Ir para o conteúdo

Motta

Tela cheia

Segundo Clichê

27 de Fevereiro de 2017, 15:48 , por Blogoosfero - | No one following this article yet.

44 filmes inspirados em livros no NOW

23 de Outubro de 2018, 18:23, por segundo clichê


Até o dia 5 de novembro, o NOW está com o especial Do Livro Para O Cinema. Alguns dos melhores filmes inspirados na literatura foram selecionados e poderão ser assistidos com 50% de desconto.

Assim, quem é amante da sexta e da sétima arte, poderá conferir grandes clássicos como Great Gatysby e O Iluminado; a trilogia Senhor dos Anéis; romances de Nicholas Sparks como Noites de Tormenta e O Melhor De Mim; e o emocionante Diário De Uma Paixão.

Como o NOW pensa em todas as idades e gostos, para os mais jovens, o catálogo traz É Fada! – com Kéfera e Klara Castanho no elenco – e o lançamento Fala Sério, Mãe!, que narra a história de Ângela Cristina (Ingrid Guimarães) que precisa lidar com as dificuldades e delícias de guiar sua filha Malu (Larissa Manoela) durante uma das fases mais complicadas da vida: a adolescência.

A aclamada trilogia sueca Millenium, vencedora do BAFTA na categoria Melhor Filme Estrangeiro, também integra o catálogo. Com alto nível de fidelidade aos livros, a sequência de filmes ganha cada vez mais destaque nas telonas.

Outros filmes inspirados em best-sellers como Com Amor, Simon, Como Eu Era Antes De Você e O Doador De Memórias – com grandes nomes como Meryl Streep, Katie Holmes e Jeff Bridges no elenco – também estarão disponíveis no catálogo.

Os conteúdos podem ser acessados por clientes da NET e da Claro (TV e Celular) pelo site www.nowonline.com.br ou pelo aplicativo para tablets e smartphones. Os assinantes da NET e da Claro TV também assistem aos filmes pela TV, no canal 1 do controle remoto.

Confira todos os títulos do Especial Do Livro para o Cinema:

·         O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel

·         O Senhor dos Anéis: As Duas Torres

·         O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei

·         Como Eu Era Antes de Você

·         Operação Red Sparrow

·         Anna Karenina: A História de Vronsky

·         Diário de Uma Paixão

·         O Grande Gatsby

·         O Iluminado

·         Um Sonho de Liberdade

·         Com amor, Simon

·         Jogada de Mestre

·         As Pontes de Madison

·         Artista do Desastre

·         Como Ser Solteira

·         Conexão Escobar

·         Maze Runner: Prova De Fogo

·         Maze Runner: Correr ou Morrer

·         Millennium - Os Homens que não Amavam as Mulheres

·         Millennium II - A Menina que Brincava com Fogo

·         Millennium III - A Rainha do Castelo de Ar

·         Winter Sleep

·         Sully: O Herói do Rio Hudson

·         O Melhor de Mim

·         A Noite Devorou o Mundo

·         Fala Sério, Mãe!

·         É Fada!

·         Noites de Tormenta

·         A Odisseia

·         Um Homem de Sorte

·         Em Defesa de Cristo

·         O Poder e o Impossível

·         Quase Memória

·         O Céu é de Verdade

·         Espírito de Lobo

·         Sem Fôlego

·         Um Momento Pode Mudar Tudo

·         A Vida de uma Mulher

·         Um Gato de Rua Chamado Bob

·         Cora Coralina: Todas as Vidas

·         Muitos Homens num Só

·         A Missão do Gerente de Recursos Humanos

·         As Duas Faces de Janeiro

·         O Doador de Memórias



Coral da USP canta o Bixiga

23 de Outubro de 2018, 18:11, por segundo clichê


O grupo Dona Yayá, do Coral da USP, se apresenta na Casa-Museu Ema Klabin no dia 27 de outubro, às 16h30, com o  projeto “Bixiga”. O coral retrata,  por meio de peças originais para coro e arranjos vocais,  o ambiente sonoro de um dos bairros mais tradicionais da cidade de São Paulo. O concerto gratuito faz parte do Programa Tardes Musicais.

Com regência de Mauro Aulicino , o repertório é composto por:  Pequeno Poema pra Oxalá (Jonathan Silva), Tradição (Geraldo Filme), No Morro da Casa Verde (Adoniran Barbosa), Abrigo de Vagabundos (Adoniran Barbosa), Que nem a Gente (Celso Viáfora), Praça 14 Bis (Eduardo Gudin), Já fui uma Brasa (Adoniran Barbosa) e  São Jorge (Kiku Dinucci) .

