Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Crônicas do Motta
Tela cheia

E os amigos da democracia surgiram, aos milhões

31 de Março de 2016, 9:16 , por CRÔNICAS DO MOTTA - | No one following this article yet.
Visualizado 30 vezes
Nas crises é que se revela a personalidade das pessoas.

Pegue o exemplo de uma tragédia que possa ocorrer com um amigo ou um familiar.

Ele perdeu o emprego e a mulher está grávida, tem mais dois filhos em escolas particulares, mora em casa alugada.

Todos os amigos ou parentes lamentam o ocorrido, se mostram tristes, oferecem solidariedade, tudo conforme o figurino e as as regras de convivência social.

Mas na hora do vamos ver, todo mundo some.

Ou quase todos.


Num belo dia o nosso amigo/parente recebe um telefonema de um ex-colega de trabalho de quem nem era muito próximo.

E o cara diz que quer ajudar, se coloca à disposição para qualquer emergência, deixa claro que, se for preciso, pode até emprestar uma grana sem juros ou prazo para devolução.

A vida é assim como aquele chavão do futebol, uma caixinha de surpresas.

A dimensão da crise que assola o Brasil é enorme.

A sua frágil democracia vem sofrendo ataques incessantes pela plutocracia já há alguns anos.

E, de ataque em ataque, chegou-se a um ponto em que tudo parecia perdido, tudo indicava que o Brasil retrocederia meio século, ao tempo das trevas.

Até que o inimaginável, ou o improvável, aconteceu.

De todos os cantos começaram a surgir jovens, velhos, homens, mulheres, pobres ou não, das mais variadas ocupações, que se condoeram da triste situação do país ou que se indignaram com a vil ofensiva das forças reacionárias, fascistas em sua essência, contra os mais elementares princípios do Estado de Direito.

A onda democrática foi crescendo, aumentando de tal forma que o embate hoje se encontra ao menos empatado.

É praticamente impossível definir a essência do ser humano.

Ele é violento ou pacífico por natureza?

Bom ou mau?

Essas são perguntas que provavelmente nunca serão respondidas de maneira definitiva.

Isso, porém, pouco importa.

O que vale mesmo é que ainda há no mundo muitas pessoas que acreditam em valores que elevam e não degradam a condição humana e o caminho civilizatório.

No Brasil, a gente descobre, há milhões assim. 

Milhões que podem permitir um futuro melhor para as gerações futuras, vivendo numa sociedade mais justa e mais igualitária.




Fonte: http://cronicasdomotta.blogspot.com/2016/03/e-os-amigos-da-democracia-surgiram-aos.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)