Ir para o conteúdo

Luiz Muller Blog

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Reforma da Previdência: Liberais e bolsonaristas juntos contra a Professores e a Educação

11 de Julho de 2019, 16:20 , por Luíz Müller Blog - | No one following this article yet.
Visualizado 19 vezes

Professoras terão que trabalhar pelo menos mais 7 anos que hoje, parase aposentar e Professores mais 5 anos. Isto tem a ver com a destruição da educação promovida de forma deliberada por Bolsonaro e sua trupe e agora com o aval dos ditos “liberais”, incluindo alguns com carinha jovem mas “velhacos” de espirito, como definiu Fernando Brito no Tijolaço. Ou alguém acha mesmo que Professores mal pagos em escolas caindo aos pedaços e obrigados a trabalhar por muitos mais anos, vão melhorar a educação no Brasil. Boa parte dos professores no Brasil e no RS, sequer recebem o salário mínimo mas ainda por conta de uma “vocação”, lecionam de forma heroica bairros, vilas e rincões do Brasil e do Rio Grande do Sul.

Liberais capitaneados por Rodrigo Maia e pagos por grandes capitalistas como o dono da AMBEV e o apresentador Luciano Huck se juntam com Bolsonaro para selecionar os melhores nas escolas públicas e deixar a grande maioria sem educação nenhuma.

Leia o artigo publicado pelo CPERS SINDICATO em sua página na rede:

Governo e centrão rejeitam destaque que pouparia professores(as) da Reforma da Previdência


Após aprovar o texto base da Reforma da Previdência, na noite desta quarta-feira (10), o presidente da Câmara – Rodrigo Maia (DEM) – realizou uma manobra desleal para impedir que professores(as) fossem retirados(as) da Reforma da Previdência.

Ao perceber que o destaque que manteria as regras atuais da aposentadoria seria aprovado, Maia encerrou a votação da proposta antes que o conjunto dos deputados voltasse ao Plenário. O destaque necessitava de 308 votos a favor. Com a ausência de 61 deputados, a medida terminou rejeitada apesar de receber 265 votos favoráveis a 184 contrários.

Caso a Reforma seja aprovada nas próximas instâncias, a idade mínima exigida para a aposentadoria passará de 50 para 57 anos para professoras e de 55 para 60 anos para professores. A PEC acaba com a aposentadoria especial do magistério, ignorando as condições de insalubridade da profissão.

O CPERS, apesar de representar educadores(as) da rede pública, sempre defendeu a derrubada integral do texto. É preferível rejeitar o texto em sua integralidade a propor mudanças parciais que jogam trabalhador contra trabalhador e fracionam a resistência. A rejeição do destaque é apenas mais um indicativo da crueldade do governo e sua base no Congresso.

Nesta sexta (12), a categoria está convocada a se somar ao Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência. Em Porto Alegre, o ato será realizado às 18h na Esquina Democrática.

Deputados gaúchos que votaram contra os(as) professores(as):

Alceu Moreira – MDB
Bibo Nunes – PSL
Carlos Gomes – PRB
Daniel Trzeciak – PSDB
Darcísio Perondi – MDB
Giovani Feltes – MDB
Jerônimo Goergen – PP
Lucas Redecker – PSDB
Marcel van Hattem – Novo
Márcio Biolchi- MDB
Maurício Dziedricki – PTB
Nereu Crispim – PSL
Pedro Westphalen – PP
Santini – PTB

Deputados(as) gaúchos(as) que votaram contra a aposentadoria de todos(as) os(as) trabalhadores(as):


Fonte: https://luizmuller.com/2019/07/11/reforma-da-previdencia-liberais-e-bolsonaristas-juntos-contra-a-professores-e-a-educacao/

Novidades