Ir para o conteúdo
ou

Blogoosfero
beta

Verdade ou Mentira?

Seja curioso, não entre...

 Voltar a Verdade ou mentira
Tela cheia

Não quer punir? Leve um menor infrator para casa

21 de Agosto de 2014, 16:04 , por Rafael Pisani Ribeiro - 0sem comentários ainda | No one following this article yet.
Visualizado 364 vezes
Licenciado sob CC (by-nc-sa)

 

Não quer punir? Leve um menor infrator para casa:[1] 

Esse argumento cai na mesma linha do “Queria ver se fosse com você” no textocontra-a-reducao-da-maioridade-argumentos-emocionais-1 . É algo bastante emocional e poderia também não ser uma solução, voltando à estaca zero.  Apesar de ser um método para que haja uma mudança no indivíduo, ainda que arriscado.

Existe um filme de um caso verídico mostrando uma chance de eficácia desse método. O filme trata do garoto Roberto Carlos Ramos, filho de família pobre com nove irmãos e morador de favela. Por uma propaganda da televisão a mãe vê um local onde o filho terá estrutura e poderá inclusive se tornar um doutor, a FEBEM. Ela o leva para lá e não percebe a mentira da propaganda. A ala infantil, onde é colocado inicialmente é tranquila. Quando é transferido para outra começa a sofrer agressões e encontra saídas nas drogas e pequenos furtos. Após certo período passa a ser considerado “irrecuperável”. Subitamente chega uma pedagoga Francesa chamada Margherit Duvas que o adota. Loucura?

O filme retrata que ela sofreu alguns furtos e teve de correr atrás de muita coisa para poder ficar com o menino. Levou algum tempo até ele se adaptar e confiar nela, sendo esse tempo um período difícil. Resultado? Uma criança tida como “irrecuperável” teve sua recuperação e voltou a sociedade. Prova disso? O filme é uma história real e é contada inclusive pelo próprio Roberto que agora adota várias crianças ditas “irrecuperáveis” para ajudá-las. Então, o que há de se concluir? Isso até poderia ser uma solução, de alguma forma demorada e arriscada sem totais chances de sucesso, mas ainda há alguma chance. O problema dela é ter de trazer a responsabilidade para nós e sacrificar nossa zona de conforto. Estaríamos dispostos a isso? A resposta é individual. Negar isso é uma forma de jogar a responsabilidade para o outro. O argumento foi refutado e em possibilidade alguma serve para comprovar como correta ou validar a redução da maioridade penal.

Lembrem- se de referenciar a fonte caso utilizem algo deste blog. Dúvidas, comentários, complementações? Deixe nos comentários.

 

Escrito por: Rafael Pisani

 

Referências:

 

Disponível em: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=368110943309051&set=a.142473249206156.27029.142467302540084&type=1. Facebook .  Data de acesso: 25 de maio de 2013

 



Tags deste artigo: redução da maioridade e sociedade

0sem comentários ainda

    Enviar um comentário

    Os campos realçados são obrigatórios.

    Se você é um usuário registrado, pode se identificar e ser reconhecido automaticamente.