Visite a Exposição “Porcelana europeia da Coleção Ema Klabin”:

A Casa-Museu Ema Klabin promove até o dia  16 de dezembro a Exposição “Porcelana europeia da Coleção Ema Klabin”.  Com curadoria do arquiteto Paulo de Freitas Costa, a mostra apresenta  39 peças raras das manufaturas de Sèvres, Berlim, Viena, Meissen, Limoges,  Coalport, entre outras. 

Além da exposição de porcelanas, é possível conhecer  o acervo permanente da Casa-Museu que abriga mais de 1500 obras, entre pinturas do russo Marc Chagall e do holandês Frans Post, talhas do mineiro Mestre Valentim, mobiliário, peças arqueológicas e artes decorativas.

Serviço

Tardes Musicais: Grupo Dona Yayá, do Coral da Usp -   projeto Bixiga
Data: 27 de outubro, sábado
Horário: 16h30
Grátis
Livre
170 lugares
Visita livre ao museu: das 14 às 17 horas
Fundação Ema Klabin
Endereço: Rua Portugal, 43, Jardim Europa - São Paulo.  Tel: 55 11 3897-3232 
www.emaklabin.org.br



Tempo Rei lança CD de estreia, dedicado a Gilberto Gil

22 de Outubro de 2018, 16:36, por segundo clichê


Divulgando três composições autorais (“Quem Me Dera”, “Certeza do Mundo” e  “Giro do Tempo”), os músicos da banda carioca Tempo Rei dedicam seu CD de estreia, “Eternidade É Tempo Algum”, ao seu ídolo maior, o cantor Gilberto Gil, e também a todos os artistas que fizeram parte da Tropicália. O grupo é formado por Aprigio Bertholdo (Voz), André Barros (Guitarra), Maurício Figueiredo (Baixo Elétrico), Reinaldo Pestana (Bateria e Percussão) e Renato Catharino (Teclado).

A música “Certeza do Mundo” (Reinaldo Pestana) foi composta com o objetivo de propor questionamentos (“O que precisamos? “O que desejamos?” “Por que aceitamos?”). A canção vem ganhando o público e seu vídeo (feito em animação) já  obteve mais de 20 mil visualizações no canal do Youtube.

O show que roda as cidades fluminenses têm no set list releituras de algumas composições do cantor baiano, além de canções autorais da banda. Segundo seus integrantes, “as músicas têm uma verve ‘Tropicália’, em homenagem ao Gil, ‘Indie’, por ser uma sonoridade intensa e totalmente independente, e ‘Contemporânea’, por ser do mesmo período”.

Tempo Rei é uma banda de possibilidades. Vários gêneros musicais são inseridos na visão do grupo. No repertório, estão incluídos vários estilos musicais  brasileiros como o Maracatu, Frevo, Ijexá, Bossa Nova. Além do Jazz e Rock que estão sempre caminhando juntos nas interpretações de cada músico.

Além de voz, guitarra, baixo, teclado e bateria, a banda também utiliza a percussão em algumas gravações. É uma forma de afirmar porque o Brasil chama tanta atenção no exterior. As improvisações fazem parte do processo musical da banda. É uma sonoridade aberta que expressa a forma de cada músico interagir com seu instrumento.

A proposta é integrar a realidade do mundo atual com as artes plásticas, a fotografia, vídeo, além da música. Forte influência na sonoridade da banda, Gilberto Gil deu nome ao grupo, originário de uma de suas composições.

Serviço

Dia 25/10/18,  quinta-feira – Tempo Rei lança seu CD de estréia “Eternidade É Tempo Algum” no Teatro Café Pequeno

Horário: 20 horas

Endereço: Av. Ataulfo de Paiva, 269  – Leblon, Rio de Janeiro

Informações: 2294-4480

Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)



Uma noite de autógrafos para ajudar crianças e idosos

22 de Outubro de 2018, 0:12, por segundo clichê



"Cem Piadas sem Dono e Outras Mentiras", de Julia Fernandes Heimann, e "Marcelinha, a Abelhinha", de Evandro Fernandes da Silva, dois novos livros da Editora In House, serão lançados no dia 7 de novembro, quarta-feira, às 19 horas, na Biblioteca Municipal Prof. Nelsom Foot (Av. Dr. Cavalcante, 396, Complexo Argos), em Jundiaí. A renda da noite de autógrafos será revertida para o Lar Santa Ana, que abriga idosos carentes, e para a Casa da Fonte, projeto socioeducacional voltado a crianças e jovens que vivem em situações de vulnerabilidade. O grupo As Atrevidas vai se encarregar da parte musical da festa.

