do Senado, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE); Michel Temer</p> O Supremo Tribunal Federal deu início a uma discussão que pode abrir precedente para a criação de uma nova “segunda instância” em julgamentos de parlamentares e demais autoridades com foro privilegiado; os ministros tendem a definir um quadro jurídico em que essas autoridades possam recorrer mais uma vez à Turma para questionamentos com relação à condenações anteriores do próprio STF - 247

Lula foi condenado por reforma que nunca existiu

: Circula nas redes sociais nesta quarta-feira 18 um trecho do depoimento que o ex-presidente Lula concedeu a Sergio Moro no âmbito do processo do triplex do Guarujá, no momento em que o juiz pergunta a Lula sobre a reforma do apartamento e um elevador privativo que teria sido pedido por Lula, de acordo com a denúncia, a pedido do ex-presidente a Leo Pinheiro, dono da OAS; ocupação do triplex pelo MTST desmascarou a farsa da reforma milionária no apartamento, que está vazio; assista - 247
#BlogueDoSouza - Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos.



Vox Populi: Mesmo preso, Lula continua imbatível e ainda mais querido pelo povo

18 de Abril de 2018, 7:11, por #BlogueDoSouza


55% dos entrevistados acham que Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve; 59% dizem que ele tem mais qualidades que defeitos; 44% consideram sua prisão injusta e a maioria quer votar no ex-presidente

Depois da prisão política de Lula, isolado em uma cela da Polícia Federal de Curitiba há dez dias, aumentaram não só as intenções de voto no ex-presidente mais popular do Brasil, como também o percentual de brasileiros que acham que ele tem mais qualidade que defeitos e é o melhor presidente que o Brasil já teve.

A prisão foi considerada injusta para a maioria dos entrevistados. E aumentaram os percentuais dos que consideram que Lula foi condenado sem provas, é perseguido por Moro e tem o direito de ser candidato.

Os dados, da pesquisa Vox Populi, realizada entre os dias 11 e 15 de abril, em 118 municípios, mostram que, se as eleições fossem hoje, Lula bateria todos os candidatos nos primeiro e segundo turnos. E ao contrário do que os opositores sonharam, depois da prisão política de Lula, a intenção de votos no ex-presidente aumentou.

Na pesquisa estimulada, quando o entrevistador apresenta o cartão com os nomes dos pré-candidatos à presidente da República ao entrevistado, as intenções de voto em Lula aumentaram para 47% contra 43% em dezembro do ano passado.

O segundo colocado, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ), perdeu dois pontos: tem 11%, contra os 13% registrados em dezembro.

Outros três pré-candidatos registram aumento insignificante nas intenções de votos: Joaquim Barbosa (sem partido), com 9% (7%, em dezembro); Marina Silva (Rede-AC), com 7% (contra 5% em dezembro) e Álvaro Dias (Podemos-PR), com 2% contra 1% de dezembro.

Os demais não saíram do lugar. Geraldo Alckmin, do PSDB-SP, está com 3% das intenções de voto, contra os 4% registrados em dezembro); Ciro Gomes (PDT-CE) manteve os 2%; e Henrique Meirelles (MDB-GO), com 1%.

No Nordeste, Lula continua imbatível e chega a 71% das intenções de voto contra 6% de Bolsonaro, 3% de Barbosa; 5% de Marina, 2% de Ciro e 1% de Álvaro dias.

Nas simulações de segundo turno, Lula ganha de Marina com 54% das intenções de voto contra 16% da ex-deputada (em dezembro Lula tinha 50% e Marina, 13%).

Ganha também de Alckmin. Se o segundo turno fosse com o governador de São Paulo, Lula teria 56% das intenções e Alckmin, 12% (em dezembro o placar era de 50% para Lula e 14% para Alckmin).

Contra Bolsonaro, seria o mesmo. Lula teria 55% das intenções de voto, Bolsonaro, 17%. Em dezembro, Lula tinha 49% e Bolsonaro 18%.

