Ir para o conteúdo

Software Livre

Tela cheia Sugerir um artigo

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | 1 person following this article.

Marcado pela resistência, FISL18 reúne mais de 1,5 mil participantes

14 de Julho de 2018, 21:37, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

42686830814 c1f0a411be z
Terminou neste sábado, às 20 horas, o FISL 18 - Fórum Internacional Software Livre -, um dos mais importantes eventos de tecnologias livres da América Latina.

Realizado em Porto Alegre desde o ano 2000, o FISL reuniu nesta edição um público de mais de 1.565 pessoas e 45 caravanas, todas ligadas à tecnologia e suas aplicações. Foram 334 palestras, desde aspectos técnicos de desenvolvimento e programação de software livre, até medicina 4.0, passando por segurança na internet, preservação de dados pessoais, privacidade e vários outros temas.


O Coordenador da ASL - Associação Software Livre, Sady Jacques, destaca que o FISL18 a excelência do evento apesar das dificuldades.

“Dado o cenário, principalmente da crise economia, ficou muito difícil fazer o FISL que fazíamos antes. No entanto, fizemos este FISL fruto da participação e compreensão de uma série de pessoas e instituições parceiras locais e de fora de Porto Alegre e até fora do Brasil”, destaca Jacques.


A ASL, juntamente com o PSL - Projeto Software Livre Brasil -, é responsável pela organização e realização do FISL. A partir de agora, já inicia a preparação para o FISL19, que ocorrerá de 10 a 13 de julho de 2019.

Números do FISL18

Palestras: 334
Palestrantes: 302
Horas de palestras: 398
Participantes: 1565 (5 países e 17 estados brasileiros)
Expositores: 72

Percentual de participantes por gênero
19% Feminino
81% Masculino

Horas de palestras gravadas e transmitidas: 180 horas

 

 



Segundo dia do Fórum Internacional Software Livre tem mais de 100 atrações

13 de Julho de 2018, 9:41, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

42460484135 fc3e3e51a0 z

O segundo dia do Fórum Internacional Software Livre teve mais de 100 atrações entre palestras, rodas de conversa e exposições. Com um público superior aos 1.300 participantes do primeiro dia, o FISL pautou, nesta quinta-feira, temas como o software livre no setor público, a importância das tecnologias na educação básica, automação de residências, streaming de filmes gratuitos e a participação das mulheres no software livre.

Este último tema foi pautado, no final da manhã, em uma mesa aberta à participação de quem assistia. Claudia Archer, doutora em Políticas Públicas e ativista do software livre, foi a mediadora da conversa que jogou luz sobre a falta de representatividade feminina na área de programação. Dados da Unesco apontam que apenas 17% das vagas de programadores no Brasil são ocupadas por mulheres. "O nosso principal objetivo aqui hoje: incentivar meninas e mulheres a permanecerem na TI", frisou Archer.

Já na parte tarde, uma palestra, seguida de debate, pautou o software livre na educação com foco nas escolas de ensino fundamental e médio. Segundo o professor Nelson Pretto, da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, é possível colocar a tecnologia livre como ponto crucial no processo de educação das crianças e jovens e não apenas o computador e a internet como mecanismos secundários no ensino dos conteúdos básicos. Um dos empecilhos levantados no debate foi a capacidade docente para fazer uso desses softwares.

"Durante muito tempo defendi que primeiro se preparasse os professores e depois se conectasse as escolas. Hoje entendo que temos que fazer as duas coisas juntas porque, neste meio tempo, acabamos não fazendo nem uma coisa, nem outra", defendeu Pretto.

O FISL 18 terá, ainda, cerca de 200 atrações nesta sexta e sábado, entre 8h e 20h. Quem não realizou inscrição antecipadamente pode fazê-la no próprio setor de credenciamento do evento. A programação completa está no site (http://fisl18.softwarelivre.org/).

