Ir para o conteúdo

News

Tela cheia Sugerir um artigo

Sociedade

28 de Fevereiro de 2014, 13:45 , por Blogoosfero - | No one following this article yet.

Multidão vazia

28 de Julho de 2014, 20:33, por Rafael Pisani Ribeiro - 0sem comentários ainda

Observo agora

Um monte de gente

Parado aqui em frente

Nada vem a mente

 

Agora penso

E olho para frente

E me pergunto

O que há com essa gente?

 

Parece uma multidão

Mas são peças

Que não vêem em si

Uma união

 

Lembrem-se de referenciar a fonte caso utilizem algo deste blog. Dúvidas, comentários, complementações? Deixe nos comentários

Escrito por: Rafael Pisani



A triste história dos negros?

30 de Junho de 2014, 14:53, por Rafael Pisani Ribeiro - 0sem comentários ainda

Basta olharmos a história do mundo, também do Brasil, para percebermos que o histórico da raça negra no mundo é triste. [1]É fácil lembrar dos Portugueses, Espanhóis e Ingleses que vendiam negros africanos como escravos de forma cruel e desumana por toda a América, nos vem a cabeça também os capitães do mato responsáveis por  caçar negros que fugiam a escravidão no Brasil, da guerra de Secessão dos Estados Unidos, dos palmares etc...  Seus filhos eram tirados das mães, [2]muitos negros morriam já nas viagens feitas em barcos horríveis e de pouca qualidade. [3]Eram escravizados pelos Europeus e até pelos próprios negros Africanos. [4]As Senzalas, casas em que moravam enquanto escravos eram sem conforto e higiene. [5]Os homens fazendo trabalhos braçais, as mulheres serviços domésticos e até bacanais e o pior, era trabalho por 24 horas e sem pagamento. Agora tempo, a história é tão ruim assim? Pare alguns minutos antes de continuar para pensar em ao menos dez fatos ou pessoas positivas que você conhece da historia dos negros. Realmente pare e só depois comece a ler o próximo parágrafo, comente se tiver lembrado de algum ou não.

 

 

Parou e pensou? Se não, pare, se sim pode continuar. Agora vou simplesmente citar alguns nomes em oito áreas que foram exemplos de positividades na história dos negros e explicá-los, de resto basta citar os nomes e que o leitor procure mais se tiver curiosidade.

 

------------------------------Pare e Pense---------------------------------

Medicina e Ciência

[6]Charles Drew: Inventou formas de armazenar e fazer transfusão de sangue que são usadas até hoje, também protestou contra a segregação racial. Muitos teriam morrido sem ele não?

[7]Dr. Daniel Hale: Primeiro a executar a cirurgia aberta de coração. Esse sujeito realmente salvou vidas.

Tecnologia

[8] Josehph Gammel: Inventor do sistema de supercarga para os motores de combustão interna. Sem ele os carros não andariam hoje em?

[9]Alexander Miles: Inventor do elevador. Sem ele adeus elevadores para prédios.

[10]Lewis Howard Latimer: Inventou o filamento de dentro da lâmpada elétrica. [11]Thomas Edison pegar o ouro sozinho foi injustiça.

Esporte

[12]Jesse Owens: Ganhador de 4 medalhas de ouro nas provas de atletismo nas Olimpíadas de Berlim em 1936 e só por ser negro não foi cumprimentado por Adolf Hittler e Franlkin Roosevelt, seu próprio presidente. Situação difícil em?

Beleza e vestuário

[13]Lydia O. Newman: Inventora da escova de cabelos. O que seria da vida de moças de classe alta e preconceituosas sem essa invenção de uma negra?

[14]Jan E. Matzlinger: Inventor da máquina de colocar solas nos sapatos. Que sapatos teríamos sem ele?

Utensílios de casa

[15]Lloyde P. Ray: Inventor da pá de lixo. Como seria limpar a casa sem a invenção desse sujeito?

[16]Sarah Boone: Inventora da tábua de passar roupa. Como seriam nossas roupas sem ela?

[17]Lee Burridge: Inventou a máquina de datilografia. Sem ele muita gente não teria escrito nesse mundo, inclusive o presente autor.

[18] John Standard: Inventou a geladeira. Sem ele conservaríamos os alimentos de outra forma hoje.

Literatura e escrita

[19]Machado de Assis: Um dos maiores escritores da literatura Brasileira sem ter estudado ou feito faculdade.  Não é preciso dizer muito sobre ele.

[20]William Purvis: Inventor da caneta tinteiro. Seria difícil escrever sem ele atualmente não?

