Ir para o conteúdo

News

Tela cheia Sugerir um artigo

Sociedade

28 de Fevereiro de 2014, 13:45 , por Blogoosfero - | No one following this article yet.

O eterno país do futuro

11 de Agosto de 2016, 0:00, por carlos motta


A frase "o Brasil é o país do futuro" se tornou há muito tempo um clichê.

Ela poderia cair em desuso, porém, se a nação continuasse seguindo a trajetória social-democrata imprimida pelos governos Lula e Dilma, a partir de 2003.

Os trabalhistas conseguiram o feito de reduzir a ignominiosa desigualdade econômica e social que envergonha o Brasil perante as outras nações, iniciar obras gigantescas de infraestrutura, ampliar o Estado de bem-estar social preconizado na Constituição de 88, principalmente nas áreas de saúde, educação e moradia, reduzir o desemprego e aumentar a renda média dos trabalhadores, ampliar notavelmente o mercado de consumo, e levar o país como protagonista aos mais importantes fóruns internacionais.

Em resumo, o Brasil melhorou interna e externamente.

O mais incrível é que essas conquistas foram feitas sem rupturas de qualquer ordem, sem sacrificar nenhuma classe social, nem suprimir direitos de quem quer que seja.

Ao contrário, os valores democráticos foram ampliados - para todos.

E, pela primeira vez na sua história, houve a perspectiva real de que o Brasil deixasse de ser o país do futuro e se tornasse o do presente, com muito menos desigualdades, e com o Estado cumprindo, ainda com falhas, é óbvio, o seu papel de indutor do progresso, defensor dos estamentos mais frágeis e gestor das riquezas nacionais.

Os últimos tempos foram duros, mas uma nação do tamanho do Brasil poderia superar as dificuldades sem que elas comprometessem os avanços realizados.

A quebra da ordem institucional, por meio de um golpe jurídico-parlamentar, apoiado efusivamente pela oligarquia, não só interrompeu esse período de bonança, mas vai comprometer, por anos e anos, o projeto de levar o Brasil ao Primeiro Mundo, ou, ao menos, ao status de potência média.

O programa de governo dos golpistas, em tudo contrário ao seu antecessor, visa tão somente fazer com que o país retroceda aos tempos do "gigante bobo" que foi durante toda a sua história.

Um gigante bobo que não é respeitado nem pelos seus vizinhos e não respeita os homens e mulheres que o formam. (Carlos Motta)



Moinho de Holambra lança projeto de revitalização

22 de Julho de 2016, 0:00, por Carlos Motta - 0sem comentários ainda

Uma das mais interessantes e surpreendentes atrações turísticas do Brasil, o Moinho Povos Unidos, uma réplica exata das construções holandesas, localizado na pequena e bela cidade de Holambra, a 130 km da capital paulista, completou neste mês de julho oito anos de existência com planos ambiciosos: a associação que administra o monumento lançou uma campanha de "crowdfunding", a já famosa "vaquinha" eletrônica, para tornar viável o seu projeto de remodelação, que transformará parte dele num museu, além de deixá-lo totalmente operacional.

O moinho esteve durante os últimos anos funcionando precariamente, já que, para isso contava apenas com o trabalho de alguns voluntários, integrantes da Associação Moinho Povos Unidos, e era administrado pela prefeitura de Holambra. No ano passado, porém, a entidade finalmente assinou um convênio com o Executivo para se tornar responsável pela gestão e operação do moinho.

Depois disso, e com o início de cobrança de ingressos para os visitantes, a associação pôde contratar funcionários e bancar algumas pequenas obras de manutenção, insuficientes, porém, para deixar o moinho nas mesmas condições em que estava quando foi inaugurado.

O projeto de remodelação do monumento prevê reformas em quatro andares.

O térreo será destinado a receber os turistas, que ali encontrarão também uma loja com produtos do moinho, entre eles, futuramente, a farinha produzida no local.

No primeiro andar será contada a origem e evolução dos moinhos no mundo. O visitante terá a oportunidade de aprender como surgiram e como se transformaram ao longo do tempo. Também aprenderá sobre os tipos de moinho que existem e para que são utilizados.

