Ir para o conteúdo

Luiz Muller Blog

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

NOTA DO MST SOBRE CONDIÇÕES DE MORADIA DAS TURMAS DE MEDICINA VETERINÁRIA NA UFPEL

21 de Maio de 2019, 9:25 , por Luíz Müller Blog - | No one following this article yet.
Visualizado 19 vezes
Formandos de medicina Veterinaria – UFPEL (Foto Wilian Gomes MST)

O MST vem a público repudiar os vídeos publicados pelos senhores Miguel Pagano e Gabriel Rubem, veiculados nas redes sociais entre os dias 4 e 7 de maio de 2019, nos quais os autores tratam das condições do prédio da antiga AABB – hoje pertencente à UFPel, onde estão alojados os/as estudantes do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (PRONERA).

O PRONERA propõe e apoia projetos de educação voltados para o desenvolvimento das áreas de Reforma Agrária. No caso da UFPel, o programa oportunizou a formação de 87 médicos/as veterinários/as, garantindo a esses/as jovens e suas comunidades novas possibilidades de educação, trabalho e cidadania.

A suposta defesa das condições de alojamento das Turmas Especiais do PRONERA está lastreada na tentativa de desgastar uma Reitoria que se manifesta contrária aos cortes orçamentários promovidos por este governo insano e autoritário.

Esses senhores, malandramente, afirmam que a Reitoria da UFPel recebeu centenas de recursos do Governo Federal e os desviou das finalidades, gerando essa situação de precariedade. Com isto, os autores dos vídeos querem justificar a necessidade dos cortes de 30% às universidades públicas.

Esclarecemos que o Governo Federal, através dos convênios amparados pelo PRONERA e operacionalizado pelo INCRA, deve à UFPel mais de R$ 719 mil para garantir o pleno funcionamento das Turmas Especiais. Lembrando que o valor repassado a todas as universidades federais que possuem Turmas Especiais pelo PRONERA é de R$ 7,600 aluno/ano.

Devemos esclarecer que os/as educandos/as das Turmas Especiais de Medicina Veterinária só conseguem se manter nesse curso em função do irrestrito apoio da atual Reitoria, que nestes últimos dois anos se colocou plenamente à disposição para ajudar a minorar os impactos das ausências dos referidos recursos públicos. Inclusive em 2017, em conjunto com o MST, elaborou um Projeto de Revitalização das Moradias existentes na Fazenda Palma/UFPel, entregue à Superintendência Regional do INCRA, que até o presente momento não tem resposta positiva para o seu financiamento.

Também cabe esclarecer que esse tipo de solidariedade em nada contribui para melhorar as condições de alojamentos desses/as jovens. Ao contrário, apenas cria condições jurídicas para dificultar o acesso destes/as estudantes ao ensino superior. Ao mesmo tempo, é evidente que esses/as educandos/as sabem como se representar, se organizar e encaminhar suas demandas junto aos órgãos competentes, dispensando esse falso apoio.

O MST reafirma o seu apoio e solidariedade incondicional à comunidade universitária frente à ofensiva obscurantista e privatizadora do atual Governo Federal e se dispõe a contribuir naquilo que for necessário para defender a UFPel pública, gratuita e de qualidade, bem como defender a autonomia das universidades federais, duramente conquistadas em nosso passado recente.

Pelotas, 17 de maio de 2019.


Fonte: https://luizmuller.com/2019/05/21/nota-do-mst-sobre-condicoes-de-moradia-das-turmas-de-medicina-veterinaria-na-ufpel/

Novidades