Ir para o conteúdo

Nocaute

Voltar a Blog
Tela cheia Sugerir um artigo

Documento revela que Raul Seixas não foi dedo-duro com Paulo Coelho durante a ditadura

29 de Maio de 2020, 16:17 , por Nocaute - | No one following this article yet.
Visualizado 12 vezes

Quarenta e seis anos depois, um mistério que assombrava a biografia do cantor e compositor baiano Raul Seixas, finalmente foi desvendado. A revelação de que o escritor Paulo Coelho, parceiro de Raul, foi preso e torturado por engano, esclarece a dúvida que se levantou com a publicação do livro “Não Diga que a canção está perdida”, do jornalista Jotabê Medeiros, editado pela Todavia. 

Na verdade, as forças militares da ditadura procuravam Paulo Coelho Pinheiro, militante do Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (PCBR), quase homônimo do escritor Paulo Coelho de Souza, que acabou caindo nas mãos dos torturadores. Assim que lançou o disco “Krig-Ha Bandolo, em 1973, Raul foi chamado para depor, pois queriam explicações sobre um gibi que acompanhava o disco. Raul chamou Paulo Coelho para ir com ele. 

Depois do depoimento, Raul foi liberado e Paulo ficou preso. Depois de libertado, os dois se afastaram e o mistério ficou no ar. A suspeita de que Paulo Coelho teria sido delatado por Raul se baseou num documento do Centro de Inteligência do Exército, de 24 de abril de 1974, publicado no livro de Jotabê Medeiros. Paulo Coelho Pinheiro estava foragido na época e a revelação foi feita agora por um ex-companheiro de militância e Diogo, filho único do militante Paulo Coelho Pinheiro. 

As informações do livro e uma tese sobre Raul Seixas, defendida na Universidade de São Paulo, em 2016, ajudaram a desfazer o mistério.

O post Documento revela que Raul Seixas não foi dedo-duro com Paulo Coelho durante a ditadura apareceu primeiro em Nocaute.


Fonte: https://nocaute.blog.br/2020/05/29/documento-revela-que-raul-seixas-nao-foi-dedo-duro-com-paulo-coelho-durante-a-ditadura/

Nocaute