No segundo andar, o visitante conhecerá os moinhos da Holanda. Naquele país eles ganharam importância devido ao bombeamento de água e, assim, foram vitais para a construção do país. Haverá uma réplica de um moinho, com funcionamento real, para que o turista possa entender a sua mecânica. 

No terceiro andar o visitante ficará sabendo como funciona exatamente o Moinho Povos Unidos, como foi a sua construção, que madeiras foram utilizadas, como funciona um moinho de grãos, e outros detalhes sobre o monumento.

O Moinho Povos Unidos tem dez andares, 38,60 metros de altura, mais 3 metros de subsolo, sendo o maior da América Latina. Acima de seu mirante, de onde se contempla a bela paisagem de Holambra, estão as pás, com 12 metros cada, e envergadura de 24 metros de ponta a ponta. Sua tração motora gera 60 cavalos de força, o suficiente para movimentar duas pedras de basalto de lava com o peso de uma tonelada cada.

Holambra é conhecida nacionalmente como a "Cidade das Flores", pois é a maior produtora nacional de flores e plantas ornamentais. A Expoflora é o principal evento do calendário turístico da cidade, atraindo, durante todo um mês, dezenas de milhares de visitantes. A 35ª edição da feira, neste ano, vai ser realizada de 26 de agosto a 25 de setembro.

Além da Expoflora, Holambra abriga vários outros importantes eventos ao longo do ano, e possui a singular característica de ser um pequeno pedaço da Holanda no Brasil - ela nasceu do sonho de imigrantes holandeses que se estabeleceram na região em 1948. 

O município preserva a cultura dos seus fundadores na arquitetura dos imóveis, no cardápio dos restaurantes e docerias, nos nomes das ruas, no sobrenome de seus habitantes, nas festividades tradicionais, como o Dia do Rei, em abril, ou a Festa de São Nicolau, que antecede o Natal, e no Moinho Povos Unidos, o monumento mais evocativo da presença holandesa na cidade.

Holambra conta com uma rede hoteleira diversificada, que atende todos os tipos de visitantes. Nela se destaca o Top Centrum Hotel (Rua Rota dos Imigrantes, 470, centro),  inaugurado em junho de 2013, com arquitetura típica holandesa, acomodações amplas e localizado perto dos melhores restaurantes, lojas e mercado de flores da cidade.

O Top Centrum é o hotel mais bem avaliado de Holambra pelos viajantes inscritos no portal de turismo Tripadvisor (4,5 estrelas) e também recebeu a nota mais alta no site de reservas Booking (9,0). 

Ele tem 30 apartamentos amplos e confortáveis, com ar-condicionado, camas box, TV a cabo, frigobar e internet wireless gratuita, sendo que 20 deles têm sala de TV e minicopa (cooktop, bancada da pia, microondas, frigobar). 

As diárias incluem café da manhã com grande variedade de opções, servido em restaurante com vista para um charmoso jardim vertical. Também tem serviço de quarto e fornece estacionamento fechado e coberto, com acesso direto para o elevador. 

As reservas podem ser feitas pelo telefone (19) 3802-8555 ou no site  www.topcentrumhotel.com.br

Serviço

Para participar do crowdfunding destinado a revitalizar o Moinho Povos Unidos, acesse o endereço www.catarse.me/moinhopovosunidos

O moinho funciona de quarta a sexta-feira, das 9h30 às 18 horas (aberto somente até o terceiro andar), aos sábado, domingo e feriados, no mesmo horário (aberto até o quinto andar, com a presença de um moleiro, das  10 às 17 horas). Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (estudantes e idosos).

Moradores de Holambra, mediante apresentação do cartão cidadão ou comprovante de residência, têm ingresso gratuito. De quarta a a sexta-feira o ingresso é gratuito.

Para conhecer mais sobre o moinho e seu projeto de remodelação, acesse www.moinhopovosunidos.com.br



Educar é preciso. Mas como?

11 de Julho de 2016, 0:00, por carlos motta

O Brasil Novo vai acabar com a farra do petróleo é nosso.

