Ir para o conteúdo

Luiz Muller Blog

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

ASSASSINOS DE SUZANO ERAM EXTREMISTAS DE DIREITA E APOIAVAM BOLSONARO

14 de Março de 2019, 16:25 , por Luíz Müller Blog - | No one following this article yet.
Visualizado 126 vezes

Guilherme Taucci Monteiro (na foto com Bolsonaro) e Luiz Henrique de Castro cometeram um “acto sanctus”. Assim são chamadas ações com propósitos terroristas no submundo da internet onde encontra-se a rede Dogolachan, uma espécie de fórum anônimo de cunho extremista e que se diz vinculado ao movimento Alt-Right (direita alternativa). Para quem não sabe, o Alt-Right é uma organização de supremacistas brancos nascidas em solo norte-americano dirigida por Steve Bannon que tem laços aqui no Brasil através de Eduardo e Jair Bolsonaro. Basta lembrar que Bannon, um dos estrategistas da campanha de Donald Trump nos EUA auxiliou o presidente fascista brasileiro a montar uma ampla rede de fakenews destinada a gerar o ódio contra a esquerda, cegar parcela da sociedade e alçar Bolsonaro à presidência. Vitorioso, Bannon nomeou Eduardo Bolsonaro como líder da organização na América do Sul.

Parece que isso tudo nada tem a ver com o massacre que dois jovens entusiastas de games violentos realizaram em Suzano. Ledo engano.

Guilherme e Luiz Henrique, além de vizinhos, compartilhavam da mesma visão de mundo e frequentavam a mesma rede extremista. Foi no Dogolachan, com a ajuda de outras pessoas de extrema-direita, que eles planejaram todos os passos da chacina. Desde a estratégia inicial até a compra de armas e formas de executá-la. Guilherme pensava em entrar na escola sozinho com um facão e atingir pessoas aleatoriamente. No fórum foi convencido de que necessitava de companhia, armas, treinamento e até a elaboração de um manifesto onde explicitaria seus motivos e defenderia outros crimes semelhantes como forma de fazer prevalecer a ideologia nazista. O manifesto foi a única parte que não saiu ou ao menos ainda não foi divulgado pelos investigadores do caso, mas o “acto sanctus” foi comemorado no Dogolachan. Seus integrantes, os mesmos que ameaçam constantemente a blogueira Lola Aronovich e políticos de esquerda como Jean Wyllys, Maria do Rosário, Manuela D’Ávila, Márcia Tiburi, entre outros, viram na tragédia promovida por seus “soldados” uma oportunidade para desencadear outras ações semelhantes Brasil afora. Chegam a sugerir um ataque na Rua Augusta, em São Paulo, direcionado contra LGBTQIs, negros e “maconheiros”.

Estamos diante de uma rede de pessoas extremistas dispostas a tudo para chamar a atenção da supremacia branca e do nazismo. Ideologias representadas, segundo um dos seus líderes mundiais, pela família Bolsonaro no Brasil.

Da Rede Povo


Fonte: https://luizmuller.com/2019/03/14/assassinos-de-suzano-eram-extremistas-de-direita-e-apoiavam-bolsonaro/

Novidades