Luta antiracismo

[21]Malcolm X: Ativista contra a segregação racial, diferia de Martin Luther King Jr. por defender que os negros deveriam responder com violência a violência dos brancos. Sujeito político importante não?

Música

[22]Ray Charles: Um dos cantores negros mais famosos de todos os tempos e considerado pela revista Rolling Stone o segundo maior de todos os tempos. Era cego e se recusava a cantar em lugares só para brancos.

Existem diversos nomes como [23]Martin Luther King Jr. Nelson Mandela, Muhammada Ali, Joaquim Barbosa, Rosa Parks, Zumbi dos Palmares, Bob Marley, Michael Jackson, Pelé, [24]Henrique do Haiti, Shaka Zulu, Harriet Tubman, Jonh Richard Archer, Kwame Nkrumah, Koffi Annan, Stanley Oneal, Barack Obama, [25]C.J Walker, Thomas W. Stewart, George T. Samon, Jonh Love, W.A. Lovette, John Burr,  Richard Spikes, Garret A. Morgan, Alice Parker, Frederick Jones, Elbert R. Robinson e etc... Na realidade até haviam mais nomes a colocar, mas não há necessidade. A importância maior não é nem a cor, nem a origem e nem o seu feito.  É na verdade olhar a história pelo outro lado, ir além do que é ensinado na escola e isso é com certeza um grande referencial para enfrentar o preconceito e deve ir ao conhecimento das pessoas e ser um fato reconhecido na história dos negros para que ajude no enfrentamento do preconceito. A idéia de falar sobre isso na verdade obtive indo a um centro cultural de um bairro a qual nem lembro mais, mas isso reforça a idéia de que não faz mal ir ao centro cultural de sua cidade, lá pode estar ocorrendo algo legal ou você mesmo pode produzir algo legal. Que tal tentar olhar a história por outro lado?

Lembrem-se de referenciar a fonte caso utilizem algo deste blog. Dúvidas, comentários, complementações? Deixe nos comentários.

Escrito por: Rafael Pisani

Referencias:

Disponível em http://guiadoestudante.abril.com.br/fotos/negros-influenciaram-politica-mundo-731817.shtml#11   / http://guiadoestudante.abril.com.br . Data de acesso: 10 de maio de 2014

Disponível em: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas Gelédes / http://negrosnegrascristaos.ning.com . Data de acesso: 18 de maio de 2014

Disponível em: http://civilizacoesafricanas.blogspot.com.br/2010/05/participacao-africana-no-trafico-de.html  Valter Pitta/ http://civilizacoesafricanas.blogspot.com.br . Data de acesso: 10 de maio de 2014

Disponível em http://www.e-biografias.net/thomas_edison/ / http://www.e-biografias.net . Data de acesso: 10 de maio de 2014

Disponível em: http://www.historianet.com.br/conteudo/default.aspx?codigo=619

  Cristiano Rodrigo Catarin/ http://www.historianet.com.br . Data de acesso: 10 de maio de 2014

Disponível em http://www.mensagenscomamor.com/diversas/icones_negros.htm

 / http://www.mensagenscomamor.com . Data de acesso: 10 de maio de 2014

Disponível em http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/escravidao.htm  / http://www.suapesquisa.com . Data de acesso: 10 de maio de 2014

Disponível em: http://www.suapesquisa.com/colonia/senzala.htm  http://www.suapesquisa.com . Data de acesso: 22 de maio de 2014

 

 

 

 



[5] Fonte dos trabalhos de homem e mulher: http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/escravidao.htm

[7] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[8] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[9] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[10] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[11] Fonte Thomas Edison: http://www.e-biografias.net/thomas_edison/

[13] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[14] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[15] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[16] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[17] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[18] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.

[20] Fonte: Descobri tudo isso indo em um centro cultural, a qual já nem sei mais o nome.

[25] Fonte: http://negrosnegrascristaos.ning.com/forum/topics/se-nao-existissem-pessoas, apesar de ter lido o texto em um centro cultural.



Da Curitiba entubada a Curitiba que samba na rua - em vídeos

29 de Junho de 2014, 18:58, por Tânia Mandarino - 0sem comentários ainda

Blogueiros Progressistas paranaenses realizaram a cobertura da festa curitibana na rua, após o jogo entre Brasil e Chile. No Largo da Ordem, Centro Histórico de Curitiba, os curitibanos caíram no samba, mostrando que Curitiba não é um pedaço da Europa!

