Ir para o conteúdo

Software Livre

Tela cheia Sugerir um artigo

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

FISL18 está adiado para julho de 2018

23 de Agosto de 2017, 11:23, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Caras e Caros apaixonadas e apaixonados, evangelistas, desenvolvedoras e desenvolvedores, difusores, entusiastas e usuários do Software Livre no Brasil:

Vocês foram os únicos responsáveis por dezessete edições do Fórum Internacional Software Livre. Vocês foram não apenas a razão de ser destas edições de quase duas décadas, mas também as pessoas que sustentaram cada uma delas, com suas milhares de inscrições e muitas centenas de patrocínios estimulados por seus movimentos e relações. Vocês foram as pessoas que deram a cada uma de suas edições, vida, alma, energia e razão para acontecer.

Em síntese, esse Movimento é de cada um de vocês, tem o crédito, a assinatura e a cara de cada um de vocês, com presença ano após ano, ou intercalados, ou episódicos, não importa. Mais que isso, ele é, e continuará sendo, o que cada um de nós estiver disposto a fazer com que ele seja.

Muitos acham que este Fórum Internacional Software Livre, carinhosamente chamado por todos nós de FISL, deveria ter outros formatos, outros tamanhos, outras finalidades.

Que ele deveria mudar e tornar-se mais parecido com este ou aquele evento, mais dinâmico, mais empreendedor, mais focado.

Talvez pelo fato de ter perdido o apoio financeiro dos governos federal, estaduais e municipais, combalidos pela crise econômica mundial, apesar da ironia de que justamente um investimento público maior e sistemático em softwares livres pudesse ajudá-los a mitigar, contornar ou mesmo encaminhar o problema da economia deste país.

Ou, talvez pelo fato de que as empresas, agora em situação dramática, cortam todas as suas despesas "supérfluas", esquecendo que muitas vezes cresceram e muitas vezes saíram da crise com o uso silencioso do software livre em seus processos, ou em seus serviços.

Desde o princípio, nós fizemos a opção pela liberdade. E dado que desejamos preservar nossa missão e radicalizar em nossos propósitos, fazendo o uso, a defesa e a difusão cada vez mais efetivos dos softwares livres, precisamos perseguir a independência total e absoluta de fornecedores.

Foi por esta principal razão que solicitamos não uma mera inscrição, mas uma doação equivalente a possibilidade de cada uma e cada um, em favor do PSL.Br . Um grande esforço nacional e coletivo para a preservação de uma grande ideia.

No entanto, a crise que atinge a nós todos tem provocado retrações e comedimentos de todos, sem exceção, fazendo com que não alcançássemos até aqui, a meta mínima necessária para garantir o evento, sem solução de continuidade para a ASL.Org e para o Projeto.

Nos cumpre informar, contudo, que não esmoreceremos!!!

O FISL está adiado para julho de 2018, na data de costume e por absoluta imposição da conjuntura.

Continuaremos em nosso esforço de captação de doações e patrocínios, assim como continuaremos a organização do temário em conjunto com todas as comunidades que representam esse maravilhoso movimento, mundo a fora.

Além disso, fruto da importância imperiosa de discutirmos acerca de nosso destino e de novas estratégias, no período anunciado de 01 a 04 de outubro, em Porto Alegre, faremos um sério debate, para o qual estão convidados desde já todas e todos que se sentem compromissados com a causa do software livre, para refletirmos sobre "O futuro do software livre no Brasil e no mundo", com o propósito de lançar as bases para a construção de novas estratégias que nos permita avançar na próxima década.

Venha com a gente, faça parte dessa construção.

Saudações livres!

Coordenação da ASL.Org

Software Livre - A tecnologia que liberta

Fisl18 - Fórum Internacional Software Livre

"Informação e comunicação abertas para a sociedade."

11 a 14 de julho de 2018 - Centro de Eventos da PUCRS - Porto Alegre - Brasil



Instâncias hispanófonas do GNU Social - 2

22 de Agosto de 2017, 13:40, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Listo abaixo as instâncias da rede federada GNU Social dedicadas principalmente ao espanhol, com detalhes sobre cada uma. Deixei de fora social.undernet.uy pois nela há apenas bots de sites comuns de notícias, então não serve pra usar como comunidade de interação humana.

Não existem instâncias significativas dedicadas à língua portuguesa. As instâncias foram descobertas em Fediverse.org , mas este site não inclui todas as informações que eu desejava.

 

Nome Qvitter? Usuários Ativos Registro Comprimento
Quitter Català sim 126 37 aberto 1000
Quitter España não 8255 229 aberto 1000
Bobinas P4G não 12 8 fechado 5000
Redere Quitter sim 24 4 aberto 1000
Quitter Chile sim 27 3 aberto 1000

O blog Anders Bateva tem uma conta no GNU Social, no seguinte endereço: https://quitter.es/andersbateva.

Licença Creative Commons O texto deste post de Anders Bateva está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.


