Ir para o conteúdo

News

Tela cheia Sugerir um artigo

Política

25 de Fevereiro de 2014, 16:14 , por Blogoosfero - | No one following this article yet.
Licenciado sob CC (by)

Delações, delatores e a democracia

29 de Junho de 2016, 0:00, por carlos motta

Uma das mais nefastas consequências destes últimos anos de mensalões, petrolões, lava jatos e outras operações judiciais-midiáticas empreendidas com o propósito de exterminar a esquerda brasileira foi incutir na cabeça, já fraca, de uma parte da população, que basta uma pessoa ser acusada de algo por quem quer que seja para ela se transformar em culpada.

Inverteu-se o ônus da prova.

Agora basta o dedo-duro dizer uma mentira qualquer sobre seu desafeto para que a vítima da calúnia vire réu.

Era assim nos tempos da inquisição.

Milhares de inocentes foram assassinados.

O alcagueta é um dos seres mais execráveis do universo.

Pior que ele só quem oferece a ele vantagens em troca da delação - a maior parte das vezes sem nenhuma prova.

A corrupção é um mal que exige o combate incessante.

Mas se para isso se subvertem os mais elementares princípios jurídicos, então é melhor deixar tudo como está.

Afinal, a injustiça também é uma forma de corrupção - moral e ética, que se institucionalizada, destrói um dos mais fortes pilares da democracia. (Carlos Motta)



É claro que foi um golpe, mas quem se importa?

29 de Junho de 2016, 0:00, por carlos motta

Então ficamos assim: os peritos do Senado atestam que a presidenta Dilma não cometeu nenhum crime de responsabilidade, mas isso não vai impedir que os senadores votem pelo seu impedimento - mesmo sem uma base legal para tanto.


Então ficamos assim: é claro que essa história das tais pedaladas foi apenas uma desculpa - esfarrapada - para defenestrar a presidenta e colocar em seu lugar um bando de ladrões.


Então ficamos assim: o Brasil hoje é uma nau sem rumo, mais uma republiqueta de bananas onde a plutocracia manda e desmanda, onde o Judiciário está a serviço dos ricos, e o Legislativo é simplesmente um grande balcão de negócios.


Então ficamos assim: o golpe contra a democracia está a cada dia mais escancarado, mas isso não tem a menor importância. Desde que seja para livrar o país dos malditos "petralhas" e tudo o que eles representam - menos desigualdade social, inserção das camadas mais pobres no mercado de consumo, construção de um Estado que proteja os mais frágeis, dê reais oportunidades a todos e regule a atuação do capital -, vale tudo, e principalmente destruir todas as ações em benefício da sociedade feitas nos últimos anos.


Então ficamos assim: pouco importa que o dr. Mesóclise seja o mais ridículo, patético e incompetente chefe do Executivo que o país já teve - desde que ele almoce e jante com os homens de bem, está tudo certo. (Carlos Motta)



O salvador da pátria

29 de Junho de 2016, 0:00, por carlos motta

De repente, não mais que de repente, surgem, aos borbotões, livros laudatórios ao juiz lava-jato. 


E dê-lhe lançamentos, noites de autógrafos, fotos em profusão do dito cujo nos jornalões, em colunas de conveniência espalhadas pela internet, como se fosse uma megacampamha publicitária.


Mais estranho ainda que, em meio a toda essa movimentação, surjam informações de que o meritíssimo, agora figura exponencial na sempiterna campanha pela moralização dos usos e costumes nativos, pretende se candidatar, nada mais, nada menos, à Presidência da República.


Notas ainda camufladas na selva internética dão conta que ele já ocupa a primeira posição nas intenções de voto dos eleitores - se a eleição fosse hoje.


Como não é...


Como não é, resta ao magistrado continuar a sua caça implacável aos corruptos de um só partido político, resta perseverar na campanha de destruição de algumas das mais importantes empresas do país - inclusive a Petrobras, a joia da coroa -, resta aprofundar nas pessoas a convicção de que a classe política é visceralmente criminosa - e que, por consequência, só os homens de bem salvarão o Brasil.


Os homens de bem, sim, mas especialmente aqueles que têm o poder de botar na cadeia os homens maus.


E quem seria o personagem ideal para essa missão hercúlea, se não ele próprio, o responsável pela revolução moralizadora neste imenso, pobre e ignorante país? (Carlos Motta)



Mulheres lançam ‘gritaço’ na Internet contra estupro

27 de Maio de 2016, 14:31, por Jornal Correio do Brasil

Centenas de pessoas mudaram suas fotos no Facebook, aderindo ao avatar “Eu luto pelo fim da cultura do estupro”

Por Redação, com RBA – de São Paulo:

Após as notícias de que duas adolescentes foram vítimas de estupros coletivos, no Rio de Janeiro e no Piauí, representantes de movimentos sociais, movimentos feministas, artistas, parlamentares e entidades pró-direitos humanos lançaram uma campanha nas redes sociais contra a cultura do estupro. A ideia é que até o fim de junho, internautas publiquem vídeos nas redes sociais dizendo não à violência contra a mulher, usando as hashtags #EstuproNuncaMais e #‎PeloFimDaCulturaDoEstupro. Ainda ontem, em menos de 1h, a campanha havia alcançado o primeiro lugar entre as mais citadas no Twitter Brasil e terceiro lugar mundial.