São oito espaços, entre salas e ambientes no salão principal, com palestras e debates durante todo o dia. Além disso, empresas e organizações comprometidas com as discussões e a difusão das tecnologias livres mantêm seus estandes com diversos workshops, demonstrações com uso de softwares e debates.



Repúdio a invasão do site do FISL18

12 de Julho de 2018, 11:14, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Na tarde desta quarta-feira, o site da 18a edição do Fórum Internacional Software Livre foi hackeado. A plataforma transmite ao vivo todas as palestras e debates e é atualizado com fotos, vídeos e textos durante o evento. O autor veiculou, na página, ataques ao movimento feminista e à posição da Associação Software Livre (ASL.Org), promotora do evento, de apoio à pauta dos direitos das mulheres. O site voltou ao ar provisoriamente cerca de uma hora depois.

Texto hack fisl18

Abaixo, nota da Associação Software Livre sobre o episódio:

“A ASL.Org repudia veementemente este ataque. Desde a sua criação, o FISL tem compromisso com a participação feminina no evento, incentivando-as na busca pelo seu crescimento neste segmento. Vale lembrar que o FISL foi pioneiro no Brasil na implantação de uma política antiassédio, iniciativa replicada por vários outros eventos da área.

O FISL incentiva a participação e o protagonismo das mulheres, ministrando palestras e oficinas, valorizando perfis diversos, tais como desenvolvedoras, ativistas, pesquisadoras, professoras, autoras de livros técnicos, jornalistas, gamers entre outros, apostando no público feminino para gerar boas discussões e compartilhar conhecimento.

Ataques como este não nos farão voltar atrás. A ASL.Org reitera a necessidade de continuar combatendo o atraso do machismo e todas as consequências que este e outros discursos de ódio trazem para o mundo.

Associação Software Livre (ASL.Org)”

 



O que é MDM?

12 de Julho de 2018, 11:14, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Muitas empresa hoje em dia tem investido em funcionalidades MDM. Você sabe por que isso é importante? O que é MDM e como ele em ajudado as empresas?

O que é MDM?

MDM vem de uma sigla em inglês (Mobile Device Management) que traduzido significa Gerenciamento de Dispositivos Móveis. Por isso, MDM significa investir em uma ferramenta que pode gerenciar tudo no que diz respeito a dispositivos: smartphones, desktops, notebooks, tablets e etc. Em outras palavras, isso significa que a empresa vai decidir como o usuário vai usar o dispositivo.

Mas por que investir em MDM?

Investir em MDM é necessário por pelo menos três razões importantes:

  1. Muitas informações estão disponíveis em nossos aparelhos e compartilhar essas mesma informações ficou mais fácil do que nunca. Isso significa que informações importantes de sua empresa podem cair nas mãos erradas de modo muito fácil. Basta um usuário copiar ou enviar para outro dispositivo, e sua informação não é mais algo confidencial.
  2. Os usuários podem ter seus dispositivos roubados, furtados, clonados e até mesmo invadidos. Com isso, informações privilegiadas de sua empresa estarão nas mãos de pessoas com más intenções, ou simplesmente estar no mercado.
  3. Muitos usuários usam aplicativos que não tem a ver com seu trabalho em questão e o tempo que deveria se usado com os interesses da empresa, são usados em outras coisas.

Investir em MDM, significa se defender dos problemas acima. Você poderá decidir que aplicativos seu colaborador vai usar, em que horário, em que ambiente, entre outras questões. Seus dispositivos não ficarão mais expostos a esses riscos e isso trará beneficios para sua empresa.

Quais os benefícios de investir em MDM?

Investir em MDM significa que você vai ter uma ferramenta de gestão dos seus dispostivos. Os benefícios disso serão no mínimo:

  1. Ter informações guardadas de forma segura. Se você tiver uma ideia brilhante, poderá ter certeza que ela estará segura.
  2. Mesmo que seu dispositivos seja perdido, roubado ou qualquer outro problema, a ferramenta MDM vai proteger você
  3. O tempo gasto com aplicativos que não tem a ver a com as reais tarefas do seu funcionário vai acabar. Você decide como ele usa o aparelho.

