Ir para o conteúdo

Software Livre

Tela cheia Sugerir um artigo

Blog

3 de Abril de 2011, 21:00 , por Desconhecido - | No one following this article yet.

Prefeito Amigo do Software Livre

30 de Dezembro de 2016, 15:47, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Nessa manhã, foi entregue pelo Coordenador Geral da Associação Software Livre.Org, Sady Jacques, uma placa de Prefeito Amigo do Software Livre ao Prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, em reconhecimento ao inestimável apoio da Prefeitura de Porto Alegre ao longo de 17 anos de realização do Fórum Internacional Software Livre. Fortunati foi, ao longo de toda sua gestão, um grande apoiador do Software Livre e do Fórum Internacional Software Livre comparecendo pessoalmente diversas vezes ao evento e estimulando os servidores da Prefietura a participarem do evento.



Carta Aberta da 13ª Oficina de Inclusão Digital e Participação Social

22 de Dezembro de 2016, 17:22, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Esta Carta é destinada ao povo brasileiro, cujas dificuldades crônicas só serão vencidas pela união de todas e todos, no enfrentamento das adversidades e injustiças, entre as quais estão a corrupção endêmica, a política fisiológica e o imenso desapreço de nossas elites por nossa cultura e nossa história, razão pela qual rasga a constituição, abdica do governo integral, apregoa um estado mínimo e deixa para trás os compromissos e obrigações inerentes a sua natureza.

A ameaça a entendimentos coletivos como os estabelecidos sobre a privacidade e neutralidade na rede, Marco Civil da Internet; a substituição de Software Livre, tecnicamente melhor, mais seguro e transparente, por softwares proprietários; o abandono das Políticas de Direitos Humanos, Igualdade de Gênero e Igualdade Racial; o desmonte do Programa Cultura Viva; o fracasso do Plano Nacional de Banda Larga; a ausência de editais de fomento para a sociedade civil organizada e ausência de consulta pública e ferramentas para o controle social; o desinvestimento na ciência e tecnologia, são prejuízos gravíssimos à construção da democracia e à defesa do Estado civil de direito.

Não desejamos paternalismo. Queremos e buscamos a autonomia e a sustentabilidade dos movimentos, através de mecanismos autogestionários, economia solidária, empreendedorismo social com colaboração e compartilhamento. Ao mesmo tempo, queremos um Estado cumprindo seu papel de zelar pelos menos favorecidos, de fomentar as iniciativas sociais relevantes, com políticas públicas, dotações orçamentárias e arranjos institucionais que potencializem a relação entre os atores sociais. Queremos reconhecer um Estado que nos reconheça!

Neste sentido, é fundamental animar e fortalecer a luta coletiva com os demais movimentos sociais (Mulheres, Negritude, Casas e Produtoras Colaborativas, Democratização da Comunicação, Sem Terra, Sem Moradia, Culturas Populares, Povos Tradicionais, Quilombolas, LGBTT, Povos Indígenas e muitos outros). Todos quereremos o mesmo: mais acessos, mais liberdade, mais suporte institucional para o enfrentamento das desigualdades promovidas pela exclusão e pela abissal concentração de renda deste país, uma das maiores do mundo. Na periferia, nossas crianças e jovens estão morrendo nas mãos do narcotráfico, e com elas, nosso futuro. Toda luta democrática é luta nossa. E o nosso presente nos tem colocado, a cada momento, uma pauta: a de agora, até o próximo dia 13 de dezembro, é "Todas e todos contra a PEC55, a PEC da Morte", que retira recursos da educação e da saúde, quando deveria - por exemplo - estabelecer o imposto sobre as grandes fortunas para garantir os investimentos públicos. Entre tantas, outra demanda urgente é a aplicação da lei federal de Fomento e Colaboração 13019/2014, capaz de aperfeiçoar o processo de gestão de parcerias com a sociedade civil, qualificando e permitindo mais investimentos através de novos editais. O Estado não pode deixar de cumprir o seu papel fundamental, que é a inclusão social de seu povo, sob todas as formas!