Em Porto Alegre, mulheres se reuniram na Casa de Cultura Mario Quintana e realizaram um ato de repudio à cultura do estupro

Em Porto Alegre, mulheres se reuniram na Casa de Cultura Mario Quintana e realizaram um ato de repudio à cultura do estupro

Centenas de pessoas mudaram suas fotos no Facebook, aderindo ao avatar “Eu luto pelo fim da cultura do estupro”. A presidenta Dilma Rousseff foi uma delas. “Presto minha total solidariedade à jovem, menor de idade, estuprada por vários homens. Além de cometerem o crime, os agressores ainda divulgaram fotos e vídeos da vítima, desacordada, na internet. Uma barbárie”, disse no Twitter.

A atriz Letícia Sabatella também aderiu ao movimento e postou seu vídeo no Instagram e no Facebook.

Em Porto Alegre, mulheres se reuniram na Casa de Cultura Mario Quintana e realizaram um ato de repudio à cultura do estupro. Entre elas estava a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). “O estupro é parte de uma cultura perversa de dominação e violência contra as mulheres e meninas. Para enfrentar essa cultura, vamos ocupar as redes, as ruas, e repudiá-la com todas as nossas forças e unidade”, publicou no Facebook. “Aprendi com minha filha de 15 anos uma nova palavra: Sororidade. Ela significa uma especial solidariedade entre nós, mulheres. Diga não à cultura do estupro!”

A Polícia Civil do Rio de Janeiro tomou depoimento de uma jovem de 16 anos que foi drogada e estuprada por 33 homens. O crime foi denunciado após um vídeo com imagens da jovem desacordada e com órgãos genitais feridos e expostos ter sido postado na internet. Nas imagens, um homem diz que “uns 30 caras passaram por ela”. “Acordei com 33 caras em cima de mim. Só quero ir para a casa”, disse a jovem, ainda no hospital, de acordo com o jornal O Globo.

O pai da jovem, muito abalado, afirmou que a agressão ocorreu no Morro São João, na capital Fluminense: “Ela foi num baile, prenderam ela lá e fizeram essa covardia. Bagunçaram minha filha. Quase mataram ela. Estava gemendo de dor. Ficou tão traumatizada que só conseguia chorar”.

A polícia já pediu a prisão de quatro homens. Um deles é Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, com quem a adolescente tinha um relacionamento, além de Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, Michel Brazil da Silva, de 20, e Raphael Assis Duarte Belo, de 41.

Em Bom Jesus, sul do Piauí, uma jovem de 17 anos foi violentada por cinco jovens, quatro deles menores de idade, na madrugada do último dia 20. Após uma briga com o namorado, a jovem teria ingerido bebida alcoólica e os suspeitos se aproveitaram da embriaguez para cometer o crime. Ela foi encontrada amarrada dentro de uma obra.

A ONU mulheres emitiu uma nota em que se solidariza com as duas jovens estupradas e pede ao poder público do Rio de Janeiro e do Piauí incorporem perspectiva de gênero na investigação, processo e julgamento dos casos. A organização também pede à sociedade brasileira “tolerância zero” a todas as formas de violência contra a mulher.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Rio de Janeiro também divulgou nota repudiando “o ato de barbárie” cometido contra a jovem carioca e se prontificou a oferecer apoio jurídico a ela e a família.

– Os atos repulsivos demonstram, lamentavelmente, a cultura machista que ainda existe, em pleno Século XXI – diz o texto. “Importante ressaltar que cada frase machista, cada piada sexista, cada propaganda que torna a mulher um objeto sexual devem ser combatidas diariamente, sob o risco de se tornarem potenciais incentivadoras de comportamentos perversos. E, igualmente, lembrar que, se esse crime chegou ao conhecimento público, tantos outros permanecem ocultos, sem repercussão. Precisamos lutar contra a violência em cada lar, em cada comunidade, em cada bairro.”

Repercussão

Jornais de todo o mundo noticiaram o caso do Rio de Janeiro. O The Times of India afirmou que o caso é a crise de “Nirbhaya” brasileira, em alusão ao estupro coletivo dentro de um ônibus que terminou com a morte da vítima, em 2012, em Nova Déli. A reportagem lembra que o crime ocorreu menos de dois meses antes do início das Olimpíadas. “Apesar dos crimes sexuais não serem incomuns nas favelas, onde gangues armadas operam e muitas vezes têm como alvo vítimas inocentes, a brutalidade deste caso chocou completamente o país”, diz o texto.

No Reino Unido, a BBC e o Metro deram destaque para o caso, dizendo que o crime alarmou o Brasil e que a população exige resposta do poder público. O El País, da Espanha, destacou que o Ministério Público recebeu pelo menos 800 denúncias após a divulgação do vídeo.

