Ir para o conteúdo
ou

Blogoosfero
beta

Verdade ou Mentira?

Seja curioso, não entre...

 Voltar a Verdade ou mentira
Tela cheia

A negação dos valores sociais

4 de Maio de 2015, 14:21 , por Rafael Pisani Ribeiro - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 393 vezes
Licenciado sob CC (by-nc-sa)

    Existem sérios questionamentos quanto a declarações afirmando valores opostos, ou diferentes dos naturalizados socialmente. Tais questionamentos, se deram sobre a lógica capitalista e de consumo. É interessante notar o fato de inevitavelmente cair em um paradoxo, isto é, nunca será completo, em algum momento haverá contradição. Isso se dá pela natureza desse valor em relação ao contexto social, ou seja, a contradição está em sua natureza. Para evitar assuntos paralelos, será abordado de forma indireta. O objetivo não é fechar a temática, mas abrir para debate. Voltemos ao contexto da segunda guerra mundial, na qual Fritz, vive na Alemanha Nazista. Não considero que Hittler deva ser considerado o mártir e, vilão da história, pois existiram e existem outros piores, mas o contexto serve de exemplo.

   Fritz, decidiu em algum momento não aderir ao ideal nazista, e consumo de produtos feitos por judeus, negros, homossexuais e seres desumanizados pela ideologia nazista. Proclama esse valor publicamente, apesar do perigo e sobrevive. É preciso considerar dois aspectos: a percepção social em relação a Fritz, e o contexto em que vive. Pelo primeiro, é um dos poucos ou únicos a pensar dessa forma e/ou declarar-se publicamente. Outros, podem evitar declarações públicas como “proteção consciente de sua vida”, e há uma parcela considerável daqueles que não são capazes de pensar em questionamentos. Pelo segundo, há o mundo produzido pelo nazismo e suas bases sociais.

   Já no primeiro item, Fritz irá sofrer pressão social constante, mas não porque é certo ou errado. E sim, porque difere do grupo como um elemento quase único pelo fato de ter tal pensamento e/ou declarar-se publicamente. Muitos projetariam seus medos e temores em Fritz. No segundo item, a contradição será constante, porque desumanizar judeus e outros é base para a sociedade nazista. A única forma de escapar, é saindo da sociedade nazista, caso o contrário, essa contradição será constante. A falta desse conhecimento, leva a críticas infundadas, mas é algo esperado e a contradição faz parte da natureza desse valor. Como analisar essa situação?

   Fritz viverá muitas situações contraditórias, com constante pressão social. Essa situação, abre parâmetros para mudança cultural devido a expor a situação, e como esta é de fato. Segundo, ele é o único ou um dos poucos a tomar consciência da situação e proclamá-la publicamente. Terceiro, apesar de tudo isso poderia adaptar sua vida sob outros padrões, por exemplo, comprando produtos importados. Como relacionar isso a ideia de “não ser capitalista”?

   A crítica ao sujeito, poderia vir da mesma forma que veio a Fritz, e o sujeito teria de lidar com situações igualmente contraditórias. Não há como escapar, pois, ser contraditório está na natureza desse valor. É possível construir a vida sob outro molde, sem necessariamente limitar às relações sociais. Por sim, se tornam importantes os elementos consciência e contradição. Tudo isso em algum grau gera mudança social, e de forma alguma é um retrocesso. E aí, o que acha de tomar consciência, e questionar seus próprios valores e os valores sociais?

Lembrem- se de referenciar a fonte caso utilizem algo deste blog. Dúvidas, comentários, complementações? Deixe nos comentários.

Escrito por: Rafael Pisani


Edição feita por: Stephanie Mendes.

 


Tags deste artigo: paradoxo dos valores

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.