Ir para o conteúdo
ou

Blogoosfero
beta

Verdade ou Mentira?

Seja curioso, não entre...

 Voltar a Verdade ou mentira
Tela cheia

Crime, política e educação

10 de Setembro de 2014, 16:09 , por Rafael Pisani Ribeiro - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 338 vezes

 

Enquanto desviamos nossa atenção para menores crimes nosso dinheiro é roubado a cada ato legal, sem ação efetiva contra isso por parte da sociedade, exceto grupos específicos. Ocorrendo sempre o ciclo, ou seja, culpe o povo, para que a elite se torne solução, mascarando assim sua culpa direta. Culpe também os grupos pensadores criminalizando-os, diria nosso grande filósofo Michel Foulcault em Vigiar e punir, não com essas palavras, mas é esse o sentido.

A mídia ocupa essa função, já dizia ele em seu livro. Iniciam- se os noticiários, que tem como função disponibilizar a visão do delinquente que os representantes do poder querem, que a delinquencia vem de um mundo a parte, próximos e ao mesmo tempo distantes, e em toda parte temíveis. Toda essa informação justifica na mente dos cidadãos a vigília panóptica. [1] Incluindo nisso a repressão a movimentos sociais que fazem protestos contra tais atos “legais”. Ou seja, a situação já é ruim, no entanto, como a ordem deve ser mantida tais movimentos conturbam a “ordem pública” e por isso devem ser punidos.

Dessa forma nossa energia de mudança é movida para algo que nos é apresentado como solução, quando na verdade é um desvio dela. Na relação burgueses e operários o salário é calculado para a existência do lucro. A política de baixos salários continua e faz com que os profissionais trabalhem mal, mesmo não querendo, porém não possuem condição ideal para seu autodesenvolvimento. Também é comum entre as famílias mais pobres o ensino de respeito e obediência à hierarquia, recorrendo à violência física para a obediência. Quando foge ao conhecimento da mãe sobrecarregada ela deixa a criança a sua autonomia, ou pede ajuda ao irmão mais velho. Se torna uma família configurada sem a figura paterna e mãe com única função de conseguir o sustento da família. Enquanto nas famílias de classe média a autonomia é mais incentivada dando valor ao comportamento da criança.

 Nas Instituições, a criança por falta de uma relação afetiva que a reforce, se torna introspectiva e procura prazer, algo que dê sentido a sua vida vazia e desprovida de objetivos. Muitos saem sem um tratamento efetivo segundo o considerado positivo pela sociedade, fazendo com que nos três casos a hierarquia capitalista seja perpetuada. 

  Tudo isso resulta desde o jardim ao ensino médio em profissionais sem preparação profissional e psicológica, talvez sem culpa consciente. Basta para isso ver o depoimento da professora Amanda Gurgel nesse link http://www.youtube.com/watch?v=yFkt0O7lceA . Ela afirma que o salário do professor é baixo, e por isso ele deve trabalhar três turnos para se sustentar, ficando extremamente cansado e sem tempo para se atualizar. Não que todos os professores sejam ruins, na verdade existem muitos bons, mas também há exceções. Junte jovens de  estrutura física, psicológica e social precária a grade curricular de má qualidade e o resultado são alunos sem interesse em leitura. Exceto sobre futebol e novelas, sendo alguns sem a capacidade de interpretar um bom texto. Por isso existem analfabetos e analfabetos funcionais.

Entre 2009 e 2011 o número de analfabetos funcionais, isto é, pessoas que sabem ler mais não sabem aplicar isso a interpretação se manteve em 30, 5 milhões- 20,4% da população do país. [2] Nessa mesma pesquisa foi apurado que entre 2009 e 2011 o número caiu 1,1%. De 9,7 para 8,6% totalizando treze milhões de Brasileiros.[3]Enquanto tudo isso ocorre pensamos em sermos felizes comprando utensílios de marca que agregam valor à vida, aliás, valor bastante temporário.

  O resultado nas Universidades são estudantes passando no vestibular de Universidades particulares através da facilitação. Enquanto quem possui maior poder aquisitivo consegue passar em Universidades públicas. Muitos chegam sem a mínima capacidade de interpretar um bom texto. Como a maioria chega dessa forma o nível do ensino diminui, produzindo uma menor qualidade prejudicando quem pode melhorar e os alunos com melhor nível. Junte isso ao fator estudo e trabalho, uma realidade comum em Universidades privadas, e fica menor a qualidade.