Sabe aquela história de que uma montanha de dinheiro da exploração da camada de pré-sal seria destinado para a educação e para a saúde públicas?

Bem, esqueça.

A grana vai mesmo alimentar os cofres das petroleiras internacionais - e os bolsos de políticos e parlamentares brasileiros, é claro, porque ninguém é de ferro.

Mas vamos supor que nossos congressistas sejam acometidos por algum tipo de vírus que lhes devolva a vergonha na cara e eles mantenham a lei do petróleo do jeito que está.

Isso seria suficiente para, daqui a não sei quantas gerações, com massivos investimentos em educação, transformar a sociedade brasileira, formada majoritariamente por pessoas que creem que o mundo foi formado a partir do estalar de dedos de uma divindade, que acreditam com fervor absoluto no que dizem os apresentadores do Jornal Nacional, que balançam a cabeça em sinal de aprovação a cada "bandido bom é bandido morto" que ouvem dos Datenas da vida, em um ambiente no qual predomine o senso crítico, a lógica, o conhecimento histórico, a sensatez, enfim?

Não creio.

O processo educativo é complexo.

Começa em casa, passa pela escola, continua no dia a dia, na massa informativa que a gente recebe quando liga a televisão, acessa a internet, lê os jornais, vai à igreja - vive a vida.

Uma coisa depende da outra, o mecanismo que move a sociedade é interdependente.

De toda maneira, algo precisa ser feito com a máxima urgência, para que o Brasil, país que tem uma das populações mais ignorantes do planeta, seja, ao menos, habitável. (Carlos Motta)



Enfrentamento ao Extermínio da Juventude

9 de Julho de 2016, 11:51, por João Alberto Farias da Fontoura
de 12 até 12 de Julho de 2016 http://blogoosfero.cc/comjus Casa dos Conselhos - Av. João Pessoa esquina com Av. Venâncio Aires

Pauta:

1) Leitura da ata da reunião anterior;

2) Informes;

3) Enfrentamento ao Extermínio da Juventude;

4) Relato Comissão Eleitoral;

 



O brasileiro, esse crédulo

4 de Julho de 2016, 0:00, por carlos motta

A ignorância do brasileiro médio faz com que ele seja, antes de tudo, um crédulo.

Ele acredita em qualquer lorota que ouve - basta que ela seja repetida intensamente para virar verdade.

A internet é campo fértil para disseminar boatos, notícias falsas, e até mesmo para interpretar a história como se ela fosse uma obra de ficção.

Há inúmeros sites criados justamente com essa finalidade de espalhar mentiras.

São peças da guerra ideológica promovida pela direita, que não tolera a democracia, para exterminar da vida política seus adversários, no caso, inimigos, ou seja, os partidos de esquerda, movimentos sociais, sindicatos, organizações populares e de classe. 

Muitos são sofisticados, que devem ser mantidos por equipes numerosas e bem pagas.

E outros canhestros, toscos, que dificilmente seriam considerados verazes não fosse a natural idiotia do brasileiro médio.

As mensagens, correntes e "notícias" que correm na rede beiram a insanidade.

Uma delas, para louvar a ditadura militar, diz que seus generais presidentes, de tão honestos que eram, morreram pobres, alguns deles necessitando até ajuda dos amigos para terem um funeral digno.

E existe quem acredita numa bobagem dessas!

Mas, enfim, o brasileiro médio leva a sério o que fala o pastor semianalfabeto que pede dinheiro para comprar uma estação de TV...

Tirar esse indivíduo da ignorância é quase impossível. 

Seriam necessários investimentos bilionários em educação, junto com o uso dos meios de comunicação de acordo com os princípios constitucionais: 

Art. 221 - A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:

I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;

II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

E como a gente sabe que isso nunca vai existir neste Brasil Novo governado por um bando de saqueadores e entreguistas, resta quase nada a fazer - para os que têm fé, rezar, talvez, à espera de um milagre; para os outros, a justa e muda indignação. (Carlos Motta)



Notícias

News

Minha rede