Ir al contenido

jurubebadigital

Regresar a arquivos
Full screen

JurubebaDigital

abril 3, 2011 21:00 , por Desconocido - | No one following this article yet.

Qual as coincidências entre o miliciano bolsonarista Adriano Magalhães e o Strappalhao de bombacha (conhecido como Strappazzon)?

1- Adriano miliciano bolsonarista suspeito de matar a vereadora do PSOL Marielle Franco;

2- Strappalhao de Bombacha (Strappazzon), suspeito de sumir com a placa de identificação do Serpro da regional gaúcha.

O miliciano Adriano Magalhães já recebeu honrarias do Flávio Bolsonaro. Já Strappazzon sempre é alvo de esculhambação da galera da FNI serpriana gaúcha.🤑🤑🤑


Software Livre é política de Estado, não de governos

julio 1, 2020 11:21, por AntonioCarlosMeloSilva

Estamos compartilhando o excelente artigo dos companheiros ativistas do movimento Software Livre: Deivi Lopes Kuhn e João Cassino na REVISTA FÓRUM:

"O modelo de licenciamento utilizado pelo Software Livre garante pleno acesso à tecnologia utilizada nos sistemas digitais, criando formas colaborativas e mais justas de desenvolvimento tecnológico"

 

 

https://revistaforum.com.br/debates/software-livre-e-politica-de-estado-nao-de-governos-por-deivi-lopes-e-joao-cassino/

 



Nem aqui, nem na CHINA!

abril 17, 2020 14:19, por AntonioCarlosMeloSilva

A expressão do senso comum para um certo excesso de negação.  Nem aqui, nem na CHINA.

Hoje, os EUA via TRUMP afirmou que não vai mais direcionar nenhum centavo para OMS - Organização Mundial Da Saúde.  O gado Bolsonarista foi ao delírio. 

A China via seu comitê governamental em sintonia com o comitê Central do Partido Comunista Chinês,  logo, anunciou: OMS não se preocupem,  iremos garantir os recursos financeiros que TRUMP através de bravata está bloqueando. 

A China estará demonstrando que já exercita pedras no tabuleiro geo-politico que o bônus da pandemia é lhes posicionar ao podium de superpotência mundial? Com isso, a mãe águia ainda sob controle de TRUMP foi rebaixada para série B.

Quem viver, verá!

 



Ensaios dos velhos golpes nos tempos modernos?

abril 6, 2020 10:23, por AntonioCarlosMeloSilva

Um tal vice procurador eleitoral requenta as falsas denuncias da pato manco Lava Jato (Farsa Jato), em dobradinha com o Ministério Público Bolsonarista propondo a cassação do partido dos trabalhadores.

A denuncia está no mesmo perfil do que os juristas pela democracia já denunciaram de LAWFERE.

O vice procurador embedecido da bilis golpista e bolsonarista em seu momento de virus odiento, surtou ou sonha em extinguir totalmente o maior partido do Brasil com aproximadamente 2.5 milhões de filiados, o partido com a maior bancada da cÂmara dos deputados.

Provavelmente, o PT com outros partidos de esquerda exigiram a interdição de Bolsonaro, o engajamento do Consórcio do Nordeste no enfrentamento com as milicias bolsonarista que incluem setores da justiça, como o tal vice procurador eleitoral, são os motivos centrais para o ira aloprada do vice procurador eleitoral fascista.

Como nas valas comuns do Bolsonarismo o virus que contagia é a possibilidade do estado de sitio, o vice procurador eleitoral e o MP acreditam que o velho método da ditadura militar que cassou os registros dos partidos PCB e PTB, em seguida, através do famigerado ato institucional fechou todos os partidos implantando a farsa do BI-partidarismo.

Velhos tempos de métodos de golpe nos "novos" tempos modernos que prevalece as fake news bolsonarista.



General Heleno e a bola de cristal

junio 26, 2019 20:22, por AntonioCarlosMeloSilva

Inimaginável o avião presidencial transportando 39 kg de cocaína. O caso repercute no mundo haja vista que o "Presidente" Messias Bolsonaro viajava para um evento importante.

Estamos todos surpresos como a segurança presidencial chefiada pela ABIN (na figura do general de pijama Heleno) deixou toda a carga penetrar calmamente no avião presidencial? Kkkkkkkkkk foi de rir a justificativa do incompetente general Heleno que não tinha bola de cristal para adivinhar que a droga estava no avião da FAB.

General Heleno não precisa ter bola de Cristal, precisa ligar o raio X das bagagens. Simples assim.

Mas a pergunta que não quer calar quem é o verdadeiro dono da cocaína? Ou irão acreditar que o simpático Sargento é o dono da droga? E qual a origem da droga? De onde veio? São R$ 5,8 milhões em cocaína no avião da FAB.

Ficamos a imaginar se 39 kG de cocaína pertencesse de alguém da oposição ao Governo? Que festa no twitter presidencial estaríamos presenciando do "MITO" e sua família.

 

Img 20190626 wa0096



Pastor empresário enganador do povo

junio 19, 2019 9:12, por AntonioCarlosMeloSilva

Ontem (18/06), o senado federal por 47 favoráveis derrubou a insanidade do governo Bolsofascista em relação ao famigerado projeto de liberação das armas. 

No outro front 27 senadores votaram a favor da insanidade do Governo. Tivemos o cuidado de filtrar na bancada de senadores do Pará como votaram nossos 3 senadores. A fonte é dos jornalistas: poder360

 

1- senador Paulo Rocha (PT) votou contra o projeto armamentista/bolsonarista;

 

2- Jáder Barbalho (MDB), AUSENTE. Aliás, Jáder Barbalho é campeão de ausências no senado, leia sso de gazeteiro.

 

3- Zequinha Marinho (PSC) votou a favor da insanidade armamentista bolsonarista. Aqui cabe uma observação. Metido a ser pastor evangélico Zequinha Marinho e sua família toda encrustrada na política partidária. Sua mulher (Júlia Marinho), hoje, exerce mandato de deputada federal também é metida a ser pastora. A referida deputada sempre vota contra os interesses do povo pobre na câmara dos deputados vide a famigerada reforma trabalhista. 

Tanto Zequinha Marinho e sua mulher Júlia Marinho não nos representam no parlamento, pois usam a política partidária para seus interesses próprios, além disso, enganam os mais pobres evangélicos com a feição de representantes de Deus, na verdade são fariseus, funcionam como pastores empresariais com seu patrimônio familiar crescendo de forma "surpreendente".

De olho em Zeca Marinho senador:

 

Senador zequinha marinho



Etiquetas de este artículo: inclusão digital software livre linux política