Por isso, consulte nosso site e leia mais sobre MDM, uma ótima ferramenta, e entre em contato com nossa empresa. Você não vai se arrepender.



Primeiro dia do FISL18 reúne 1,3 mil pessoas em Porto Alegre

12 de Julho de 2018, 9:51, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

28476530247 27914b2b17 z 1
Cerca de 1,3 mil pessoas participaram do primeiro dia de atividades do Fórum Internacional Software Livre (FISL18), que começou nesta quarta-feira (11), em Porto Alegre. O FISL está na 18ª edição e ocorrerá até o sábado no Centro de Eventos da PUCRS. A abertura oficial ocorreu às 11h, no Espaço Multiuso, com a presença de diversas autoridades locais, nacionais e internacionais na área de tecnologia e do uso dos softwares livres, como o americano Jon Maddog Hall, diretor do Linux Professional Institute.

Paralelo a isso, das 8h às 20h as palestras e debates ocorreram nos oito espaços destinados às trocas de experiências e conhecimentos sobre o uso de tecnologias livres na internet. Temas como o uso de softwares livres no setor público, o cenário atual do acesso e do uso da internet no país, peculiaridades dos cybercrimes no Brasil e BigData foram debatidos neste primeiro dia de FISL 18.

Segundo o coordenador da Associação Software Livre (ASL) e do FISL, Sady Jacques, o evento ocorre neste ano também como uma forma de resistência e de reafirmação da importância dos debates em torno do livre uso de tecnologias para o desenvolvimento.

“São mais de 400 atividades e 47 horas de debates em torno desta temática. O FISL mantém, social e ideologicamente, a base da sua proposta histórica que é socializar o conhecimento. As dificuldades financeiras para a realização do evento não impediram que o grande propósito do fórum se perdesse, ainda que tenhamos, neste ano, um espaço físico menor”, destaca Jacques.

Além dos espaços destinados às apresentações, workshops e debates, várias empresas, entidades e organizações comprometidas com a difusão de ideias inovadoras sobre o uso de tecnologias livres têm seus estandes montados no salão maior do fórum. O FISL terá sequência nesta quinta, sexta e sábado, sempre das 8h às 20h. Ainda serão debatidos na edição deste ano temas como o futuro das criptomoedas, a influência dos algoritmos nos caminhos da democracia, análise de grandes volumes de dados e a participação das mulheres no Software Livre.

Site hackeado

Na tarde desta quarta-feira, o site do Fórum Internacional Software Livre foi hackeado. A plataforma transmite ao vivo todas as palestras e debates e é atualizado com fotos, vídeos e textos durante o evento. O autor veiculou, na página, ataques ao movimento feminista e à posição da Associação Software Livre.ORG (ASL), promotora do evento, de apoio à pauta dos direitos das mulheres. O site voltou ao ar provisoriamente cerca de uma hora depois.

Abaixo, nota da Associação Software Livre sobre o episódio:

“A ASL repudia veementemente este ataque. Desde a sua criação, o FISL tem compromisso com a participação feminina no evento, incentivando-as na busca pelo seu crescimento neste segmento. Vale lembrar que o FISL foi pioneiro no Brasil na implantação de uma política antiassédio, iniciativa replicada por vários outros eventos da área.

O FISL incentiva a participação e o protagonismo das mulheres, ministrando palestras e oficinas, valorizando perfis diversos, tais como desenvolvedoras, ativistas, pesquisadoras, professoras, autoras de livros técnicos, jornalistas, gamers entre outros, apostando no público feminino para gerar boas discussões e compartilhar conhecimento.

Ataques como este não nos farão voltar atrás. A ASL reitera a necessidade de continuar combatendo o atraso do machismo e todas as consequências que este e outros discursos de ódio trazem para o mundo.

Associação Software Livre (ASL.org)”