Ir para o conteúdo

Motta

Voltar a Crônicas do Motta
Tela cheia

Para esses brasileiros, barbárie é civilização

23 de Setembro de 2015, 16:24 , por CRÔNICAS DO MOTTA - | No one following this article yet.
Visualizado uma vez


O povo brasileiro é esquisito. 

Ou, ao menos, uma parte dele.

Paradoxalmente, cultiva a barbárie como se fosse o suprassumo da civilização.

E espalha o ódio e a intolerância como se fossem imprescindíveis para o bem-estar da sociedade.

Não faltam exemplos desses paradoxos.

Eles estão aos milhares nas redes sociais, nas manifestações de rua contra o governo Dilma e o PT, e nos ataques verbais a autoridades, ex-autoridades e figuras públicas identificadas com a esquerda, como o ocorrido na noite de terça-feira, 22 de setembro, no aeroporto de Fortaleza, quando cerca de 30 pessoas, as mesmas que organizam e participam de atos anti-PT na cidade, hostilizaram o líder do MST João Pedro Stédile.

O vídeo da agressão covarde contra Stédile (acima) é constrangedor até mesmo para quem o assiste.

Não sei quem é o gênio que acha que agindo dessa forma, como fazem os fascistas, vai conseguir algum ganho político, alterar a correlação de forças existente na sociedade, derrubar o governo ou, no mínimo, quebrar o ânimo do alvo dos xingamentos.

No fundo, atitudes como essa de Fortaleza são apenas exteriorizações de personalidades doentias, de gente que sofre, talvez até sem saber, de patologias que deveriam se tratadas pela psiquiatria, quem sabe com a ajuda de potentes antipsicóticos.

Não é possível que alguém, em são consciência, leve a sério a luta política travada nesses moldes por tais dementes.

Ou mesmo que eles, num momento de rara lucidez, achem que têm as mínimas condições de se responsabilizar por qualquer atividade que implique responsabilidade, bom-senso, moralidade ou equilíbrio psicológico - nem exijo inteligência, educação e cultura.

A nossa salvação é que ainda existem pessoas responsáveis e sãs no Brasil, como as que subscreveram a nota de solidariedade a Stédile, cuja íntegra é reproduzida abaixo:

NOTA DE SOLIDARIEDADE AO COMPANHEIRO JOÃO PEDRO STEDILE E AO MST

O conjunto de movimentos sindicais, populares, pastorais sociais, parlamentares progressistas e intelectuais comprometidos com a luta do povo brasileiro, vem por meio desta nota prestar solidariedade ao companheiro João Pedro Stédile, histórico militante das lutas sociais do Brasil e da América Latina.

Na noite do dia 22 de setembro, uma claque com aproximadamente 30 reacionários bradando gritos de ódio e diversos xingamentos atacou e agrediu o companheiro Stédile, que acabava de chegar no Aeroporto Pinto Martins, em Fortaleza – Ceará, convidado por diversas entidades para participar de um Congresso Sindical e de uma atividade sobre Reforma Política e combate à Corrupção.

A ação comandada pelo empresário do ramo imobiliário Paulo Angelim, militante do Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB, revela o que há de mais conservador e retrógrado na sociedade brasileira: um ódio de classe, antigo e anacrônico, muito semelhante ao do fascismo.

Não à toa, o grupo de reacionários que realizou esta ação é o mesmo bando que tem impulsionado manifestações golpistas em Fortaleza no intuito de interromper o mandato da presidenta Dilma Rousseff, desrespeitando o voto popular e rompendo com a legalidade democrática no país.

Estes reacionários utilizam-se dos símbolos nacionais e se dizem patriotas, mas são favoráveis a venda dos nossos recursos naturais às empresas estrangeiras, como no caso da Petrobrás. Se dizem contra a corrupção mas são assíduos defensores do financiamento empresarial de campanhas eleitorais e ainda hoje lastimam a decisão do STF.

Temos convicção de que a agressão sofrida pelo companheiro Stédile, não se limita a um ataque individual, ou somente ao MST. Esta agressão só pode ser compreendida como parte de uma ofensiva conservadora da direita na sociedade que busca criminalizar e intimidar todos/as aqueles/as que lutam por um Brasil justo e soberano.

Neste sentido, prestamos solidariedade ao companheiro e nos comprometemos a cerrar fileiras na defesa da democracia, da justiça social e da participação popular nos rumos da nação.

Fortaleza, 23 de setembro de 2015.

Centra Única dos Trabalhadores – CUT
Central dos Trabalhadores do Brasil – CTB
União Nacional dos Estudantes – UNE
União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – UBES
Movimento dos Atingidos por Barragens – MAB
Rede Nacional de Advogados Populares – RENAP
Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares
Marcha Mundial das Mulheres – MMM
União Brasileira das Mulheres – UBM
Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos – MOTU
Levante Popular da Juventude
União da Juventude Socialista – UJS
Rua – Juventude Anticapitalista
Coletivo O Estopim
Movimento Kizomba
Partido Comunista do Brasil – PCdoB
Partido dos Trabalhadores – PT
Partido Socialismo e Liberdade
Consulta Popular
Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos em Luta pela Paz – CEBRAPAZ
Fora do Eixo
Mídia Ninja
Movimento Democracia Participativa
Agência de Informações Frei Tito para América Latina – ADITAL
Sindicato APEOC
Sindicato dos Metalúrgicos do Estado do Ceará – SINDMETAL
Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal do Ceará – SINTSEF-CE
Sindicato dos Empregados no Comércio de Fortaleza
Diretório Central dos Estudantes – UECE
Diretório Central dos Estudantes – UNIFOR
Deputado Federal José Guimarães
Deputado Estadual Elmano Freitas
Deputado Estadual Moisés Bráz
Deputada Estadual Rachel Marques
Deputado Estadual Renato Roseno
Vereador João Alfredo
Vereador Jovanil
Vereador Ronivaldo Maia 

Fonte: http://cronicasdomotta.blogspot.com/2015/09/para-esses-brasileiros-barbarie-e.html

Motta

0 comunidades

Nenhum(a)