Ir para o conteúdo

Software Livre

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Quem paga pela pseudociência no FISL? (spoiler: você)

10 de Maio de 2016, 10:27 , por Feed RSS do(a) PSL-Brasil - | No one following this article yet.
Visualizado 126 vezes

No ano passado, um ativista anônimo publicou um manifesto em alguns sites voltados ao tema software livre reclamando do fato de o evento, ultimamente, ter dado espaço a palestra sobre temas pseudocientíficos, como energia livre ou supostas descobertas mirabolantes de Nikola Tesla suprimidas pelo Governo dos EUA. Surpreendentemente, de lá pra cá, a ASL, organização responsável pelo evento, não se manifestou e tocou o evento como se nada tivesse acontecido.

 A princípio, alguém poderia minimizar esse problema ao lembrar que o FISL é um evento semi-fechado, pago, mantido por uma associação privada e que acontece no salão de eventos de uma universidade particular, ou seja, assiste quem quer. No entanto, basta olharmos para a lista de patrocinadores do evento para vermos que a história não é bem assim.

 

Eu não quero acreditar, eu quero saber. Fonte: http://i.imgur.com/FW9ob4X.jpg

Observando a lista de patrocinadores no rodapé da página da edição anterior, vemos que, dentre eles, figuram o nome de várias empresas e órgãos públicos, como por exemplo:

  • Prefeitura de Porto Alegre;
  • Telebras;
  • CPD da UFRGS;
  • Procempa;
  • Procergs;
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Ministério da Cultura;
  • Ministério das Comunicações;
  • Banco do Brasil;
  • Caixa;
  • Datasus;
  • Governo Federal;
  • Governo do RS…

Ou seja, mesmo que você nunca tenha ido ao FISL – e mesmo que você sequer use software livre – você está pagando pelas palestras que ocorrem no evento e, se são colocadas lá palestras sobre temas pseudocientíficos, nós também as estamos financiando, por meio das empresas públicas que patrocinam o FISL.

Logo, colocar temas pseudocientíficos ou com fraca sustentação acadêmica no FISL não apenas é um desrespeito à Ciência e ao público de lá como, também, a toda a população brasileira, pois a ASL, que deveria ter mais rigor na seleção de atrações no evento, se utiliza de dinheiro público pra tornar o FISL realidade.


Fonte: http://softwarelivre.org/portal/noticias/quem-paga-pela-pseudociencia-no-fisl-spoiler-voce