O post Mulheres lançam ‘gritaço’ na Internet contra estupro apareceu primeiro em Jornal Correio do Brasil.



Temer, serviçal dos capitalistas, é contra a Liberdade de Expressão

23 de Maio de 2016, 12:14, por Blogoosfero - 0sem comentários ainda

Temerário

Republicamos o sensato artigo de Maurício Dias publicado na CartaCapital nº 902.

O ataque de TemerCunha não foi somente contra @s blogueir@s, mas contra a Opinião Livre, contra as pessoas e movimentos que ousam pensar e falar coisas diferentes daquelas que os golpistas gostariam de ler, ver e ouvir.

A decisão de TemerCunha é um ataque à Liberdade de Expressão, ao Livre Pensamento, ao Direito à Livre Opinião.

A plataforma de comunicação Blogoosfero, desenvolvida em Software Livre Brasileiro e lançada em 2012 no #3BlogProg - 3º Encontro Nacional de Blogueir@s, em Salvador Bahia, nunca contou com apoio governamental nem empresarial.

Sabemos muito bem o que é viver as próprias custas, coisa que a Globo e demais orgãos patronais de imprensa jamais souberam.

Os orgãos de imprensa patronal conhecidos também como PiG - Partido da imprensa Golpista - só sobreviveram nos últimos anos graças aos bilhões de reais que o Governo Federal injetou nestas empresas que diuturnamente espalhavam o ódio de classe contra o governo petista e contra os brasileiros e brasileiras.

O ataque ao #5BlogProg  - 5º Encontro Nacional de Blogueir@s e Ativistas Digitais - é uma revanche dos golpistas derrotados nas 2 últimas eleições presidenciais, em parte, graças ao exaustivo trabalho realizado pela blogosfera e pelo ativismo digital progressista que apurou fatos, desmentiu a propaganda enganosa dos candidatos de direita e possibilitou à população em geral exercer seu direito a informação de qualidade

Somos como massa de pão: Quanto mais bate, mais cresce!!!

Contra os “blogueiros sujos”

Com o corte de publicidade governamental pune-se um importante setor de comunicação via internet sem esconder o verdadeiro alvo da medida

Por Mauricio Dias

Ao entrar no quinto dia útil de exercício do poder, excluído o primeiro fim de semana, o presidente provisório Michel Temer aplicou um golpe duro na liberdade de expressão.

Naquele dia, 18 de maio, a Secretaria de Comunicação do governo provisório enviou aos blogueiros, hoje influentes porta-vozes de setores da opinião pública, um comunicado oficial de que os contratos de publicidade com os órgãos do governo estavam interrompidos. Triste novidade para eles e para os que vierem depois.

Embora não seja aqui o primeiro lugar, ou o único, a badalar os sinos, é possível anunciar o risco da emergência do obscurantismo no País. Isso ocorre pouco mais de 30 anos após o derradeiro suspiro da ditadura de 21 anos. Grave demais? Talvez.

Que restrição é essa? Prenúncio do governo provisório de Temer? De fato, a medida reflete a consolidação de um pensamento único imposto no País. Quem pensar diferente pode perder a cabeça, sem necessidade de invocar a presença do monsieur Guillotin.

Transposto do plural para o singular, o governo destruiu um modesto contrato financeiro, no mundo virtual, incapaz de comprometer o desventurado déficit fiscal. É importante, no entanto, para os blogs e para o exercício democrático da liberdade de expressão.

Embora em outro plano, serve como referência, neste caso, a situação excepcional de José Catalão, que servia café no Palácio do Planalto e foi demitido por suspeição de ser petista. Ele se orgulha de ter servido a Temer como vice-presidente.

Catalão, garçom solícito, pode tornar-se o ícone do trabalhador exonerado no projeto econômico arquitetado agora por Henrique Meirelles, ministro da Fazenda.

A ausência da publicidade tem condições de sufocar os blogueiros. Assim como pode frear o ímpeto do restrito círculo monopolista dos barões da imprensa. Este não é assunto, porém, para o presidente provisório. A imprensa ainda é um setor da economia dependente da publicidade governamental.

No mundo novo da internet, a veiculação da publicidade ainda se guia pela discutível relação utilizada para a mídia impressa. Ou seja, a aplicação da mídia técnica que sobrepõe a potencial circulação do veículo à qualidade do conteúdo veiculado. Usa-se um conceito velho neste mundo novo, ainda mal avaliado, invadido, sem permissão, pelos blogueiros.

A decisão repercute no mundo virtual. Mas não se daria não fosse, objetivamente, a vingança contra os chamados “blogueiros sujos”. Ou seja, aqueles que não engoliam o prato que a mídia conservadora oferecia diariamente. Com raras exceções na mídia impressa, falada e televisada, eles atacaram com vigor, na batalha contra o golpe, as deturpações disseminadas diariamente pela oposição ao governo de Dilma Rousseff.

Em outras palavras, combateram a manobra golpista que, ao fim e ao cabo, não foi contida.

A decisão restritiva, punitiva, imposta pelo governo Temer talvez seja apenas o recomeço de uma velha história.



Notícias

News

Minha rede