E mais, reivindicamos políticas e ações públicas que promovam acesso digital com soberania nacional e independência de fornecedores, rechaçando acordos de cooperação com corporações internacionais que só tem interesse em nossos dados para gerar riqueza a elas no mercado financeiro. Que projetos de iniciativa popular como a Lei da Mídia Democrática seja sancionado para efetivamente combatermos o monopólio da comunicação e garantirmos o fortalecimento da comunicação comunitária e a democratização da comunicação brasileira.

Continuamos e continuaremos exigindo mais infraestrutura para banda larga pública em todo o território nacional; um programa de Formação de Educadores construído com o movimento; mais financiamento e fomento público; mais Políticas Públicas, Programas para Inclusão Digital, Reciclagem e Participação Social e recursos para a 14ª OIDPS.

Com estes propósitos, convocamos a todos os movimentos sociais do país, para a construção de uma grande Frente Ampla nacional que possa orientar a nossa ação coletiva na busca permanente e incansável de nossos direitos!!!

Movimento Nacional pela Inclusão Digital e Participação Social

30 de novembro de 2016, Fortaleza/Caucaia - Ceará

 



7 Frameworks em PHP para Aumentar sua Produtividade

13 de Dezembro de 2016, 20:48, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

PHP é uma das mais populares linguagens de script no mundo, e evoluiu bastante desde sua criação. No entanto, o desenvolvimento de software é sempre uma atividade complexa, que consome tempo e dinheiro. É aí que entra em ação os Frameworks em PHP.

Graças aos Frameworks em PHP, a tarefa de desenvolvimento tornou-se mais rápida e simples. No ponto de vista da manutenção, é possível seguir uma orientação clara e deste modo, manter seu código organizado, tornando mais fácil evoluir e crescer sua aplicação com o tempo.

Por que usar Frameworks em PHP?

Antes de começar o artigo, quero falar um pouco sobre razões para usar um Framework e como ele pode otimizar seu processo de desenvolvimento. Frameworks em PHP são usados para construir sites e aplicações web de todos os tamanhos e complexidades, desde páginas estáticas até grandes e escaláveis sistemas corporativos complexos. É a linguagem escolhida para construir mais de 80% dos sites da Web. Alguns dos benefícios de um Framework são:

  • Tornar o desenvolvimento mais rápido
  • Dependendo da arquitetura do Framework, você tem a separação da separação e da lógica (como a arquitetura MVC)
  • Ter uma estrutura organizada e reutilizável
  • Diminuir a curva de aprendizado de outros membros da equipe
  • Seguir boas práticas de desenvolvimento de software

1. Laravel

Laravel, atualmente, é meu framework em PHP padrão para projetos novos. É relativamente novo, e é o Framework mais popular entre desenvolvedores. Laravel foi construído para ser simples e fácil de ser aprendido. Também há suporte para RAD. Além disso, possui uma rica documentação que te ajuda no aprendizado do Framework.

2. Symfony

Symfony é um Framework de aplicações web no padrão Movel View Controller (MVC). Não apenas sua implementação é baseada em MVC, mas também dá total suporte a URL amigáveis, Code Generation, criação de Templates, internacionalização, Caching, validação automatizada, Ajax, entre centenas de features.

3. CodeIgniter

Foi desenvolvido pela EllisLab e mantido pela British Columbia Intitute of Technology. É um Framework simples e leve que te ajuda a criar aplicações robustas. É bastante apreciado por quem gosta de velocidade e desempenho, tendo uma curva pequena de aprendiza

4. Yii

Yii é um Framework de alta performance em PHP que te ajuda na máxima reutilização de código. Possui componentes de Caching e também implementa arquitetura MVC. É rico em recursos e também em sua documentação.

