Ir para o conteúdo

Luiz Muller Blog

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Holandeses vieram, viram e confirmam: O Sistema Contra Cheias de Porto Alegre é bom. Ruim é a gestão!

17 de Junho de 2024, 16:10 , por Luíz Müller Blog - | No one following this article yet.
Visualizado 16 vezes

Foi preciso que Técnicos da Holanda, que tem 70% do território abaixo do nível do mar e tem experiência de Sistema de Proteção contra Cheias desde o Século 17, viessem a Porto Alegre confirmar o que Diferentes Grupos de Técnicos e Engenheiros da UFRGS , DEMAE e outros daqui já tinham dito:

O relatório preliminar da comitiva holandesa, com as sugestões, foi apresentado no dia 10/06 e deve ser entregue ao DMAE até o dia 30:

Entre as propostas consta: “a recuperação do sistema de proteção contra enchentes, a instituição de um sistema de monitoramento de níveis, vazões e ventos, e a criação de mecanismos para verificar a integridade dos componentes do sistema, como diques.”

Ou seja: O Sistema é bom. Precisa ser “recuperado”, por que pela falta de manutenção e de Geradores, Casas de Bombas deixaram de funcionar e comportas romperam com a força da água e outras acabaram sendo derrubadas pela Prefeitura, por que o Nível da água no Centro de Porto Alegre durante vários dias esteve mais alto do que no próprio Rio Guaíba. Absurdo? Não. Estava mais alta aqui dentro, por que além de não jogar mais o grande volume de chuvas pra dentro do Rio, as bombas não funcionando, elas acabaram sendo “porta de entrada” pra água do Rio que se somou a água da chuva que caia. Como morador do Centro eu mesmo vi, ainda no dia 3/05, a água invadindo as ruas pela casa de bombas.

Os holandeses também sugeriram o acompanhamento das previsões climáticas, a emissão de alertas para a população e a criação de um Sistema Integrado de Proteção contra Enchentes, envolvendo município, estado e governo federal.

Essas sugestões já haviam sido dadas pela UFRGS, através do IPH, salientando-se que as previsões baseadas nos modelos hidrológicos da cheia foram muito precisas e deveriam ter sido utilizadas pela prefeitura para balizar as ações de enfrentamento da crise.

Mas… A forma atabalhoada como a Prefeitura e o Prefeito trataram moradores das regiões atingidas, criando pânico, gerando confusão e pior, com o Prefeito tentando responsabilizar os moradores, acusando-os de morar onde não deveriam, deixou patente que pelo menos até aquele momento, a ciência sobre os temas sobre o Meio Ambiente não tinham espaço no Gabinete e nem na gestão da Prefeitura.

Há muito o tema do Saneamento não é mais tratado apenas como “básico”, mas sim como “Saneamento Ambiental”, por que diz respeito não mais só encaminhar e tirar o esgoto da cidade, mas de criar as condições para que a Vida e a Saúde dos Cidadãos seja preservada”, diz o Ex Diretor do DEP, Engenheiro Vicente Rauber.

O DEP – Departamento Municipal de Esgotos Pluviais, que foi desativado por Sebastião Melo em 2019, na contramão inclusive do Novo Marco Legal do Saneamento, era o órgão responsável pela supervisão e manutenção do Sistema de Proteção contra as Cheias e como diz seu nome, pelo Esgoto Pluvial, aquele das aguas que inundaram o Centro Histórico mesmo antes da chegada da água do Rio pelas comportas rompidas. Aliás, as águas da chuva meses antes já tinham alagado uma parte do Mercado Público e região, quando nem enchente do Rio havia.

Com o Desmonte do DEP, as atribuições foram passadas ao DMAE. No entanto, apesar da Vital Função do DEP, nenhum recursos novo foi injetado no DMAE e nem Técnicos e Servidores a mais destacados para manter funções essenciais para a vida dos cidadãos.

E pra piorar, o Prefeito, na ânsia de Privatizar tudo que é público, queria privatizar também o DMAE e pior, com muito dinheiro em Caixa.

Por isto, mesmo com o DMAE tendo mais de R$ 400 milhões em Caixa, proibiu que a autarquia fizesse muitos investimentos necessários como estes no Sistema de Proteção as Cheias, por que quer entregar a empresa “com dinheiro em caixa”, como ele próprio chegou a dizer.

O que fica cada vez mais evidente, é que ou propositalmente falta uma gestão da Cidade voltada para o conjunto de seus cidadãos, ou se trata de incompetência.

Olhando para posturas do Prefeito, que extinguiu o DEP, defendia a Derrubada do Muro da Mauá junto com o Governador, para que privatizada a área do Porto, ali também pudessem ser construídos suntuosos prédios só acessíveis a poucos milionários, e também a pressa em aceitar uma parceria com a tal Alvarez & Marçal, já envolvida com bilionárias negociatas em New Orleans depois do furacão Katrina, eu diria que isto faz parte de um Projeto mesmo.

Imagina agora, como assustados cidadãos vão querer vender suas casas nas regiões atingidas, por que julgadas “desvalorizadas”.

Há notícias de que os poucos voos possíveis para Porto Alegre, via Canoas, tem trazido muitos representantes de mega incorporadoras nacionais e internacionais, que obviamente estão comprando tudo que dá de cidadãos temerosos de novas enchentes, que virão, se esta ‘gestão” continuar com quem e como esta.

Mas, o SISTEMA DE PROTEÇÃO AS CHEIAS FUNCIONA, MAS PRECISA DE SUPERVISÃO, MANUTENÇÃO E ATUALIZAÇÃO PERIÓDICA, como disseram dezenas de técnicos daqui e que foram CONFIRMADOS pelos Especialistas Holandeses.

“Considerando que a Cidade possui mais de 40% de sua área praticamente na mesma cota das águas do Guaíba em tempos normais, tem a necessidade de completar, aperfeiçoar e manter o seu Sistema de Drenagem Urbana, manter e aperfeiçoar permanentemente o seu Sistema de Proteção contra inundações, é necessário e urgente recriar uma estrutura de primeiro escalão, o DEP ou semelhante. As empresas de saneamento de água potável e esgotos, por absoluta emergência e por ter tarifa específica para estas atividades, como é o caso do DMAE, não tem e não terão qualquer prioridade para as atividades de drenagem urbana e proteção contra inundações” Recorte do Documento dos Técnicos e Ex Diretores do DEP que pode ser conferido na íntegra clicando no link a seguir:


Fonte: https://luizmuller.com/2024/06/17/holandeses-vieram-viram-e-confirmam-o-sistema-contra-cheias-de-porto-alegre-e-bom-ruim-e-a-gestao/

Novidades