Na simulação de segundo turno com Joaquim Barbosa, Lula teria 54% dos votos e o ex-ministro do STF teria 20%.

No cenário espontâneo sobre intenção de votos para presidente da República, Lula foi citado como candidato de 39% dos entrevistados (eram 38% na pesquisa Vox de dezembro de 2017).

Já Bolsonaro, tinha 11% em dezembro e caiu para 9%; Alckmin também caiu de 2% (em dezembro) para 1%. Marina manteve os 2%, Ciro e Alvaro Dias mantiveram 1% de dezembro.

Melhor presidente

Segundo a pesquisa, 55% dos entrevistados acham que Lula é o melhor presidente que o Brasil já teve. Em dezembro do ano passado, o percentual dos que tinham essa opinião era de 47%. O segundo colocado, bem distante, continua sendo FHC que não sai dos 9%.

Mais qualidade que defeitos

E mesmo depois que o juiz de primeira instância mandou prender Lula sem provas de qualquer crime no caso do tríplex do Guarujá e do Supremo Tribunal Federal negar o habeas corpus, perguntados se Lula tinha mais qualidade do que defeitos, os brasileiros surpreenderam. Aumentou em 9% o percentual dos que acham que Lula tem mais qualidades – de 50% (em dezembro) para 59%.

O percentual dos que acham que Lula tem mais defeitos também caiu, de 41% para 32% entre dezembro de 2017 e abril de 2018. Só 9% não souberam ou não quiseram responder.

Para o presidente da CUT, Vagner Freitas, essa é a resposta dos trabalhadores e das trabalhadoras, que sabem o que Lula fez pelo Brasil e pelos brasileiros, aos que tentam criminalizar o ex-presidente para impedir sua candidatura nas eleições deste ano.

“Parte do Poder Judiciário, da mídia e do parlamento não engoliu o fato de que o melhor presidente do Brasil é um metalúrgico, com muito orgulho de ter sido operário, e faz de tudo para impedir sua candidatura porque sabem que se ele voltar vai arrumar a bagunça que os golpistas estão fazendo no País”.

A vida melhorou com o PT

Aumentou também, de 54% para 59% entre dezembro e abril, o percentual dos que afirmam que a vida melhorou nos 13 anos de governo do PT. O percentual dos que responderam que não melhorou nem piorou ficou estável – 32% contra 30% em dezembro. Caiu o percentual dos que diziam que a vida piorou – eram de 14% em dezembro e agora é de 8%.

O índice dos que acham que Lula tem mais qualidades também aumentou 9% pontos percentuais entre dezembro (50% mais qualidade) e abril (59%). Já o percentual dos que acham que Lula tem mais defeitos, caiu de 41% em dezembro para 32%.

Sobre a prisão de Lula

Segundo a pesquisa Vox Populi, 97% dos entrevistados ficaram sabendo que Lula foi preso.

Deste total, 41% consideram que Lula foi condenado sem provas, 44% consideram que a prisão de Lula foi injusta e 58% acham que ele tem o direito de ser candidato novamente à presidência da República, mesmo depois da prisão.

Aumentou de 40% para 52%, entre dezembro e abril, o percentual dos que acham que Moro trata Lula de maneira mais dura.

Também aumentou de 48% para 51% o percentual dos que consideram que quem deve julgar Lula é o povo brasileiro, nas urnas, e não Moro ou outros juízes.

Diante das duas perguntas abaixo:

1ª: Algumas pessoas dizem que Lula cometeu erros, mas fez muito mais coisas certas pelo povo brasileiro e pelo Brasil.

2ª: Outras acham que ele errou muito mais que acertou.

68% ficaram com a primeira opção (em dezembro, o percentual foi de 60%) e 26% com a segunda opção (em dezembro, eram 32%).

Para 58%, se Lula for impedido de se candidatar a presidente este ano, independentemente de votarem ou não em Lula, o ex-presidente deve ter o direito de se candidar.

Perguntados se achavam que Lula vai ser candidato na próxima eleição, 40% disseram que vai ser e 45% que não vai ser. Outros 15% não souberam ou não quiseram responder.