O livro de Julia Fernandes Heimann, explica a autora, contém piadas "inteligentes, não imbecis", que podem ser contadas sem constrangimento para crianças e idosos, e são capazes de "colocar o cérebro em movimento e proceder à neuroplastia". Ela explica que as piadas não são de sua autoria: "Compilei-as, tirando de almanaques antigos, revistas e livros, todas de domínio público. Tornei-as mais engraçadas, adaptei-as. E penso que elas vão agradar o público."

Júlia nasceu na cidade do Rio de Janeiro e reside em Jundiaí há 40 anos. É membro da Academia Jundiaiense de Letras, da Academia Feminina de Letras e Artes, sendo a atual vice-presidente, do Grêmio Cultural Prof. Pedro Fávaro, também vice-presidente da Academia Louveirense de Letras e membro correspondente de quatro academias. Tem os seguintes livros publicados: "Catarse", "Criança Aprende Fácil", "História de Jundiaí", "Lendas de Todos os Tempos" (lendas árabes), "Risos e Rimas", "Lendas Fantásticas", "Dona Jiboia e a Alcateia " (que aborda as alterações ortográficas através de histórias) e "Desafios".

Evandro Fernandes da Silva é membro da Academia Jundiaiense de Letras, e autor também de "Na Esquina de Batom", "O Levante dos Oprimidos", "Letícia, a Lagartixa", "A Menina que Tinha Medo da Meia-Noite", "A Fuga da Bailarina" e "Morte e Vida de Olympia", entre outros livros.



No dia do poeta, 11 grandes artistas

19 de Outubro de 2018, 10:46, por segundo clichê


Outubro é um mês especial para os poetas e escritores. No dia 20 é comemorado o Dia do Poeta e no dia 31 o Dia Nacional da Poesia. Por isso a plataforma colaborativa Lugares Pelo Mundo fez uma lista com 11 grandes poetas de todos os tempos para celebrar essas datas. Confira: 

T.S Eliot (1888-1965)

“Então vem, vamos juntos os dois,
A noite cai e já se estende pelo céu,
Parece um doente adormecido a éter sobre a mesa;
Vem comigo por certas ruas semidesertas
Que são o refúgio de vozes murmuradas
De noites em repouso em hotéis baratos de uma noite
E restaurantes com serradura e conchas de ostra:
Ruas que se prolongam como argumento enfadonho
De insidiosa intenção
Que te arrasta àquela questão inevitável…
Oh, não perguntes “Qual será?”
Vem lá comigo fazer a tal visita. [...] ”

A Canção de Amor de J. Alfred Prufrock

Nasceu nos EUA, porém morou em Londres a maior parte de sua vida. Foi além de poeta, ensaísta e dramaturgo, recebeu o prêmio Nobel de Literatura em 1948.

William Butler Yeats (1865-1939) 

“Aquela moça enlouquecida,
Improvisando a sua música e poesia,
Dançando em meio à praia; a alma apartada de si mesma,
A subir e descer aonde a moça não sabia;
A esconder em meio à carga de um vapor
A rótula quebrada,
Eu proclamo essa moça algo de belo e alto, ou algo
Perdido heroicamente, achado heroicamente. [...]”

Moça enlouquecida

O poeta e autor teatral irlandês traz em seus textos fortes referências místicas. Foi o vencedor do prêmio Nobel de Literatura de 1923. 

Mahmoud Darwish (1941 - 2008)

“Se a oliveira se lembrasse de quem a plantou
O azeite seria lágrimas!
Sabedoria dos ancestrais,
Se lhe ofertássemos de nossa carne um escudo!
Mas a planície do vento
Não oferta aos escravos do vento cereais!
Arrancaremos com os cílios
Os espinhos e as mágoas… arrancaremos!
Para onde levaremos nossa desonra e nossa cruz!
E o universo prossegue… [...]”

Poeta e escritor árabe, nasceu na Palestina e usou sua obra como ferramenta dedicada à luta pela emancipação do seu povo. 

Octavio Paz (1914-1998)

“Palavras? Sim. De ar
e perdidas no ar.
Deixa que eu me perca entre palavras,
deixa que eu seja o ar entre esses lábios,
um sopro erramundo sem contornos,
breve aroma que no ar se desvanece.
Também a luz em si mesma se perde.”

Destino do Poeta

Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 1990, o mexicano Octavio Paz foi ensaísta e diplomata. Por muitos anos foi uma das personalidades mais influentes na cultura da América Latina. 

