Ir para o conteúdo

Software Livre

Tela cheia Sugerir um artigo

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

CTS - Ciência, Tecnologia Sociedade - Política Cognitiva entre os operadores de TI

13 de Março de 2017, 22:36, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Às comunidades PSL Brasil - Chamada projeto-plataforma de 2017

Ciclo de formação, estudos e debates

CTS (Ciência, Tecnologia Sociedade) & POLÍTICA COGNITIVA ENTRE OS OPERADORES DE TI (TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO) NA UNIVERSIDADE BRASILEIRA

O projeto abaixo cuja plataforma de construção será realizada entre 2017-2018, conta com uma metodologia aberta de contribuições para tod@s os que se interessem em aportar conhecimento, vivências, dados e análise sobre o ensino e pesquisa e desenvolvimento na universidade pública brasileira no campo das TICs, e computação em geral.

A delimitação das contribuições em torno deste tema se fará considerando as experiências que podemos identificar claramente como formação teórica e prática em TICs que levam ou levaram em conta finalidades vinculadas ao desenvolvimento social, entendido este como o campo das práticas das políticas públicas e governamentais que visam a promover a superação das desigualdades (cognitiva, renda, gênero, étnicas, ocupação, trabalho, qualificação, etc) sob dois formatos, o de política distributiva (envolve conhecimento, formação profissional, ocupação, trabalho e renda), e/ou sob a forma redistributiva (que implica em proteção da assistência social, políticas de renda mínima e transferência de renda para superação da miséria, proteção a grupos vulneráveis específicos em situação de extremo risco; previdência social e planos assistenciais inovadores).

Serão aceitas contribuições sob 3 formatos de atividades:

  • Formato 01 - Relato de experiências, projetos realizados, dados históricos e elementos teóricos que possam ser convertidos em palestras e conferências plenas (evento científico)
  • Formato 02 - Relato de experiências, projetos realizados, dados históricos e elementos teóricos sob a forma de mini-cursos virtuais e/ou presenciais em colaboração com os organizadores na universidade (capacitação e formação de curto prazo ou 08 a 12 horas aulas)
  • Formato 03 - Relato de experiências, projetos realizados, dados históricos e elementos teóricos que possam ser incorporados a publicações (projeto editorial)

cordialmente,

Ricardo T. Neder - Coordenador do Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina - UnB

contato: rtneder@unb.br

P/ Comissão Pro-Nucleo de Análise de Políticas de Tecnociência para Desenvolvimento Social -NAPTEDS /CEAM - UnB

 



Rede Suiça de Educação Artística adere ao Noosfero

13 de Março de 2017, 1:26, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Anotherroadmap

A rede internacional Another Roadmap for Arts Education (Outro Roteiro para a Educação Artística), que reúne educadores/as e pesquisadores/as em museus, universidades, escolas e projetos culturais e educativos passou a utilizar o Noosfero como plataforma de articulação e comunicação entre seus núcleos ao redor do mundo. A rede agrega 22 grupos ao redor do mundo com a proposta de trabalhar a educação artística inserida nas relações sociais e políticas, respeitando os contextos locais.

Another Roadmap surgiu do anseio de educadores/as e pesquisadores/as de fazer uma análise crítica do Roteiro para a Educação Artística da Unesco, definido em 2006, e da Agenda de Seul (2010), uma série de metas mundiais para o desenvolvimento da Arte e Educação. A rede, que deu início à Another Roadmap School (Escola Outro Roteiro), tem a perspectiva de questionar a hegemonia dos conceitos ocidentais de arte e educação e elaborar alternativas e novos paradigmas para as pesquisas e práticas relacionadas à educação artística.

A plataforma utilizada pela rede foi desenvolvida pela Colivre por meio de um serviço prestado à Universidade de Artes de Zurique na Suiça. Por utilizar o Noosfero, a plataforma permite autonomia para os grupos que fazem parte da rede porque possibilita que cada perfil de comunidade e usuário na rede possa ter seu próprio layout customizado além de possuir funcionalidades de blogs, fóruns, agendam, wiki, pastas de arquivos, galeria de imagens, entre outras.

O Noosfero é uma plataforma web livre para a criação de redes sociais autônomas com foco no compartilhamento de conteúdo. Desenvolvido pela Colivre e lançado em 2009 durante o III Encontro Nordestino de Software Livre, o Noosfero já garantiu o primeiro lugar em diversos prêmios nacionais à cooperativa como o 9º Prêmio Cooperativa do Ano em 2014, o Prêmio Pontos de Mídia Livre do Ministério da Cultura em 2015 e o Prêmio Especial Recursos Educacionais Abertos da Revista ARede Educa em 2016.

Para conhecer mais sobre a rede Another Roadmap for Arts Education acesse o site oficial através do endereço http://another.zhdk.ch/.



Rede Internacional de Educação Artística adere ao Noosfero

13 de Março de 2017, 1:26, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Anotherroadmap

A rede internacional Another Roadmap for Arts Education (Outro Roteiro para a Educação Artística), que reúne educadores/as e pesquisadores/as em museus, universidades, escolas e projetos culturais e educativos passou a utilizar o Noosfero como plataforma de articulação e comunicação entre seus núcleos ao redor do mundo. A rede agrega 22 grupos ao redor do mundo com a proposta de trabalhar a educação artística inserida nas relações sociais e políticas, respeitando os contextos locais.