Prisão em segunda instância

Perguntados se achavam justo que Lula ou qualquer outra pessoa seja presa imediatamente depois de uma condenação por um tribunal de recursos ou só depois que a Justiça decida em última instância, ou seja, depois de recorrer aos tribunais superiores, 33% concordaram com a prisão e 52% disseram que a pessoa só deve ser presa depois de recorrer aos tribunais superiores.

Processo político

Para 59%, o processo, a condenação e a prisão de Lula foram políticas, pois muita gente não gosta dele. Outros 32% acham que foi um processo normal, sem se misturar com política.

Lula deve ter o direito de ser candidato

Independentemente de votar ou não em Lula, 56% acham que o ex-presidente deve ser candidato. Para 34% ele deveria ser impedido de se candidatar.

Confira a íntegra da pesquisa:
Com informações da CUT

Leia também:

Dois anos de golpe: mais desempregados, menos carteira assinada

notice

Dois anos atrás, uma inesquecível sessão da Câmara dos Deputados autorizou o prosseguimento do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, sob pretexto de "pedaladas" fiscais, mas com um vasto repertório de ataques ao governo. Muitos se declaravam indignados com o aumento do desemprego. No 1º de Maio de 2016, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), por exemplo, disse se "solidarizar" com os mais de 10 milhões de desempregados no país, segundo ele vítimas da política econômica. Na mesma data, Marina Silva (Rede) disse que seria "o pior Dia do Trabalhador deste século". Pois às vésperas do 1º de Maio de 2018, o número supera os 13 milhões. CUT

Movimentos ingressam com ação popular pela anulação do impeachment

volta dilma

Dois anos após a sessão da Câmara dos Deputados que aprovou o prosseguimento, no Senado, do processo que levaria à deposição da presidenta eleita Dilma Rousseff (PT), movimentos que atuam em prol da anulação do impeachment anunciaram nesta terça-feira (17) o ingresso de uma ação popular na Justiça Federal do Distrito Federal que pede a nulidade do impeachment. Apoiada por mais de 70 mil pessoas, que assinaram formulários distribuídos por militantes em ruas, praças, eventos culturais, festas, manifestações, shows, atos políticos e outros espaços de grande movimentação em cidades brasileiras e do exterior, a petição é assinada pelo jurista Fábio Konder Comparato.

Entre os que subscrevem a ação estão políticos, juristas, lideranças dos principais movimentos sociais, intelectuais, artistas e cidadãos de São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Paraná, Brasília, Ceará, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Santa Catarina, Piauí, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Goiás, Amazonas, Tocantins, Pernambuco, Rondônia, Sergipe e, no exterior, brasileiros residentes na Espanha, Alemanha, França, Áustria, Estados Unidos e Suíça. Entre eles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o pré-candidato à Presidência da República pelo Psol, Guilherme Boulos, o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) João Pedro Stédile e o cantor e compositor Chico Buarque. - Rede Brasil Atual
#BlogueDoSouza - Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos.



BARRAR O GOLPE : Petroleiros iniciam setoriais, rumo à greve

17 de Abril de 2018, 7:26, por #BlogueDoSouza


Os representantes dos Sindicatos filiados à FUP estiveram em Curitiba na última semana para traçar novas estratégias de luta contra a privatização do Sistema Petrobras e garantir a democracia no país. O Conselho Deliberativo indicou a realização de assembleias setoriais a partir desta segunda-feira, 16, para que os sindicatos discutam com os petroleiros a gravidade política do atual momento e ações para barra o endurecimento dos ataques contra a classe trabalhadora e a soberania nacional.

No calendário de lutas definido pela FUP e seus sindicatos, estão assembléias entre os dias 30 de abril e 12 de maio para levar à categoria o indicativo de aprovação de uma greve nacional contra as privatizações do Sistema Petrobrás e as retiradas de direitos dos trabalhadores próprios e terceirizados, além da defesa da democracia e da liberdade do ex-presidente Lula.

