Ir para o conteúdo

Terra Sem Males

Tela cheia

O juiz de Curitiba recebeu propina 

18 de Março de 2017, 0:00 , por Terra Sem Males - | No one following this article yet.
Visualizado 79 vezes

Na última rodada do Sindijorzão, membro da famiglia Moscas Mortas entregou um envelope recheado de dólares pro jujú da partida. 

As imagens são revoltantes. 

Vale lembrar que no histórico do torneio há dolorosas cicatrizes causadas por atuações suspeitas, de alguns dirigentes de agremiações, extra quadra. 

Mas dessa vez foi diferente! 

De forma inédita, um tal de Marcelo Bahia, que inclusive já está preso, entregou, na cara dura, um envelope recheado de dólares. Sim, DÓLARES! Muitas doletas... todas entregues ao árbitro de nome...  TARJA PRETA.  

Vale lembrar que na partida do Moscas Mortas, o juiz de Curitiba teve uma atuação desastrosa, completamente parcial. 

SAFADO! Não tem outra palavra.  

Só digo uma coisa: essa história não está bem explicada.

Será mesmo que era só uma graninha pro jujú? O que me garante que não foi uma intimidação? Um recado? Será que essa foi a mais clara interferência da máfia no mundo do esporte?  

Não sei. 

Também não sei como vocês acharam que alguém iria engolir a lorota de que o tal do ‘Italiano’ é jogador. Que jogou internacionalmente e blá blá blá... 

Eu sei que é tudo mentira. 

O que fiquei sabendo é que ele só está no grupo do ‘muscas domesticas’ devido a sua estreita conexão com meliantes cariocas. 

Afinal, vocês são o quê? Uma quadrilha? Uma extensão do CV?

...

Decidi mexer meus pauzinhos. 

Durante a semana, selecionei algumas jogadas do ‘Italiano’ e mandei pra um amigo. Ele é ex matador da Cosa Nostra, na Sicília, e hoje trabalha como informante da polícia internacional. 

Seu nome: Totò Schillaci. Fundamental pra máfia, em 1990. 

Graças a sua pontaria, a Sicília se manteve viva na disputa contra outras máfias do mundo. Mesmo não ganhando o campeonato, a Cosa Nostra teve seus esforços reconhecidos e Totò Schillaci tornou-se herói. 

Quando Totò assistiu ao material que enviei, imediatamente me ligou. 

Depois de uma breve conversa, minhas suspeitas se confirmaram. Segundo Totò Schillaci, o ‘Italiano’ não é um jogador de futsal.  

O que sobra agora? Qual a razão para o disfarce? O que ele está escondendo? 

Tem algo estranho no ar. 

Ficou claro que todo o time do Moscas Mortas esconde o jogo. 

Até agora, a única certeza é que o Sindijorzão 2017 é o mais enigmático da história dos Sindijorzões. 

Afinal, de onde vieram tantos dólares? Qual o origem desse dinheiro? Onde está a foto do ritual do Catadão no vestiário? Onde está Valkiller? Será que esse ‘Italiano’ é aquele ‘Italiano’? Aquele da Lava-Jato? 

Não sei. 

Só sei que amanhã teremos mais um capítulo dessa novela maravilhosa.