Ir para o conteúdo

News

Voltar a Tecnologia
Tela cheia Sugerir um artigo

Bug da Democracia: kernel panic

6 de Setembro de 2016, 18:40 , por Thiago Henrique Ferreira Zoroastro - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 323 vezes
Licenciado sob CC (by-nc)

Acredito que não resolveremos os nossos problemas até que reformulemos a forma com que fazemos a nossa democracia.

Direita e esquerda decorrem de posicionamentos sociais após o surgimento do conceito de democracia representativa e formação dos estados modernos.

Para superar essa dicotomia chula teremos de voltar a fazer democracia à moda grega: cargos sorteados e curtos. Se possível, 4 meses. Mas duração não é uma medida precisa, pode ser um pouco mais duradoura.

Só que não podemos mais tolerar a política como uma profissão que gera status e financia gente irresponsável com discursos demagógicos. É muito melhor para nós como sociedade que os cargos exercidos tenham executores escolhidos mediante sorteio. A cidadania é um direito de todos, política deve voltar a ser uma atividade individual participativa de todo cidadão, que deve interferir nos debates públicos.

Apenas tolos acreditam nessa história de "quero eleger o meu representante". Isto não funciona, está fácil de provar que não deveria acontecer assim.

O cidadão tem o direito e dever de exercer a cidadania em um sistema naturalmente participativo, e escolher o chefe do executivo de uma forma que não tenha culto ao ídolo (político), porque isso é uma merda.

A noção de democracia como representação por meio de eleições diretas é um produto do pensamento moderno, da formação dos estados modernos. Os antigos gregos (escravocratas, etc.) que elucidaram o primeiro conceito de democracia, não a tinha como uma forma de representação das parcelas de população, mas como participação, direito e dever das pessoas exercerem a cidadania, mas os cargos eram eleitos por meio de sorteio, e os cargos eram curtos.

Hoje existe a adoração aos líderes políticos, a demagogia dos discursos, a ladroagem dos profissionais da política, a ilusão de representação. Se o ser humano é falho, o sorteio para os cargos é menos falho que isso. E seria menos doloroso depor chefes do executivo.

Grande parcela da população é mal representada, parte deles "vota certo" e não elege sequer ninguém, outra parte vota em corruptos e o lugar onde eles vivem é uma merda. Não há cultura política de uma cidadania verdadeira, senão as movimentações dos grupos de interesse, as decisões arbitrárias, os desvios e a corrupção do dinheiro público pela compra de voto e financiamento eleitoral, são "pau mandado".

Para que assim a teimosia dos dois lados se concretize em perpétua discórdia e sem resolver os problemas que importam: saneamento básico, sistema de saúde e educação de qualidade. Isto porque para mim, optar por sistemas oferecidos pelo "Estado" (ou serviços públicos) é uma mera escolha (liberdade de exercer) do cidadão, que também deveria pagar impostos facultativos segundo as necessidades reais de cada um.

Assim como paga-se IPVA porque a pessoa possui um carro. Se não usa SUS e Escola Pública, corta do imposto deles. E buraco de rua deveria ser rastreado com foto de celular do contribuinte e corrigido o quanto antes possível.


Fonte: Thiago Henrique Ferreira Zoroastro

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.

    Cancelar

    Notícias

    News

    Minha rede