Foi também deliberado que os petroleiros continuem mobilizados em Curitiba, participando da vigília montada no acampamento Lula Livre, nas proximidades da Polícia Federal, onde o ex-presidente está detido, desde a decretação de sua prisão política. A FUP e seus sindicatos participarão ainda das atividades nacionais do Congresso do Povo, organizado pela Frente Brasil Popular, a ser realizado ainda neste semestre.

Leia abaixo a convocatória da FUP:

Petroleiros e Petroleiras rumo à greve

O Brasil vive tempos sombrios. O GOLPE semeou o ódio, aflorou o fascismo, rasgou a CLT, está entregando nosso petróleo e nossa água, rasgou a Constituição e fez o primeiro preso político pós 64: Luiz Inácio LULA da Silva. Assim como na ditadura, mais uma vez, as forças antidemocráticas e antipovo querem destruir a Petrobrás, com o mesmo discurso de sempre: combate à corrupção.

Em menos de dois anos, já foram privatizados 29 ativos do Sistema Petrobrás, durante a gestão golpista de Pedro Parente. É o caso da Liquigás, da Petroquímica Suape, das Térmicas Rômulo Almeida e Celso Furtado, da Nova Transportadora do Sudeste (NTS) e da Gaspetro, além dos campos de produção de Carcará, Parque das Conchas, Roncador, Lapa; das sondas P-03, P-10, P-14, P-17, P-23, P-59, P-60, entre outros. Mais 20 ativos estão em fase final de negociação para entrega, como as Fafens, a PBIO, o Campo de Baúna, campos terrestres, campos em águas rasas e a Transportadora Associada de Gás (TAG).

O desmonte também prevê o sucateamento e desvalorização das plantas do Sistema Petrobrás. A redução de efetivo no período de 2014 a 2017 foi de quase 270 mil trabalhadores. Os efetivos sofreram uma redução de 23 mil empregados próprios e de quase 240 mil terceirizados, o que agravou o número de acidentes de trabalho. A empresa já anunciou a pretensão de voltar a impor a multicarreira, que no passado levou ao trágico acidente da P-36.

Soma-se a isso as ameaças contra a AMS, através da resolução 23 do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, que “estabelece diretrizes e parâmetros para o custeio das empresas estatais federais sobre benefícios de assistência à saúde aos empregados”. Isso significará que os novos empregados não terão mais acesso à AMS e os antigos podem perder o benefício no curto prazo, como prevê seu Art. 17, onde está posto que “as empresas que estiverem operando seus benefícios de assistência à saúde em desacordo com o previsto nesta Resolução deverão se adequar em até quarenta e oito meses”.

Outro ataque grave aos petroleiros é o processo desumano que está sendo o Equacionamento do Plano Petros 1. Junto disto, estão as privatizações, as demissões e a entrega das riquezas do país para o mercado internacional.

A prisão de Lula é uma peça central neste jogo e faz parte do pacote de maldades contra a classe trabalhadora. Para o coordenador geral da FUP, José Maria Rangel, esse ataque representa a perda de 13 anos de conquistas. “Os golpistas estão acabando com nossa soberania, e fizeram tudo isto com Lula solto. Imagine agora com ele preso, o que serão capazes de fazer com nosso país e com a classe trabalhadora?”, destacou, convocando a categoria para o embate: “venha para luta junto conosco, não existe saída individual para este problema”.

Manifesto Petroleiro

A direção da FUP e seus Sindicatos elaboraram um manifesto a ser distribuído para toda a categoria para denunciar aos petroleiros e a toda sociedade o que está sendo feito pelos golpistas com a maior empresa do Brasil e sua força de trabalho.
FUP

Leia também:

