Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Crônicas do Motta
Tela cheia

Nossa única esperança

12 de Abril de 2016, 0:07 , por CRÔNICAS DO MOTTA - | No one following this article yet.
Visualizado 247 vezes

Nem todos os políticos são corruptos, assim como nem todos os jornalistas são covardes ou todos os médicos são comerciantes.

O mundo é colorido, não preto e branco.

Há os heróis de ocasião e os traidores fortuitos.

Há quem tenha caráter; há os pulhas, os patifes e os canalhas.

O homem é isso: multifacetado.

E por ser tal qual um mosaico, o mundo se tornou um habitat inóspito, onde a força prepondera sobre a gentileza e a estupidez suplanta a razão.


O Brasil não foge desse cenário, assim como seus homens públicos, suas autoridades ou seus profissionais das mais variadas áreas.

Ou como o seu Congresso, queiram ou não, um microcosmo de nossa sociedade, formado por uma maioria de picaretas, achacadores, criminosos dos mais variados tipos.

E por uma minoria de políticos sérios.

Foi preciso a iminência de um golpe de Estado, com suas inevitáveis consequências trágicas, para que as mentiras sobre o homem brasileiro fossem escancaradas.

Sim, somos racistas.

Sim, somos violentos.

Sim, somos ignorantes.

Sim, somos corruptos.

Formamos uma sociedade doente, moral, ética e psicologicamente.

Temos pendores animalescos, somos saudosos dos tempos da escravidão.

Mas temos salvação.

Existem, em meio a esse ambiente de barbárie, cotidianamente estimulado e venerado pelos meios de comunicação, pessoas que brilham, que são especiais, únicas, prenhes de valores que exaltam a vida, a alegria, a inteligência - a civilização.

Elas são a única esperança de que um dia, algum dia num futuro improvável, nos livremos da praga da injustiça, da doença da miséria, da síndrome da baixa estima e do verme da hipocrisia que apodrecem o nosso solo, o nosso ar, a nossa água e o nosso alimento cotidiano.


Fonte: http://cronicasdomotta.blogspot.com/2016/04/nossa-unica-esperanca.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)