Ainda entra o terceiro fator, a mercantilização do ensino em Universidades particulares, ou seja, visam o lucro e não mais o ensino em si. Resultando em uma estrutura ruim, mensalidades caras e transporte coletivo caro. Afinal houve mais um aumento da passagem de ônibus no ano de 2012 para 2013. Porém, não se enganem, o Brasil não possui só defeitos enquanto os EUA não possuem só qualidades.

  Os EUA pretendem dar ao mundo a ilusão de que são o estado perfeito. Por isso seus filmes são extremamente tendenciosos sendo sempre eles vítimas ou heróis e o resto seus inimigos.  Desejam ser o modelo ideal sem injustiças, emprego para todos e oportunidades generalizadas. É um país da paz, afinal guerras são ruins e matam pessoas. Sempre as suas são para evitar possíveis mortes, dirão isso Irã, Iraque e Hiroshima e Nagasaki. Crianças não passam fome e não há mendigos, os hospitais são de toda qualidade. Na verdade tudo isso é total ilusão. A verdade sobre as desigualdades em países “desenvolvidos” nunca será mostrada pela televisão, a mídia privada, controlada por poucas famílias.

Porém, os problemas Americanos são tema para outro texto e percebendo o tema percorrido vale à pena pesquisar não é? Afinal, um dos maiores fatores para nos tirar dessa situação é o conhecimento, incluindo muita pesquisa e leitura. Pesquisem, estudem, duvidem, coloquem o conhecimento em ação e o mundo pode melhorar. Como conclusão a única coisa possível é analisar como as injustiças sociais ocorrem, isto é, através do convívio social, educação e a mentira passada pela ilusão do modelo Americano. Então, existe relação entre crime, educação e política?

Lembrem- se de referenciar a fonte caso utilizem algo deste blog. Dúvidas, comentários, complementações? Deixe nos comentários.

 Escrito por: Rafael Pisani

 Referências:

 Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=yFkt0O7lceA . Amanda Gurgel . Data de acesso: 05 de abril de 2013

 Disponível em: http://noticias.band.uol.com.br/educacao/noticia/?id=100000534788 . Bárbara Fontes/ Band.com.br . Data de acesso: 04 de abril de 2013

 Disponível em: http://noticias.r7.com/educacao/noticias/brasil-tem-quase-13-milhoes-de-analfabetos-numero-caiu-apenas-1-em-tres-anos-20120921.html .  r7.com . Data de acesso: Data de acesso: 05 de abril de 2013

 Vigiar e punir:nascimento da prisão; tradução de Raquel Ramalhete. 38.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

 


[1] Retirado de forma a ser parafraseado do livro “Vigiar e Punir” de Michel Foulcault. Panoptismo é o sistema imaginado por ele na qual em uma prisão redonda há prisões de vidro com uma torre central tendo ângulos de vista a todos os movimentos dos prisioneiros. Podia ou não haver alguém na torre, já que o prisioneiro não podia ver por dentro. Dessa forma ele tinha dúvidas se havia alguém vigiando ou não, portanto, podia ser punido ou não. Nessa dúvida o criminoso não fazia algo errado, pois havia a constante possibilidade de punição. Já não chegamos a isso em nossa sociedade? Há câmeras por todos os lados, senão a maioria, temos de dar nossos dados a cada local que vamos, o cartão de crédito registra o que fazemos com ele, em tudo há nosso CPF e identidade, nos tornamos um número. É semelhante ao conceito de Big Brother, do livro “1984” de George Orwell. Será que já não o alcançamos em nossa sociedade? Aliás, a origem do programa foi esse livro.

 [2] Fonte: http://noticias.band.uol.com.br/educacao/noticia/?id=100000534788

[3] Fonte: http://noticias.r7.com/educacao/noticias/brasil-tem-quase-13-milhoes-de-analfabetos-numero-caiu-apenas-1-em-tres-anos-20120921.html

 


Tags deste artigo: política e democracia

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.