5. Phalcon

É um Framework que utiliza pouca memória e CPU. Dá suporte a injeção de dependência, Rest e também a rotas. Possui um ORM que te ajuda a manipular registros no banco de dados como classes e objetos. MySQL, PostgreSQL e SQLite são suportados.

6. CakePHP

CakePHP é um Framework open source, que segue o padrão MVC.

7. Zend Framework

Zend Framework é robusto e estável Framework em PHP, com muitas configurações e comumente não é usado em pequenos projetos. Zend possui parceiros como IBM, Microsoft, Google e a Adobe. Possui ferramentas de criptografia, editor drag and drop, suporte a tecnologias de front-end, conexão com banco de dados com Wizard, Debugging e unidade de testes.

 

Conclusão

Frameworks em PHP já são usados como escolha padrão para criar sistemas complexos, especialmente quando você precisa criar uma aplicação escalável.

Possuem diferentes conceitos e metodologias, mas todas visam aumentar a velocidade de desenvolvimento e manter a qualidade de código. Caso precise de um treinamento profissional, eu recomendo fortemente o PHP do Zero ao Profissional, que ensina passo a passo como desenvolver sistemas em PHP, usando as melhores práticas.



Olhar Digital: Livre ou fechado? Entenda o conceito e a ideologia por trás dos softwares

11 de Dezembro de 2016, 20:55, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

O programa Olhar Digital produziu uma reportagem com o título "Livre ou fechado? Entenda o conceito e a ideologia por trás dos softwares" onde os entrevistados Thiago Paixão - Coordenador nacional do FLISOL no Brasil, e Francisco Camargo - Presidente da ABES, comentam sobre as diferenças entre os dois tipos de softwares.

Pelo que deu para perceber, o que motivou essa reportagem do Olhar Digital foi a recente polêmica em torno da notícia de que o Governo Federal brasileiro vai comprar licenças de softwares proprietários.

Assista o vídeo e tire suas próprias conclusões.

http://olhardigital.uol.com.br/video/livre-ou-fechado-entenda-o-conceito-e-a-ideologia-por-tras-dos-softwares/64553

 



#ultraGNU

9 de Dezembro de 2016, 10:13, por Feed RSS do(a) PSL-Brasil

Somos um grupo de conservadores reacionários que não acreditam que o Open Source seja a evolução natural do Software Livre!
Conservadores porque reagimos para evitar a nossa própria extinção, estamos conservando nossa filosofia, nossa essência, nossos objetivos. E reacionários porque estamos reagindo a essa mentira que conseguiram estabelecer como verdade de que OSI é a mesma coisa que Software Livre.

Somos um foco de resistência defendendo a filosofia do Software Livre publicada por RMS e pela FSF e consideramos o Open Source um movimento contrarrevolucionário, uma estratégia de mercado friamente pensada, cujo objetivo é exterminar a filosofia do Software Livre, e estamos nos opondo publicamente a esse movimento.

Concluímos que a estratégia adotada pela comunidade de SL foi complacente a OSI e o principal motivo de nossa quase extinção. Ao longo dos últimos anos transformamos o nome do S.O. de GNU em Linux porque vende melhor e as empresas não gostam muito desse assunto de liberdade, instalamos distribuições recheadas de softwares não livres em computadores de usuários desinformados, vendendo a ideia de melhor qualidade técnica, deixamos a filosofia OSI invadir nossos eventos de S.L. e desqualificar nossos maiores ativistas, aposentamos o GNU e viralizamos a imagem do pinguim em tudo que nos representava.

BASTA!

Estamos lutando como quem luta pela própria liberdade, não somos complacentes nem vamos adotar “Bom-mocismo” com aqueles que querem nos exterminar, temos foco e objetivos bem direcionados e não caímos em falacias de Osistas difamadores, estamos promovendo a filosofia do Software Livre e restabelecendo a luta pela liberdade de software nas comunidades, estamos abertos ao debate e a ideias que venham agregar valor a nossa luta.

Estamos no Telegram, já somos 300 e crescendo: https://telegram.me/ultraGNU