Eugenio Montale  (1896-1981)

“Não nos peças a palavra que acerte cada lado
de nosso ânimo informe, e com letras de fogo
o aclare e resplandeça como açaflor
perdido em meio de poeirento prado.
Ah o homem que lá se vai seguro,
dos outros e de si próprio amigo,
e sua sombra descura que a canícula
estampa num escalavrado muro!
Não nos peças a fórmula que possa abrir mundos,
e sim alguma sílaba torcida e seca como um ramo.
Hoje apenas podemos dizer-te
o que não somos, o que não queremos.

Não nos peça palavra”

O italiano foi poeta, prosador, jornalista e tradutor. Ganhou o Nobel de Literatura em 1975. Em sua obra faz uso de muitos elementos não poéticos de forma que sua poesia se aproxima da prosa.

Carlos Drummond de Andrade (1902 - 1987)

“Eu te amo porque te amo. 
Não precisas ser amante, 
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo. 
Amor é estado de graça 
e com amor não se paga. [...]”

As sem-razões do amor

Poeta, contista e cronista brasileiro. É considerado um dos maiores nomes da literatura moderna do país. 

Derek Walcott (1930-2017)  

“O tempo virá
quando com grande alegria
Você saudar, a você mesmo que chega
A sua porta, ao seu espelho
E cada um sorrirá em boas vindas ao outro, 
e dirá, senta aqui, come. 
Continuará amando ao estranho que foi a você mesmo.
Oferece vinho. Oferece pão. Devolve teu amor
a você mesmo, ao estranho que te amou
toda sua vida, a quem não conheceu
para conhecer outro coração
que te conhece de memória. 
Recolha as cartas do escritório
as fotografias, as desesperadas linhas.
Tire sua imagem do espelho. 
Sente-se. Celebre sua vida”

O amor depois do amor 

Poeta caribenho foi ganhador do Nobel em 1992. Nasceu em Santa Lúcia, ilhas antilhas, e em sua obra mistura a tradição cultural de sua origem com poesia clássica e moderna inglesa, criando uma fusão cultural.

Lygia Fagundes Telles (1923)

“Solução melhor é não enlouquecer mais do que já enlouquecemos, não tanto por virtude, mas por cálculo. Controlar essa loucura razoável: se formos razoavelmente loucos não precisaremos desses sanatórios porque é sabido que os saudáveis não entendem muito de loucura. O jeito é se virar em casa mesmo, sem testemunhas estranhas. Sem despesas.”
Loucura

A brasileira é conhecida como “a primeira dama da literatura brasileira”. Sua obra possui características pós-modernistas e apresenta um universo marcadamente feminino. 

Hermann Hesse (1877-1962) 

“Enquanto vives perseguindo a sorte,
não estás pronto para ser feliz,
ainda que seja teu o que mais queres.
Enquanto te lamentas do perdido,
e tens metas e não te dás descanso,
não podes saber o valor da paz.
Só quando a todo anelo renuncias,
sem objetivos nem desejos mais,
e já não dás à sorte qualquer nome,
já a maré dos eventos não te atinge
o coração, e se acalma tua alma.”

Sorte

Escritor e pintor alemão, como poeta não dispensou um certo sentimentalismo ao explorar temas como a infância e a solidão. Ganhou o Nobel de Literatura em 1946.


Wislawa Szymborska (1923 - 2012)


“Quando eu pronuncio a palavra Futuro
a primeira sílaba já pertence ao passado.
Quando eu pronuncio a palavra Silêncio,
Eu o destruo.
Quando eu pronuncio a palavra Nada,
Eu faço algo que nenhum não-ser pode reter.”

As Três Palavras Mais Estranhas

Poetisa, crítica literária e tradutora, nasceu na Polônia e foi ganhadora do prêmio Nobel de Literatura em 1996. 


Gabriela Mistral  (1889-1957)


“Vou-me de ti com teus mesmos alentos:
como umidade de teu corpo evaporo.
Vou-me de ti com vigília e com sonho,
e em tua lembrança mais fiel já me apago.
E em tua memória me torno como esses
não descendentes de planícies ou de bosques.”

Poetisa, feminista, diplomata e educadora chilena, representou o primeiro nome latino-americano a ganhar o primeiro prêmio Nobel de Literatura em 1945. 

Sobre o Lugares pelo Mundo

Lugares pelo Mundo é uma plataforma colaborativa com conteúdo diversificado e qualificado sobre o mundo e suas curiosidades. A referência é o turismo e a sinergia entre diferentes segmentos, estilos de vida, povos e nações. O objetivo é promover engajamento, agregando e multiplicando as experiências, além de enriquecer e inspirar viajantes e aventureiros. 

https://lugarespelomundo.com



Motta

0 comunidades

Nenhum(a)