Não, Senhoras! Não, Senhores! Aqui é BRASIL cidade do batuque de Garibaldis e Sacis! Cidade de Pretos! Cidade de irmãos brasileiros que se congraçam irmanados após uma vitória brasileira! Sim aqui é CURITIBA! Aqui tem Copa! Aqui é BRASIL e não EUROPA!!!

 

 (imagens: Sérgio Bertoni)

Ao largo já se avistavam as grossas nuvens que trariam a chuva que veio em seguida, assim que a gente comemorou, batucou, sambou, se abraçou e se sentiu brasileiríssima! Sim, Curitiba é BRASIL na #CopaDasCopas!

 (imagens: Sérgio Bertoni)

Começou assim, sem mais, após a certeza da classificação do Brasil para as quartas, a gente simplesmente começou a se juntar; começou pequeno e depois engrossou o cordão, virou um marzão de gente! Momento pra guardar pra sempre no coração! #CopadDasCopas acontecendo linda em Curitiba! 

 (imagens: Iris Cavalcanti - Meg Thai)

Curitiba comemora, como boa BRASILEIRA que é! E a gente se emociona em ver as pessoas fora dos tubos que foram planejados para levá-las diretamente pra casa, isoladas do samba, do suor e da cerveja... A gente comemora e se emociona por estar na rua com todo mundo! Vem pra rua, vem, Curitiba brasileiríssima! 

 

 (imagens: Tânia Mandarino)

E, de brinde, aqui o vídeo do torcedor curitibano que prometeu (e cumpriu!) tirar a roupa se o Brasil vencesse o jogo contra o Chile:

 (imagens: Iris Cavalcanti - Meg Thai)



À Procura de uma Identidade Nacional

26 de Junho de 2014, 13:27, por Thiago - 0sem comentários ainda

Brasileiro é como todos os outros povos: é plural. É abuso de representatividade achar que está representando 200 milhões com uma copa do mundo. Deve haver bastante, mas dificilmente a maioria, de brasileiros que não se identificam com o estereótipo de brasileiro que prefere investir em futebol em vez de outras coisas, e não as mesmas de sempre, mas de áreas que estão sempre à margem dos interesses político-econômicos e midiátivos.

Sediar uma Copa do Mundo deveria ter sido bom para o Brasil, mas a FIFA é uma sanguessuga, além dos outros sanguessugas das atenções. Os meios de comunicação distraem o povo em entretenimento vazio. Espero que esta seja uma Copa que torne o brasileiro menos admirado pelo Futebol Assistido. É ótimo que tenha gente gostando de futebol para assistir, eu mesmo curto, mas é realmente maçante ver que nosso país não encontra outra Identidade Nacional para descentralizarmos nossas atenções.

Parece que, se continuarmos distraídos pelo que querem que a gente goste, jamais poderíamos crescer e pegar gosto de outras coisas, como uma nação, como um país. E há muito para termos o que curtir e tirar um pouco as atenções do futebol.

Precisamos de mais algo(s) para atrair a atenção do que besteróis e entretenimento tosco que abala a inteligência do brasileiro. Podemos, sim, continuar a gostar de futebol, mas é tosquíssimo induzir o país a uma "Identidade Nacional" que várias pessoas não se identificam.



Análise do Filme “E se vivêssemos juntos?”: a beleza da terceira idade

23 de Junho de 2014, 18:18, por Rafael Pisani Ribeiro - 0sem comentários ainda

Annie (Geraldine Chaplin), Jean (Guy Bedos), Claude (Claude Rich), Albert (Pierre Richard) e Jeanne (Jane Fonda) estão ligados por uma forte amizade que já dura há mais de 40 anos. Assim, quando a memória falha, a velhice mostra sua força e o fantasma da casa de repouso vem assombrá-los, eles decidem viver juntos. O projeto parece loucura, mas a convivência traz velhas lembranças, novas perspectivas e um novo desafio: viver em república com mais de 75 anos.[1] A partir disso uma relação entre vários idosos cuidando de si, com os defeitos e qualidades transparecendo começa a nascer. ( Link para assistir ao filme caso não tenha assistido http://3000filmes.com/e-se-vivessemos-todos-juntos-legendado/  caso leia, isso irá aumentar a curiosidade em assistir o filme.)