4 razões para o linux ser o sistema operacional que mais cresce no mundo

22 de Agosto de 2017, 13:21, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

No início dos anos 90, Linus Torvalds, o criador do Linux, anunciou que tinha criado um sistema operacional livre, mas que só era um hobby. Naquele momento ele nem imaginava que este se tornaria um dos mais importantes sistemas operacional do mundo e que o Linux receberia o crédito de fazer decolar a internet, a cloud computing e a Internet das Coisas.

Neste post vamos apresentar algumas razões que levaram o Sistema Operacional Linux a se expandir tão rapidamente,  tornando-se presente em uma gama imensa de dispositivos e equipamentos.

1) O LINUX ESTÁ EM TODOS OS LUGARES

O Linux é um software usado para controlar hardware como computadores desktop e laptop, supercomputadores, dispositivos móveis, equipamentos de rede, aviões e automóveis; A lista não tem fim. O Linux está em todo lugar.

Talvez você não saiba, mas certamente você já está usando o Linux todos os dias.Toda vez que você usa o Google ou o Facebook ou qualquer outro site importante da Internet, você está se comunicando com os servidores que executam o Linux. Um número grande de dispositivos, desde desktop e servidores aos seus smartphones e televisores estão rodando Linux. Ainda não se convenceu? Se você estiver usando um telefone Android, você, com certeza, está usando o Linux.

2) O LINUX É VERSÁTIL

Você pode usar o Linux em praticamente qualquer coisa que você desenvolva. Na esteira da tendência tecnológica da Internet das Coisas, que se propõe a interconectar todos os objetos presentes no nosso cotidiano, tais como eletrodomésticos, meios de transporte e até mesmo roupas, e rede de dados.

Por ser tão versátil, com o Linux podemos fazer de grandes a pequenas implementações,  de acordo com nossa necessidade.

Nessa linha, a Linux Foundation encabeça um consórcio para estabelecer um modelo aberto de padronização para a Internet das Coisas, chamado Edgex Foundry. Este consórcio tem como objetivo estabelecer um ecossistema de interoperabilidade. E, sem sombra de dúvida, esta é uma estratégia da Linux Foundation para ter o Linux como sistema operacional padrão na Internet das Coisas.

3) LINUX É UMA COMUNIDADE

A grande genialidade do Linux está em sua comunidade e não na tecnologia. Como disse  Jim Jagielski,  presidente da Apache Foundation: ” Construir um kernel é fácil, em comparação com a construir uma comunidade saudável e viável. O Linux é bem sucedido porque a comunidade é bem sucedida.”

Quando você entra no mundo Linux, você se torna um membro de uma comunidade especial.Sempre que você tiver um problema no Linux, você pode ir a um fórum on-line, onde têm um monte de pessoas prontas para responder seus questionamento com muita agilidade. Um ótimo exemplo disso é a  Viva o Linux, que é a maior comunidade Linux da América Latina.

Outro fator que reflete o poder da comunidade é a grande equipe de desenvolvedores voluntários que participam ativamente no desenvolvimento do kernel do Linux. Só para ter uma ideia a cada 2 a 3 meses são liberadas novas versões do kernel. Nestes desenvolvimentos estão envolvidos milhares de desenvolvedores voluntários e centenas de empresas que investem no projeto.

4) LINUX É SOFTWARE LIVRE

Software livre não está relacionado ao ser de graça, mas à liberdade. O Linux está disponível sob a licença GNU GPL, ela baseia-se em 4 liberdades, as quais são:

  • Liberdade 0 – Liberdade para o programa para quaisquer propósitos;
  • Liberdade 1 – Liberdade para estudar como o programa trabalha e adaptá-lo às suas necessidades. Ter acesso ao código fonte é essencial para isso.
  • Liberdade 2 – Liberdade de redistribuir cópias de forma que você possa ajudar outras pessoas.
  • Liberdade 3 – Liberdade para melhorar o programa e disponibilizar as melhorias para o público, de forma que toda a comunidade possa se beneficiar disso. Ter acesso ao código fonte é essencial também para isso.

Isto significa que o sistema operacional pode ser usado livremente em quase qualquer produto ou serviço que você está desenvolvendo, desde que os termos da licença GPL sejam respeitados.

O software é livre e o objetivo principal da comunidade é melhorar o sistema operacional. Isso significa que você pode usufruir do trabalho dos outros desenvolvedores e nunca será obrigado a comprar uma nova versão ou atualização do sistema operacional. Desde que você contribua para a comunidade, ela contribuirá de forma colaborativa com você.

CONCLUSÃO

À medida que as pessoas melhoram e criam maneiras inteligentes de fazer o Linux rodar em uma quantidade imensa de dispositivos e plataformas, eles proporcionam, também, com suas inovações, que outras pessoas possam participar de forma colaborativa, formando um verdadeiro círculo virtuoso. Esta comunidade é responsável pelo enorme crescimento e versatilidade do Linux. Pelo fato dessas pessoas estarem usando e constantemente contribuindo, este software é melhor e mais versátil que qualquer empresa ou indivíduo poderia criar por conta própria.