Dia da infâmia na Câmara completa dois anos com um Brasil muito pior

UESLEI MARCELINO No dia 17 de abril de 2016, a Câmara dos Deputados realizou a sessão mais infame de sua história, naquela que foi definida pelo escritor português Miguel Sousa Tavares como a "assembleia de ladrões presidida por um ladrão", que afastou a presidente honesta Dilma Rousseff; o deputado que conduziu a sessão, Eduardo Cunha, foi condenado a mais de 15 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro; o governo que veio na sequência hoje é conduzido por Michel Temer, já denunciado como corrupto e chefe de quadrilha; o líder do golpe, senador Aécio Neves (PSDB-MG), deve se tornar réu por ter pedido propinas de R$ 2 milhões à JBS; enquanto isso, a presidente deposta Dilma Rousseff, mesmo derrubada pelo parlamento mais corrupto da história do País, se mantém digna e de pé - 247

Villaça: só preconceito de classe faz alguém acreditar que Lula arriscaria legado por isso


: O crítico de cinema Pablo Villaça ironizou os "benefícios" recebidos pelo ex-presidente Lula, que se revelaram falsos depois da ocupação do MTST no triplex do Guarujá; "É ridículo. Só o preconceito de classe faz alguém acreditar que Lula arriscaria todo seu legado por causa disso. Não, pior: só um idiota acharia que o suposto 'líder do maior esquema de corrupção da História!' teria recebido algo assim em troca", postou - 247

Lula é preso politico, diz professor da USP


: <p>kokay lula</p> O professor de direto da USP, Gilberto Bercovici, afirma que Lula é um preso político e que sua prisão é uma continuação do golpe de 2016; o jurista diz ainda que Lula é vítima de perseguição, assim como foram Getúlio, Juscelino e Jango - 247
#BlogueDoSouza - Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos.



Ajude os estudantes na luta pela libertação do ex-presidente Lula

16 de Abril de 2018, 6:56, por #BlogueDoSouza


Contribua com a mobilização dos estudantes de todo o Brasil que estão a caminho de Curitiba para defender a libertação do ex-presidente
A ordem de prisão do ex-presidente Lula, expedida na última quinta-feira (5) foi um duro golpe na democracia e mais um passo rumo ao aprofundamento dos retrocessos nos quais o Brasil vem mergulhando após o impeachment de Dilma Rousseff.
Para os estudantes, a prisão de Lula representa um ataque à democracia e uma violência contra os direitos garantidos na Constituição para qualquer cidadão.
Por isso, a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) estão organizando uma caravana rumo a Curitiba, no próximo dia 17 de abril. O objetivo é mostrar resistência contra a prisão política e sem provas do ex-presidente.

DOAÇÕES

Para ajudar os estudantes a chegarem em Curitiba, a União Nacional dos Estudantes e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas disponibilizaram suas contas correntes para receber doações daqueles que querem fazer parte desta luta.
Os recursos recebidos serão destinados aos gastos pertinentes ao trajeto, tais como:
– Ônibus
– Combustível
– Alimentação
O total arrecadado e os gastos serão divulgados no site da UNE por meio de uma planilha com objetivo de tornar pública e transparente a ação dos estudantes.
Faça uma doação de qualquer quantia:
Banco do Brasil
Agência: 5853-X
Conta Corrente: 6635-4
CNPJ:29.258.597/0001-50
União Nacional dos Estudantes
Caixa Econômica Federal
Agência: 2994
Operação: 003
Conta Corrente:1549-6
CNPJ: 28.180.636/0002-62
União Brasileira dos Estudantes Secundaristas

Leia também:

