Ir para o conteúdo

News

Tela cheia Sugerir um artigo

Humor

28 de Fevereiro de 2014, 14:14 , por Blogoosfero - | No one following this article yet.

Nada é orgânico, é tudo programado E eu achando que tinha me libertado

26 de Julho de 2016, 1:06, por Blogoosfero

Admirável Chip Novo

Pitty

Pane no sistema, alguém me desconfigurou
Aonde estão meus olhos de robô?
Eu não sabia, eu não tinha percebido
Eu sempre achei que era vivo

Parafuso e fluido em lugar de articulação
Até achava que aqui batia um coração
Nada é orgânico, é tudo programado
E eu achando que tinha me libertado

Mas lá vêm eles novamente, eu sei o que vão fazer
Reinstalar o sistema

Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga
Tenha, more, gaste, viva

Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga

Não, senhor, sim, senhor
Não, senhor, sim, senhor

Pane no sistema, alguém me desconfigurou
Aonde estão meus olhos de robô?
Eu não sabia, eu não tinha percebido
Eu sempre achei que era vivo

Parafuso e fluido em lugar de articulação
Até achava que aqui batia um coração
Nada é orgânico, é tudo programado
E eu achando que tinha me libertado

Mas lá vêm eles novamente, eu sei o que vão fazer
Reinstalar o sistema

Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga
Tenha, more, gaste, viva

Pense, fale, compre, beba
Leia, vote, não se esqueça
Use, seja, ouça, diga

Não, senhor, sim, senhor
Não, senhor, sim, senhor

Mas lá vem eles novamente, eu sei o que vão fazer
Reinstalar o sistema



Voz a Temer, Os Immundos contra o Golpe

3 de Julho de 2016, 18:31, por Blogoosfero

Os blogueiros e ativistas digitais Luiz Skora, Sérgio Bertoni, Polaco Doido e Generoso Machado compuseram no último sábado, 14/05/2016, 2 canções para Os Immundos, a banda de blogueiros formada durante a organização do #2Paranablogs e que naquele encontro fez sua estréia mundial! :-P

Voz a Temer
Letra: Sérgio Bertoni, Lili Skora e Polaco Doido
Música: Luiz Skora e Generoso Machado

Sem um tiro
Nem revolução
Dei belo golpe
Acabou a corrupção

A classe média
viu na televisão
e acreditou
No futuro da nação

Sem um tiro
Nem revolução
Dei belo golpe
No futuro da nação

A classe média
viu na televisão
e acreditou
Acabou a corrupção

Meu sinistério
só branquela pica grossa
tudo ficha suja
negada
ceis tão tudo na roça

Tem tanto investigado
no meu governo golpista
o PCC nomeou advogado
Pro ministério da Justiça

Sem um tiro
Nem revolução
Dei belo golpe
No futuro da nação

A classe média
viu na televisão
e acreditou
Acabou a corrupção

Sem um tiro
Nem revolução
Dei belo golpe
Acabou a corrupção

A classe média
viu na televisão
e acreditou
No futuro da nação

https://soundcloud.com/user-813324982/voz-a-temer-1



Vira pra Esquerda!!!

5 de Janeiro de 2016, 17:36, por Blogoosfero

Virapraesquerda



#CartadoTemer Cifra e Letra!

8 de Dezembro de 2015, 14:31, por Bertoni



Paranolândia: pesadelo de uma noite de outono

7 de Abril de 2015, 5:00, por Tânia Mandarino

Então vamos imaginar uma situação hipotética, onde o governador de um estado fictício da Federação faça um acordo com um candidato fictício à Presidência da República e envie muito dinheiro do estado para um determinado banco com a promessa de que quando o tal candidato conquistar a presidência, o tal governador (fictício) que se reelegerá, terá o dinheiro de volta e será favorecido enormemente por ter concordado em enviar o dinheirinho público do seu estado para lá.

PoiZé. Pontual.

Daí o suposto governador do fictício estado em questão se reelege, mas o fictício candidato à Presidência que fez negócio com o dinheiro do estado dele, não se elege.

Como ficaria esse estado fictício administrado por esse suposto governador?

Sonhei com isso esta noite. Um pesadelo!

No meu sonho os policiais militares promovidos, iam pras ruas com a responsabilidade da patente maior, mas não recebiam o aumento referente as suas promoções; o terço de férias vinha constando nos holerites deles, mas na conta salário não tinha o valor correspondente; professores não recebiam seus salários no natal e tinham que vender seus objetos pessoais num bazar para poder comer; os professores PSSs eram demitidos sem receber a rescisão; advogados dativos não recebiam seus honorários e, ainda que a Defensoria Pública do estado fictício estivesse funcionando em estado precário, o estado extinguia o convênio com a OAB para não ter que pagar defensores para os menos favorecidos; criava-se uma comissão geral para votar medidas urgentes que pudessem possibilitar ao suposto governador em apuros meter a mão na previdência privada dos servidores (no meu sonho eram 8 bilhões!); deputados do estado fictício chegavam escoltados em um camburão e o suposto secretário de segurança pública levava corridão de professor em greve se escondendo atrás da polícia.

Até a imprensa local se voltou contra ele, o suposto governador, porque deixou de receber as verbas de publicidade. Calote geral.

O horror! Ainda bem que eu não sonhei com o primo de ninguém! Supostamente.



Notícias

News

Minha rede