Another Roadmap surgiu do anseio de educadores/as e pesquisadores/as de fazer uma análise crítica do Roteiro para a Educação Artística da Unesco, definido em 2006, e da Agenda de Seul (2010), uma série de metas mundiais para o desenvolvimento da Arte e Educação. A rede, que deu início à Another Roadmap School (Escola Outro Roteiro), tem a perspectiva de questionar a hegemonia dos conceitos ocidentais de arte e educação e elaborar alternativas e novos paradigmas para as pesquisas e práticas relacionadas à educação artística.

A plataforma utilizada pela rede foi desenvolvida pela Colivre por meio de um serviço prestado à Universidade de Artes de Zurique na Suiça. Por utilizar o Noosfero, a plataforma permite autonomia para os grupos que fazem parte da rede porque possibilita que cada perfil de comunidade e usuário na rede possa ter seu próprio layout customizado além de possuir funcionalidades de blogs, fóruns, agendam, wiki, pastas de arquivos, galeria de imagens, entre outras.

O Noosfero é uma plataforma web livre para a criação de redes sociais autônomas com foco no compartilhamento de conteúdo. Desenvolvido pela Colivre e lançado em 2009 durante o III Encontro Nordestino de Software Livre, o Noosfero já garantiu o primeiro lugar em diversos prêmios nacionais à cooperativa como o 9º Prêmio Cooperativa do Ano em 2014, o Prêmio Pontos de Mídia Livre do Ministério da Cultura em 2015 e o Prêmio Especial Recursos Educacionais Abertos da Revista ARede Educa em 2016.

Para conhecer mais sobre a rede Another Roadmap for Arts Education acesse o site oficial através do endereço http://another.zhdk.ch/.



Novatec lança livro que ensina as práticas e ferramentas favoritas da comunidade Python

6 de Março de 2017, 9:46, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

“O Guia do Mochileiro Python” é uma verdadeira excursão pelo universo da linguagem

 

"Este é o livro que você sempre achou que deveria existir”. É assim que Eric Holscher, co-fundador do site Read the Docs, descreve O Guia do Mochileiro Python, livro recém-lançado pela Novatec Editora

O título fornece uma verdadeira jornada no universo Python, que vai levar o leitor a se tornar um verdadeiro pythonista. Descrevendo as melhores práticas e as ferramentas favoritas da comunidade Python, é indicado para iniciantes que querem avançar o nível de conhecimento e programadores de nível médio interessados em contribuir para a iniciativa open source e entrar no universo da especialização em Python. 

Escrito de forma colaborativa, com a participação de mais de cem membros da comunidade Python, O Guia do Mochileiro Python tem três seções. Primeiro, ensina como instalar e usar ferramentas de edição para Python. Depois, examina os exemplos de códigos modelares com o estilo da linguagem. Para concluir, mostra as bibliotecas mais usadas pela comunidade. 

Sobre os autores:

Kenneth Reitz é o product owner de Python no Heroku e é membro da Python Software Foundation. Ele é conhecido por seus muitos projetos open source, especificamente Requests: HTTP for Humans.

Tanya Schlusser é a principal cuidadora de sua mãe, que tem Alzheimer, e é uma consultora autônoma que usa dados para tomar decisões estratégicas. Ela ministrou mais de mil horas de treinamento em ciência de dados a alunos particulares e equipes corporativas.



Emmi Linux uma distribuição Brasileira

14 de Fevereiro de 2017, 21:13, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Emm linux veio com uma proposta diferente, atender a usuários com computadores modestos e que gostam de instalar uma distribuição e ficar muito tempo sem mexer na mesma.
Com base em openSUSE leap estamos focando em servir principalmente ao usuario final um experiencia unica de estabilidade, fluidez e minimalista.
O tamanho da ISO tem apenas 970MB o que para os dias de hoje é muito pequena.

Apresentação

  • A distribuição é Brasileira, portanto vamos focar em traduzir toda a distribuição até ficar 100%.
  • Não queremos ser apenas mais um papel de parede, por isso estamos querendo cada vez mais deixar a Emmi Linux diferenciada, não temos tempo para lançar cada update, quando realmente estiver pronta disponibilizamos.
    Focando menos em trocar o papel de parede e mais no que realmente importa.
    Vale o mesmo para upgrades maiores das versões, mudamos de versão quando o sistema está realmente pronto, porem temos um prazo de 18 meses para fazer o upgrade de versão.

  • Não queremos popularidade e sim ser útil, por isso quem manda é o usuário!

  • A Emmi Linux contem 1547 pacotes escolhidos a dedo, cuidadosamente selecionados e codecs de mídia proprietários pré-instalados e prontos para uso.
    Queremos uma distribuição que não seja estufada, por isso tudo é bem selecionado!

  • Estamos em Busca da estabilidade e simplicidade do Slackware e o charme e praticidade do Linux mint.

  • Emmi Linux é voltada para iniciantes com computadores fracos, por isso utilizamos o LXQt um ambiente gráfico extremamente leve e bonito, em nossos testes a Emmi Linux se saiu muito bem rodando em um computador com as seguintes configurações (512 MB RAM, Intel Celeron).

    Versão:

    Emmi Linux Stable Leap 1.0
    Kernel:
    4.4.36
    Repositório:
    Stable
    Baseada:
    openSUSE Leap 42.2
    Ambiente X:
    LXQt
    Tamanho ISO:
    1GB

Screenshots:

Ambiente leve e limpo

Media:

Site para maiores informações:
https://emmilinux.github.io

Fórum:
http://emmilinux.boards.net/