Ir para o conteúdo

News

Voltar a Cultura
Tela cheia Sugerir um artigo

O samba-enredo que exaltou a liberdade em plena ditadura

19 de Março de 2018, 9:54 , por segundo clichê - | No one following this article yet.
Visualizado 208 vezes

  Latuff ditadura de toga

Carlos Motta


O Carnaval se foi, não se fala mais no samba da Tuiuti, mas o país continua sob o impacto de um mal disfarçado golpe de Estado, que trocou uma presidenta honesta por uma quadrilha que segue, impunemente, o assalto às, cada vez menores, riquezas nacionais.

O Carnaval se foi, mas este não é o país do Carnaval, com golpe ou sem golpe, com democracia ou sem democracia?

Assim, nunca é demais lembrar que não foi só a Tuiuti quem aproveitou o desfile para denunciar a grave situação vivida pela nação, para dar um forte recado às autoridades e, sob o poderoso ritmo do samba, proporcionar um momento de catarse coletiva.

Em 1969, poucos dias depois do fechamento total do regime, com o fatídico AI-5, o retrato por inteiro da ditadura militar, a Império Serrano levava, corajosamente, ao público o enredo "Heróis da Liberdade", cantando o samba-enredo de Silas de Oliveira, Mano Décio da Viola e Manoel Ferreira.

Para que isso fosse possível, foi preciso trocar a palavra "revolução" por "evolução" na letra. O zelo do censor, porém, não foi suficiente para impedir que as pessoa compreendessem que a música não falava propriamente do movimento abolicionista, mas que era uma alegoria sobre o momento social e político do Brasil.

E que dava um recado claro sobre como o povo deve proceder para promover mudanças - a revolução deve nascer de um movimento coletivo, que envolva a todos:

"Ao longe soldados e tambores
Alunos e professores
Acompanhados de clarim
Cantavam assim:
Já raiou a liberdade
A liberdade já raiou"


"Heróis da Liberdade" é apontado como um dos melhores - se não o melhor - samba-enredo de todos os tempos.

Foi gravado por inúmeros medalhões da música popular brasileira - João Bosco preservou a letra original, com a palavra "revolução".

Mas coube a Roberto Ribeiro, cantor extraordinário, fazer o registro definitivo dessa obra-prima - é algo de arrepiar!



Ô ô ô ô
Liberdade, Senhor,
Passava a noite, vinha dia
O sangue do negro corria
Dia a dia
De lamento em lamento
De agonia em agonia
Ele pedia
O fim da tirania
Lá em Vila Rica
Junto ao Largo da Bica
Local da opressão
A fiel maçonaria
Com sabedoria
Deu sua decisão lá, rá, rá
Com flores e alegria veio a abolição
A Independência laureando o seu brasão
Ao longe soldados e tambores
Alunos e professores
Acompanhados de clarim
Cantavam assim:
Já raiou a liberdade
A liberdade já raiou
Esta brisa que a juventude afaga
Esta chama que o ódio não apaga pelo Universo
É a evolução em sua legítima razão
Samba, oh samba
Tem a sua primazia
De gozar da felicidade
Samba, meu samba
Presta esta homenagem
Aos "Heróis da Liberdade"
Ô ô ô


Fonte: http://segundocliche.blogspot.com/2018/03/o-samba-enredo-que-exaltou-liberdade-em.html

Notícias

News

Minha rede

Faça uma doação