Se você gostou deste artigo compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário falando o que você acha das 4 RAZÕES PARA O LINUX SER O SISTEMA OPERACIONAL QUE MAIS CRESCE NO MUNDO.

 



Projeto opensource 100% brasileiro (precisamos de colaboradores)

22 de Agosto de 2017, 13:21, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Bom dia. Sou desenvolvedor e mantenedor de um sistema OPENSOURCE para provedores de telefonia IP, que desde 2014 passei o projeto para OPENSOUCE. Projeto 100% brasileiro.

Atualmente na versao 5 com a versao 6 BETA prontinha para sair um "release".

Trabalho praticamente sozinho neste projeto a 10 anos. Chegamos ja a um bom numero de usaurios pelo mundo a fora, mas lamentavelmente nenhum colaborador para transformar este projeto brasileiro maior do que ja é.

Venho solicitar ajuda de vcs para me ajudar na divulgação deste projeto para conseguir pessoas que quieram se envolver com este projeto.

Necessidades:

  • Documentação.
  • Desenvolvimento de novas funçōes.
  • Análise de codigo atual.
  • Análise do banco de dados.
  • Análise de falhas de segurança.

Projeto desenvolvido exclusivamente com frameworks OpenSource. EXTJS 6, YiiFramework e Asterisk.

Projeto: https://github.com/magnussolution/magnusbilling6

Att. Adilson Magnus



O começo do GNU Social

22 de Agosto de 2017, 13:21, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Este post é baseado no artigo What is GNU social and is Mastodon Social a “Twitter Clone”?, por Robek World.

Em 2007, Evan Prodromou desenvolveu o "esqueleto" do que eventualmente se tornaria o GNU Social. Na época de sua concepção, ele era conhecido como Laconica, e era utilizado em um serviço de microblogging chamado Identi.ca. Após ser financiado, Prodromou renomeou Laconica para StatusNet e começou o desenvolvimento do serviço. A ideia por detrás da StatusNet era que qualquer um pudesse baixar o software e rodar seu próprio serviço de microblogging. O nobre objetivo estava embrulhado em estratégia de marca, e buscas corporativas, na esperança de um dia levar o microblog para as massas (tanto marcas quanto indivíduos) tal qual WordPress fez para os blogs. Várias pessoas contribuíram código para a StatusNet e o projeto cresceu.

Em 2010, Prodromou documentou o protocolo OStatus que ele criou e fez a StatusNet usar, e conseguiu levar este protocolo para o W3C, para que fosse mais desenvolvido (o que não ocorreria até 6 anos depois). OStatus tornou-se o padrão sucessor do protocolo OpenMicroBlogging. Esta foi uma grande conquista, pois o OStatus é a tecnologia que o W3C mantém e desenvolve, e é basicamente o procedimento operativo padrão para comunidades coesas de microblog. A maioria destas comunidades OStatus podem comunicar-se umas com as outras (Federação).

Em algum momento por aqui, Matt Lee começou a explorar opções para ferramentas sociais para o GNU FM, e a StatusNet capturou sua atenção. Algum interesse continua a crescer, mas nade demais acontece. Prodromou eventualmente perde seu financiamento em 2012, e o desenvolvimento real da StatusNet parece estar condenada à morte, apesar de continuar um pouco. Devido ao projeto usar uma licença livre, as pessoas tinham a capacidade de fazer "forks" (ramificações do desenvolvimento), e Mikael Nordfeldth havia feito um fork da StatusNet para um projeto chamado Free Social.

O projeto de Mikael era "por diversão", mas após Prodromou ter decidido seguir adiante com o pump.io, Matt e Mikael oferecem a ideia de fundir o projeto StatusNet em um novo, nomeado GNU Social (já que os desenvolvedores em questão eram desenvolvedores e apoiadores do Projeto GNU / Fundação do Software Livre). Mikael continua a manter e dar suporte ao GNU Social em 2017, mas houveram vários forks que constroem por sobre seu próprio trabalho, enquanto tentam seus próprios objetivos.

Existe um rumor de que a Identi.ca era um serviço de microblogging independente, e não federava com os nos StatusNet. Este rumor está errado: a companhia StatusNet fazia ser fácil criar seu nó "nome.status.net", de graça para nós de usuário único, e também provia vários nós com nomes como "240.status.net", "unlimited.status.net", para que se experimentasem diferentes tamanhos de mensagem.

Prodromou realmente tentou fazer com que pessoas mesclassem-se com a Federação e saíssem do nó com o nome da empresa. Mas Identi.ca era a face da StatusNet, e continuou crescendo. Não foi até o "pumpocalypse" que sites alternativos como Quitter.se realmente deslanchassem, no grande êxodo da Identi.ca por pessoas que estavam confusas ou não gostavam no novo software (pump.io).


O blog Anders Bateva tem uma conta no GNU Social, no seguinte endereço: https://quitter.es/andersbateva.

Licença Creative Commons Este post de Anders Bateva está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em Robek.World.