Nessa república as características individuais influenciam o comportamento geral e a relação. Albert possui síndrome de Alzheimer por isso esquece as coisas e faz anotações constantes. Claude ultrapassa o estereótipo de idoso assexuado por isso sofre preconceito, preocupa os amigos e sofre parada cardíaca causada pelo Viagra. Jeanne conserva sua juventude apesar de seus problemas e nunca falar deles. Annie não possui nenhum problema de saúde, mas sofre por não conseguir atrair os netos para sua casa. Jean não quer esquecer sua juventude quando participou da política e se incomoda por ser sempre ignorado. O ápice é quando joga uma garrafa em um policial e é ignorado. Albert é casado com Jeanne e Jean com Annie, onde os dois casais formam pólos opostos entre si, isto é, Jeanne transparece juventude, Albert velhice. Jean transparece não tradicionalismo, Annie tradicionalismo. Jeanne adquire no filme a função de contar como é o universo da terceira idade ao jovem Antropólogo Dirk, passando a sua experiência para o jovem resolver crises existenciais. Além disso, há o sexto convivente da casa, o Antropólogo Dirk que através da sua pesquisa passa a morar com eles, fazendo com que juventude e terceira idade aprendam entre si.  Imagine tudo isso em uma mesma casa?

 

É o que ocorre durante o filme. Muitas cenas engraçadas, ainda que tristes. Os esquecimentos de Albert, as extravagâncias de Jeanne e os conselhos dados a Dirk, as “saidinhas” de Claude, as constantes tentativas políticas de Jean e o grande traço familiar de Annie. Ainda assim, em alguns momentos o filme deixa transparecer o fato de que ali existem 5 idosos e por isso algumas coisas deixam de ser possíveis a eles porque o corpo já não agüenta e até mesmo acidentes ocorrem devido à idade.  Nas cenas do hospital quando Claude está na cama um contraste aparece entre o grupo dos 5 idosos e o resto dos idosos do hospital, lá existe uma vida fria, sem sal, sempre parados, sendo o ápice a idosa que invade o quarto de Claude para procurar seu dente.  O filme também nos faz perguntar sobre o valor dos animais de estimação. Quando o cachorro de Albert faz com que ele sofra um acidente, e por isso é levado embora seus amigos o trazem de volta, fazendo com que toda a vitalidade perdida pela falta do cachorro retorne, afinal era seu fiel companheiro. E nesse tempo de convivência também aparecem conflitos.

 

Ao descobrir uma carta de Jeanne a Claude Albert vai questioná-los sobre o fato de ela e Annie ter traído ele e Jean com Claude e a situação tem diferentes resoluções.  Albert decide arrancar a página em que escreveu esse fato no caderno, e assim esqueceu, no entanto, Jean não aceita o fato e vai conversar com Claude, mas ao fim, mesmo com brigas tudo se resolve. Chegando ao final do filme talvez ocorra à cena mais chocante. Jeanne, com aparente vitalidade finalmente morre devido ao câncer que tem e nunca contou a ninguém. Todos choram, até que se acostumam. No entanto Albert um dia acorda e esquece que Jeanne morreu, passando a chamá-la todo o tempo. Pergunto a vocês: o que fazer nessa hora quando alguém com Alzheimer esquece que o ente querido morreu? Os amigos dele tiveram uma solução muito prática- deixar ele chamá-la até que se lembre, e todos a chamam juntos. E assim termina o filme, um chamado coletivo a quem morreu até que a memória volte.

 

Para finalizar acho que o filme brinca e ironiza com as preocupações básicas dos idosos, sua sexualidade, principalmente quanto à mulher. Esse conflito se mostra no ápice quando Claude lê o livro “Memórias de minhas putas tristes.” e Jeanne comenta sobre isso com Dirk. Mostra também que em hospitais o olhar sobre o idoso é focado em suas deficiências, e não na pessoa que lá está. Mostra também que mesmo na terceira idade podem haver crises de identidade, ainda que de forma diferente que a dos jovens. Ainda assim, considero o ponto alto da convivência deles o modo de organização escolhido por eles e as falas de Jeanne. Quando na conversa com Dirk diz: “Pare de pensar que os velhos são assexuados. Não somos anjos, sabe?”. No momento em que estão discutindo todos juntos para ver como vão se organizar na casa surgem propostas principais. Um sistema de coletividade onde um compensa as pendências do outro a livre escolha. Para de fato entender como funcionou o sistema vale a pena ver o filme, mas fiquemos com a frase de Jeanne “O que significa construir uma vida? Ficar em casa ao invés de descobrir o mundo?”

 

Lembrem-se de referenciar a fonte caso utilizem algo deste blog. Dúvidas, comentários, complementações? Deixe nos comentários.

 

 Escrito por: Rafael Pisani em 11/11/2013.

 

Referencias:

 

Disponível em: http://3000filmes.com/e-se-vivessemos-todos-juntos-legendado/ / http://3000filmes.com . Data de acesso: 12 de junho de 2014

 



Notícias

News

Minha rede