MANIFESTO DAS ENTIDADES ESTUDANTIS EM DEFESA DA LIBERDADE DE LULA

A história do Brasil é fortemente marcada pelo ímpeto das elites, sobretudo as estrangeiras, em submeter o país e suas instituições aos seus interesses e à manutenção de seu status quo. A ganância desses setores levou a espoliação de nossas vastas riquezas, à opressão e à exploração de nosso povo e da retirada da nossa soberania nacional. Sempre que esses interesses foram ameaçados, seja pela resistência popular ou em governos que apontaram minimamente perspectivas na vida do povo trabalhador, a reação contra nossa democracia foi violenta.
A UNE e a UBES sempre foram entidades que lutaram em defesa da liberdade, dos preceitos democráticos, dos direitos do povo e da soberania nacional. Para nós é inadmissível, que diante do cenário caótico que vive nosso país hoje, com retiradas de direitos, retrocessos nas mais diversas áreas, inclusive ataques a universidade pública brasileira, ainda tenhamos que assistir uma incessante perseguição política por parte do judiciário e da Polícia Federal a um líder popular, que hoje se destaca em primeiro lugar nas pesquisas, enquanto políticos partidários de grupos entreguistas, conservadores e da base do governo, como Aécio Neves (PSDB-MG) ou Romero Jucá (MDB-RR), e até mesmo presidente golpista Michel Temer, saem ilesos, mesmo tendo fortes evidências de envolvimento com corrupção.
A prisão de Lula é mais um desdobramento do golpe no país que tem nos imposto todos esses retrocessos. É articulado pelos mesmos atores, ainda que apresentem suas contradições, e tem o objetivo, sobretudo, de impedir qualquer tentativa que afronte seu programa neo-liberal e entreguista, consolidado após a derrubada da Presidenta Dilma Rousseff, ameaçando inclusive a própria realização das eleições.
Dentro desse contexto recentemente assistimos à outras grandes ameaças à nossa democracia, Intervenção Federal/Militar no Rio de Janeiro, uma ação autoritária e que ataca a população pobre da periferia e o brutal assassinato da vereadora Marielle Franco e de Anderson Gomes, que continuam sem explicações e que não contam, nesse caso, com a celeridade da justiça e das forças policiais.
A forma com que o julgamento, a condenação e a ordem de prisão do ex-presidente Lula foi conduzida só demonstra ainda mais como esse processo é tendencioso e imparcial. Desde a insuficiência de provas concretas, denunciada por inúmeros juristas; os argumentos falhos apresentados pelos procuradores, pelo juiz e pelos desembargadores; a manobra consolidada
no Supremo Tribunal Federal para que o Habeas Corpus de Lula fosse votado antes da Ação Declaratória de Constitucionalidade acerca da presunção de inocência e da prisão pós julgamento em segunda instância; e até mesmo a celeridade programada com que se deu o mandato de prisão por parte do Juiz Sérgio Moro, desconsiderando os recursos que ainda cabiam, 16 minutos após a notificação do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, são exemplos claros dos equívocos dessa operação.
Todos esses elementos somados nos demonstram que a defesa da liberdade de Lula tem importância fundamental e está inserida na defesa do nosso estado democrático de direito, do direito de organização coletiva, dos movimentos sociais e inclusive das prerrogativas e direitos individuais. Nós, estudantes, historicamente estivemos na linha de frente da luta pela democracia e cumprimos um papel decisivo nos períodos de acirramento da luta política no nosso país. E nesse momento não pode ser diferente.
Nesse sentido, convocamos todos os estudantes universitários e secundaristas e entidades estudantis a irem à Curitiba no próximo dia 17 onde realizaremos atividades pela liberdade de Lula e o lançamento da UNE Volante, além da organização de Comitês em Defesa da Democracia Liberdade de Lula nas universidades e escolas de todo o país, reunindo cada vez mais pessoas, travando o debate sobre os equívocos desse processo, os desdobramentos para nossos direitos e para nossa democracia e denunciando a perseguição a Lula, que faz parte do mesmo enredo que ataca as universidades e escolas públicas, a nossa soberania e os nossos direitos.
Diretoria Executiva da União Nacional dos Estudantes (UNE)
Diretoria Executiva da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (UBES)

#BlogueDoSouza - Democratização da Comunicação, Reformas de Base e Direitos Humanos.



Tags deste artigo: democratização da comunicação direitos humanos marco civil da internet reforma política comissão da verdade reforma tributária reforma agrária pne projeto de lei da mídia democrática auditoria cidadã reforma urbana reforma do judiciário lei de acesso à informação discriminação racial portadores de necessidades especiais homofobia lei de meios

Por trás do golpe

Este Impeachment é golpe!

Dilma Rousseff